11 de julho de 2012

Vazio





Muito me pergunto pela atual sensação de insatisfação que tem movido todas as pessoas de um modo geral. Sejam adolescentes, adultos ou até mesmo os que caminham para a terceira idade.

Cada grupo reaje à sua maneira, mas ao final: “todos chegam à insatisfação permanente”. Não só como psicoterapeuta, encontro esse tipo de sentimento, pois ele está no dia a dia dos meus vizinhos, dos meus amigos, dos funcionários e até mesmo das crianças.

Estamos vivenciando uma busca infrutífera no materialismo, no status; importando-s mais em “ter” do que “ser”. Estão todos interpretando, mas no fundo a infelicidade tem aumentado incrivelmente.

Infelizmente, não adianta dizer que o mais importante é ser, pois as pessoas estão surdas e anestesiadas, ou talvez por quê não dizer: embriagadas com milhares de informações, com tempo escasso, com cobranças materiais e sociais, que não lhes dão o tempo necessário para pensar.

Não há como mudar o tempo, embora pareça que o tempo tem agora, menos tempo para passar; embora todos nós sintamos esta sensação, jamais poderemos alterar às 24 horas do dia na perspectiva que amanhã ou depois, tenhamos mais tempo para cuidar de nós mesmos.

Caso não coloquemos o pé no freio, nada irá mudar!

Temos que ter tempo para meditar, refletir, respirar fundo e parar. Parar para nós, por nós, por nossos familiares. Olhar em volta o que estamos fazendo nesta geração, deixando os problemas familiares, sentimentais e psico-emocionais de lado, para só visar “o ter”.

Já temos muitas coisas erradas: filhos desajustados, abandonados; maridos e mulheres insatisfeitos que se jogam de cabeça em sites de relacionamento, pois não encontram mais no companheiro, o tempo do romance, do jantar a dois, da esticada para dançar e namorar, esquecendo um pouco os problemas do “ter”, as famílias estão desmanteladas e doentes; o amor é artigo raro e em extinção; os grupos de amigos se perderam no tempo e os finais de semana em família ou com amigos, estes coitados.....

Pise no freio!!! Acorde, que ainda dá tempo para ser feliz. Ainda dá tempo para resgatar as coisas que lhe faziam feliz. Basta trocar uma letra no seu ritmo de vida e escolher “ser”

Ser feliz, amar, sorrir, brincar, curtir os finais de semana, sair do stress e sentir que deus está dando a última chance desta encarnação, para você mudar de uma só vez, tudo o que está errado nesta cobrança social do dia a dia.

Se apenas um, em cada núcleo familiar mudar, todos os que estiverem à sua volta, também mudarão. Dê o primeiro passo para a felicidade e descubra que ainda não é tarde demais para ser feliz! O planeta precisa de almas mais espiritualizadas para voltar ao seu eixo e nós também, precisamos novamente nos centralizar em nossos reais valores.


Edite Spiess 

2 comentários:

Evanir disse...

Minha Amiga.
Essa postagem de hoje serve para cabeça que deixou de pensar nos valores da familia.
Muito bem colocada a cada palavra sua
temos que modelar nossa vida de acordo com o tempo.
Acordar para vida realmente é tudo que mais desejo.
Amada diante de tudo que estou passando francamente preciso muito dos seus conselhos.
Tena certeza que sua postagem foi uma das melhores que li nos últimos temos.
Um beijo no coração minha amiga,Evanir.

Célia Rangel disse...

Nessa situação uma mudança é sempre bem-vinda!
Bj. Célia.