17 de julho de 2012

Sexualidade precoce



Os pais sempre buscam conselhos de como educar os filhos por sentirem insegurança na adequação do futuro deles. Quando se trata de temas envolvendo sexualidade essa dificuldade aumenta bastante. Por isso se assustam quando descobrem que os filhos já têm vida sexual ativa, principalmente se aparece uma gravidez. 

Por mais que muitos pais queiram negar, os filhos iniciam cada vez mais precocemente a vida sexual. Os dados mais recentes do Ministério da Saúde apontam que, entre os meninos, 47% dos menores de 15 anos já tiveram a primeira experiência. Isso significa quase metade deles. Já o índice de meninas é de 33%. 

Durante anos os pais foram aconselhados a não protegerem os filhos e sim prepará-los para o mundo. Só que recentemente o mundo nunca teve tão poucos valores humanos definidos, sendo necessário repensar até que ponto a educação deve ser direcionada para manter seres humanos robotizados, sem identidade própria, descartáveis e tão influenciáveis pela mídia que parece ser a “nova escola da vida”... Esse mundo está interessado em seus filhos. E você está? 

Caso você faça parte dos pais que desejam a felicidade dos filhos, não busque modelos e fórmulas apenas na sociedade e, sim, invista para que seus filhos encontrem neles valores adequados à natureza deles, para que construam uma vida compatível a seus sistemas de crenças e valores. Também participe com os seus, pois eles precisam de referências de pais que investem em si para serem melhores pessoas. Se existe algo de bom num momento de tantas mudanças e descrenças, nos antigos modelos que existiam, é a liberdade da escolha de nossos próprios valores conscientes. 

Cabe aos pais definirem os valores deles de forma clara e honesta, para ter a permissão de serem bons educadores. Falo da necessidade de confiança, respeito, capacidade de dialogar e, com amor, conseguir manter a hierarquia de estar à frente dos filhos sempre que necessário nas situações de regras e limites. 

Vivemos numa cultura bastante erotizada e com isso nossos filhos poderão ter uma visão distorcida do sexo, tendo também a internet facilitando o acesso ao que quiserem. Os pais precisam acompanhar as atualizações da tecnologia, senão ficarão alheios à vida dos filhos. 

Tudo isso não é tarefa fácil, principalmente, em se tratando dessa fase que é a adolescência. O apoio familiar nesse momento é importante para fortalecer a memória das escolhas e decisões. A manutenção de um espaço para a relação de confiança entre pais e filhos, e do respeito das escolhas amadurecidas, são sagradas em todas as situações para conseguirmos ser parceiros na evolução da vida, sendo capazes também de seguir a favor de sentimentos de gratidão pela paz e não devedores de um mundo que parece estar com valores humanos à deriva, tão desalinhados... 

Fatima Bittencourt

3 comentários:

JAN disse...

E Lena, não é fácil criar filhos!!!

Abração
Jan

Leninha disse...

Uma boa orientação é essencial para a formação de nossos filhos.Um diálogo aberto e franco é ainda a melhor forma de mostrar o nosso modo de encarar a vida,sem que eles tenham necessidade de se "virarem"por aí.

Bjsssss,amiga querida,
Leninha

Ingrid disse...

não tenho filhos, mas agente ve por aí...
bela escolha amiga..
beijos