12 de março de 2011

Vá devagar


Quanto mais o relógio avança, mais os ponteiros indicam que as horas podem não ser suficientes para tantas tarefas programadas para o dia, a semana, o mês, o ano. Escravos do tempo, esquecemos, muitas vezes, do que é essencial. A vida tem variáveis que fogem ao nosso controle. Está tudo certo para um determinado evento e, eis que uma reviravolta acontece. Aceitar o imponderável, mais que sinal de acomodação, significa sabedoria.

Se não é possível traçar o mapa do nosso futuro, alterar o mau humor do chefe, controlar o tráfego, evitar as dores do amigo ou as frustrações dos filhos, é possível, sim, tirar boas lições. Melhor que isso, passar adiante uma mensagem positiva. Afinal, o céu não é cinza todos os dias.

O importante é a frugalidade. É semear a simplicidade em meio ao caos cotidiano em que muitas vezes transformamos nossas vidas. Encontrar a felicidade pode estar em desenvolver a capacidade de criar algo que surpreenda a nós mesmos. Qualquer um pode.

Planejar é preciso. Mas se deixar escravizar por metas e não considerar as pedras que podem surgir no meio do caminho é abrir espaço para a frustração. Nem todos os planos dão certo. Quanto mais expectativas, mais chance de desapontamentos, mais estresse.

O que fazer, então? Qual a alternativa para que os desejos sejam satisfeitos? Ao planejar menos, você ganha mais liberdade e vive melhor. Com o foco no presente, a vida tende a ser vivida ao máximo! A seguir, algumas dicas sobre o que deve e o que não deve fazer para não desperdiçar o seu presente. Afinal, a vida é muito mais valiosa do que muitas vezes pressupomos.

Não planeje tanto: esteja aberto ao que a vida pode oferecer. Sim, é preciso pagar as contas, marcar encontros com os amigos, dar apoio à família, fazer alguma reserva em dinheiro, cuidar da casa. Cultive o bem estar. Não se preocupe tanto com o futuro. Basta perceber que ele é imprevisível; se preocupar com isso é um desperdício de tempo. Concentre-se no agora, e você sempre será capaz de lidar com o que vem.

Não crie expectativas: esperar que as pessoas reajam do modo como você considera correto, é quase certo que você terá problemas. Esqueça resultados imediatos. Sem muitas expectativas, você vive mais tranquilo. Entenda que as pessoas são diferentes, mesmo que pareçam egoístas, estranhas ou agressivas. Cabe a você se proteger. Não tente entender as formas de agir dos outros.

Não faça escândalo: se as coisas vão mal, não exagere nas reações. Explosões fora de proporção causam danos, inclusive, à saúde. Tente manter o autocontrole.

Não crie soluções para problemas que não existem: espere os acontecimentos. Antecipar os problemas é perda de tempo e energia.

Esteja sempre aberto: abra-se para o novo, para os movimentos que a vida oferece espontaneamente. Pense em criar algo novo, em debruçar-se sobre um projeto. Você pode descobrir-se apaixonado por algo antes impensável.

Entenda que a vida acontece e temos de reagir. Mas ao invés de exagerar, podemos reagir com calma, tomar medidas necessárias, corrigir problemas, e seguir em frente sem ele estragar o nosso dia. Aceite o que acontece. Pode não ser o que você considera ideal, mas é o que a vida lhe deu, o que resultou de suas ações em um mundo de imprevisibilidades. E seja feliz.



Mais50
 

Um comentário:

R.B.Côvo disse...

Sempre dando bons conselhos. Abraço.