11 de outubro de 2011

Autoconfiança




O quanto você confia em si mesmo? Autoconfiança é importante para todas as pessoas, é uma questão de sobrevivência. A premissa básica é que ninguém consegue transmitir confiança se não confia em si mesmo, seja na relação afetiva, pessoal, profissional.

A insegurança, ou falta de confiança em si mesmo, pode trazer algumas características como medo de amar, da mudança, de cometer erros, da solidão, de assumir responsabilidades. O inseguro não confia em seu valor pessoal, não acredita em sua capacidade. Em vez de se unir pelo amor, se une pela insegurança, o que o faz controlar as atitudes, quando não os sentimentos do outro. Controla e vigia em razão das dúvidas que tem sobre si mesmo, criando cobranças, conflitos e muitas dificuldades em seu relacionamento. É como se quisesse uma certeza daquilo que não encontra dentro de si.

A falta de autoconfiança pode se manifestar em sentimentos de incapacidade, impotência, e dúvidas paralisantes sobre si mesmo. Nunca possui certeza suficiente e quer sempre se certificar das coisas e controlar as pessoas. É excessivamente cauteloso e vigilante, desconfia de tudo e de todos, como reflexo de falta de confiança em si mesmo. Quem não confia em si, sente dificuldade para enfrentar desafios e, cada fracasso, confirma uma sensação de incompetência, trazendo muito sofrimento.

A insegurança pode chegar a tal ponto de fazer com que a pessoa, na ânsia de ser amada, transforme a necessidade natural de amar em uma necessidade doente, alcançada pela possessividade. Mas quando começa a se formar a autoconfiança? Na infância. Pessoas inseguras podem ter tido uma educação autoritária dada pelos pais. Educar, ensinar, colocar limites, todos sabemos que são fatores importantes na educação, mas limitar o desenvolvimento natural do outro, é torná-lo tão inseguro quanto uma educação super protetora.

As pessoas que confiam em si mesmas são decididas, sem serem arrogantes ou defensivas, e se mantêm firmes em suas decisões; apresentam-se de maneira segura, têm presença; são capazes de se expor; são eficientes, capazes de enfrentar desafios e tomar decisões sensatas mesmo sob pressão. Pessoas autoconfiantes inspiram confiança nos que as rodeiam. Mas é preciso ficar atento entre demonstrar que confia em si e realmente confiar. Como também a confiança em excesso pode ser um problema, pois o excesso de autoconfiança pode gerar imprudência e parecer arrogância, que é fruto da ignorância, muitas vezes de si mesmo.

A autoconfiança é resultado da auto-estima e nunca é herdada, é aprendida. A autoestima inclui a avaliação subjetiva que uma pessoa faz de si mesma. É ter consciência de seus valores e só quando temos essa consciência é que podemos confiar naquilo que somos capazes.

Os maiores inimigos da autoconfiança são: a cobrança interna e externa exagerada, o perfeccionismo, o medo, a crítica, rigidez, comparação, inveja, dúvida e também a necessidade de aprovação e reconhecimento, pois tudo isso dificulta a mudança e o desenvolvimento. A autoconfiança é um atributo importante porque a falta da opinião nas consequências de uma ação cria tensão, que aumenta a probabilidade de fracasso, causando assim uma pessoa depressiva.

Por que a autoconfiança está diretamente relacionada com o autoconhecimento? Não podemos confiar em nós mesmos sem nos conhecermos. O autoconhecimento é importante para tudo na vida e requer um constante exercício diário de reflexão. Quem não se conhece não se ama, não muda, não cresce. O caminho mais indicado para elevar o autoconhecimento é o diálogo interno. É isso mesmo, conversar consigo mesmo. As pessoas querem falar, serem ouvidas, mas não se ouvem. É preciso aprender a ouvir a própria voz, que ora vem do coração, da alma, ou seja, suas emoções; ora de sua mente, sua razão. Só quando ouvimos razão e emoção conseguimos atingir o equilíbrio. E que diferença isso faz!


Rosemeire Zago


 

14 comentários:

Ivana disse...

Precisamos nos ouvir mais, pois sabemos exatamente o que nos faz bem e o que nos faz mal. Acontece que quando envolve sentimentos não queremos ouvir a voz interna que nos orienta para o caminho certo, é aí que cometemos vários erros. Mas somos humanos e isso acontece com todos. O importante é encontrarmos o ponto de equilíbrio que está entre a razão e a emoção. Um abraço, um ótimo feriado!

mfc disse...

Autoconfiança e autoconhecimento... andam sempre de mãos dadas!

vanessa cony disse...

Leninha...Passei para deixar um carinho no teu coração.

