27 de maio de 2012

Quem nos ajuda a ser feliz?



Existe uma rede de seres ao nosso redor aos quais nunca ou quase nunca chegamos a nos encontrar com eles, talvez os vejamos de passagem ao longe.
Quando chegamos já se foram, quando saímos do trabalho, eles estão se aprontando para começar o trabalho deles.

Às vezes, cruzamos com eles pelas ruas, entrando ou saindo de algum lugar. Estão lá dentro escondidos por trás do fogão, espalhando farinha na massa, ateando fogo na lenha do forno da pizza, rapidamente estão correndo para lavar e repor os pratos na mesa de entrada no lugar que almoçamos quase todos os dias.

Mas não os vemos, não sabemos os seus nomes, qual a cor de seus olhos, se são altos os baixos, se são homens ou mulheres que estão cozinhando para que possamos comer.

Não sabemos quem é o entregador do jornal, quem é o carteiro que passa pela nossa calçada. Quem é o rapaz que corre e some com o saco de lixo que deixamos na calçada. Quase nem notamos o responsável pela limpeza pública que varre e ensaca tudo que não foi devidamente jogado no cesto de coleta. Quem é a mocinha que repõe o estoque de bandejas de queijo na prateleira de supermercado? Também não a vemos, também não sabemos quem é. Até mesmo o cara que se veste de Papai Noel e fica na porta da loja conversando com os nossos pequenos.

São tantos os serviços prestados e que com certeza facilitam a vida diária; mas nem por isso nos damos conta. Estamos sempre com o pensamento em outra coisa, no próximo horário da agenda, no compromisso a seguir, que não nos lembramos de agradecer ou elogiar o cozinheiro pelo gostoso almoço que pudemos saborear, de dar um rápido bom dia para o gari que conosco cruza na rua.

Seres que não tem nada de diferente de nós, trabalham e comem, andam pelas ruas, em conduções que foram limpas por outros seres que também não são vistos por muitos, mas que estão lá. Cumprindo seus papéis para que o nosso dia seja melhor.

Na verdade é um conjunto de pessoas anônimas que nos ajudam a ter um dia mais gostoso; com uma comidinha saudável, bem mais leve. Com ruas mais limpas, o vagão do metro limpo, a plataforma que esta pronta para nos receber.

Somos todos visíveis e ao mesmo tempo invisíveis! Mas é bom saber que existe uma rede de pessoas que nos auxiliam a todo instante, a quem precisamos fazer o possível para perceber, cumprimentar e agradecer pelo fato de estarem mesmo que nos "bastidores" contribuindo e facilitando a vida.

Reconhecendo que sozinhos fica bem mais difícil dar conta do que temos que fazer em nosso trabalho, na vida pessoal ou social, afinal, é uma gama de pormenores do dia-a-dia, para podermos realizar qualquer um dos nossos propósitos de vida que bem pode ser o de "simplesmente ser feliz!" 
Cássia Marina Moreira


4 comentários:

Célia Rangel disse...

O trabalho, a vida em "rede" sempre existiu, apenas que como "autistas da nossa eficiência", não vemos e dificilmente agradecemos às pessoas que a integram para o nosso bem.
Bj. Célia.

JAN disse...

Oi Lena
Esse texto é um ALERTA!
Muito bom MEEEESMO.

Abração
Jan

Smareis disse...

Olá Lena,

Menina estava com saudades e dei uma passadinha pra ver as novidades. Ando muito ausente de blog e das comunidade.Por isso a demora em passar aqui.
Quanta verdade nesse textos. Quantas pessoas que fazem parte do nosso dia e nós nem a conhecemos pra fazer alguns agradecimentos ou elogia-los.Isso é a lei da vida, cada ser humano correndo de um lado pra outro e fazendo cada um sua função nesse mundo maluco.

Desejo que sua semana seja só de benção. Grande abraço!
Beijos no ♥♥♥♥

Calu disse...

Muito bem lembrado, Lena.
A autora toca em um assunto esquecido, mas importantíssimo no cotidiano de todos nós: os trabalhadores do bem-estar.Há um movimento de tempos pra cá, em promover o reconhecimento destes cidadãos eficazes, a começar na escola, que já há tempos tem sido incentivada esta prática de respeito e reconhecimento.
Bjkas,
Calu