Patrícia Pinna disse...

Lena, boa tarde. Esse texto é perfeito, esclarecedor, e tenho certeza que em muitos aspectos, renovador.
Ele é forte, fazendo com que mergulhemos em nós mesmos.
A insegurança é um malefício que anda bem ao nosso lado, e se deixarmos fará pouso eterno.
EU "VIAJEI"!Posso afirmar, que para mim, é um dos melhores que você já postou! Aliás, todos os textos são excelentes, o que ocorre é a identificação pessoal ser maior ou não.
Eu me vi inteira nesse texto!
Parabéns! Excelente escolha.Não tenho tanto a acrescentar, pois tudo já foi dito com maestria!
Um beijo, e tenha uma excelente semana de paz!
Fique com Deus!

Calu disse...

Linda Lena,
todo o texto carrega em cada linha os reflexos de quem fomos um dia, de quem somos hoje e de quem pretendemos continuar ou não, sendo amanhã.Sem retoques, a autora explicita claramente os altos e baixos desta gangorra chamada autoconfiança.Creio que, todos nós em variados momentos já nos vimos no terraço ou ao rés do chão.È,sem dúvida, preciso um constante exercício diário de reflexão;essa conversa íntima onde só participam eu e eu buscando no fiel da gangorra atingir o equilíbrio.Que a busca e o encontro se façam p/ todos(as).
Bjos querida,
Calu

Luar disse...

Leninha

Acabei agora mesmo de me escutar, de deitar para o ecran os monólogos que necessito para me manter sã mentalmente, e chego aqui o post serve que nem uma luva.
Nem sempre se consegue manter a autoconfiança a nível equilibrado, todos os dias temos que trabalhar certos aspectos do nosso carácter.
Evoluir, crescer faz parte do percurso da nossa vida.

Beijinhos

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

E ao nos conhecermos,
aprendemos o caminho
de transformar
o nosso mundo,
e encontrar sentidos
para ele.

Que a luz da vida
esteja sempre em teu olhar.

Célia disse...

Oi Lena! Aprendi a conversar comigo, a me amar, a me dar puxões de orelhas e a me elogiar sempre que necessário... Mas, ainda tenho muito a caminhar na aprendizagem "de mim"!! Chegarei lá! Bela reflexão me propiciou o artigo em questão! Abraço, Célia.

Toninhobira disse...

Auto estima é uma arma poderosa,que se perdida cria-se um avalanche no ser.É preciso cada dia mais se conhecer e reconhecer em cada ato,o que nos eleva e faz bem.Diria que a revolução do ser está intrisecamente ligada a ela.Otimo texto amiga Lena,que ajuda e faz maravilhas.
No clima meu terno abraço de criança feliz da vida em dia de festas.
Bju de luz nos seus dias.
Bom ter voce de volta come estes belos textos,muito bem escolhidos.
Bom feriado amiga.

Meire disse...

Lenita linda do meu coração de melão, com o tempo aprendemos a nos olhar com bons olhos. Temos que ser quem somos, sem medo de ser feliz. Um problema gigantesco hj em dia é a bendita busca da perfeição...isso não existe. Estamos todos aqui caminhando, cada um do seu jeito, o jeito que cada um sabe ser e sentir. Lá fora todos vão achar alguma coisa, "ela é metida, ela se acha, ela é isso ou aquilo...." mas isso só vai nos incomodar se entrarmos nessa dança, por isso é importante mantermos a autoconfiança bem aparadinha, pois ela é irmã do amor próprio, portanto essencial para nós. E nunca esqueça: o bem é tudo aquilo que TE faz bem e o mal é tudo aquilo que TE faz mal, o resto minha brilhante Estrela é resto.

Um abraço com masterrr carinho na tua alma que é bela e especial pra mim!
;)

Ingrid disse...

a autoconfiança nos impulsiona, mas olha que é um aprendizado..
beijos querida Lena..

QUIM disse...

sem duvida que sim querida ..autoconfiança é o pilar principal da nossa existência..por isso quando derrubada agente se sente completamente destroçado..como sempre me deixando ansioso por ler teus posts..bj querida amiga que adoro..

Rô... disse...

oi minha linda,

A autoconfiança é resultado da auto-estima e nunca é herdada, é aprendida.
que perfeição,
é uma frase que vou copiar no
meu diário,
para ler todos os dias...
obrigada Lena querida,
por me ensinar tanto!

beijinhos

O Guri disse...

Mas é tão difícil acreditar em mim. Muitas vezes só me dou conta de consigo fazer as coisas depois que as faço. Não sei mais o que dizer. Seu texto foi muito bem escrito.

http://umgurientregurias.blogspot.com/