24 de agosto de 2012

Imperfeição



 
 
Uma das maiores fontes de insatisfação e ansiedade para o ser humano é a dificuldade em aceitar a si mesmo. Muitos se condenam por não ter o padrão de beleza imposto pelo mundo, por não possuírem a riqueza almejada ou o sucesso e o reconhecimento no campo profissional.

Sentem-se excluídos e indignos de admiração e respeito. O pior que pode acontecer a alguém é não se considerar digno aos seus próprios olhos. Ainda que o mundo inteiro nos condene, se tivermos uma autoestima sólida, nada poderá nos desviar da convicção de que temos valor, ainda que apresentemos alguma imperfeição.

Mas, quando isto não acontece, tornamo-nos vulneráveis ao julgamento do mundo, impondo-nos um esforço sobre-humano para nos encaixar nos padrões que, acreditamos, nos garantirá o amor e a aceitação alheias.

A perfeição é algo totalmente impossível de se alcançar, pois a comparação com os demais, sempre nos trará algum quesito em que seremos superados por outra pessoa.

Portanto, o melhor a fazer é tentar aceitar a nós mesmos de modo incondicional, buscando superar nossas limitações mas sem nos deixarmos dominar pela angústia e a infelicidade, quando isto não é conseguido.

Todos temos direito a respeito e consideração, não importa quais as condições sociais, econômicas ou raciais em que nos encontremos. Ter esta convicção arraigada dentro de nós é a única maneira de construirmos um mundo em que a discriminação, o julgamento e o preconceito estejam totalmente ausentes.

"....a primeira coisa é esta: pare de se julgar. Ao invés de julgar, comece a aceitar-se com todas as suas imperfeições, todas as suas debilidades, todos os seus erros, todos os seus fracassos. Não peça a si mesmo para ser perfeito - isso é, simplesmente, pedir pelo impossível e, depois, você se sentirá frustrado. Você é um ser humano, afinal de contas.

Olhe para os animais, para os pássaros; nenhum deles está preocupado, nenhum deles está triste, nenhum deles está frustrado. Você não vê um búfalo dando fricote. Ele está perfeitamente contente, mascando a mesma grama todos os dias. Ele é quase iluminado. Não há nenhuma tensão: há um tremenda harmonia com a natureza, com ele mesmo, com tudo como é. Os búfalos não criam partidos para revolucionar o mundo, para tornar os búfalos em superbúfalos, para tornar os búfalos religiosos, virtuosos. Nenhum animal está interessado nas ideias humanas.

E eles todos devem estar rindo: "O que aconteceu a vocês? Por que você não pode ser apenas você mesmo, como você é? Qual é a necessidade de ser uma outra pessoa?". Assim, a primeira coisa é uma profunda aceitação de você mesmo.

...As pessoas julgaram-no, e você deve ter aceito as ideias delas sem nenhuma investigação. Você está sofrendo de todas as espécies de julgamento das pessoas, e você está jogando esses julgamentos nas outras pessoas. E todo esse jogo desenvolveu-se além da proporção - a humanidade inteira está sofrendo disso.

Se você quiser livra-se disso, a primeira coisa é esta: não se julgue. Aceite humildemente sua imperfeição, seus fracassos, seus erros, suas faltas. Não há nenhuma necessidade de fingir outra coisa. Seja você mesmo: "É assim mesmo que eu sou, cheio de medo. Eu não posso andar na noite escura, não posso ir lá na densa floresta.". O que há de errado nisso? - é humano.

Uma vez que você se aceite, você será capaz de aceitar os outros, porque você terá uma clara visão interior de que eles estão sofrendo da mesma doença. E a sua aceitação deles, os ajudará a aceitarem-se. Nós podemos reverter todo o processo: aceite-se. Isso o torna capaz de aceitar os outros. E porque alguém os aceita, eles aprendem a beleza da aceitação pela primeira vez - quanta tranquilidade se sente! - e eles começam a aceitar os outros.

Se a humanidade inteira chegar ao ponto onde todo mundo é aceito como é, quase noventa por cento da infelicidade simplesmente desaparecerá - ela não tem fundamentos - e os seus corações se abrirão por conta própria e o seu amor estará fluindo".

OSHO, The Transmission of the Lamp 
 
 
Elisabeth Cavalcante

6 comentários:

Rô... disse...

oi minha amiga,

perfeito,
quando nos aceitamos,
nos amamos e estamos prontos para espalhar amor...

beijinhos

Mayla: Doida e Santa ;) disse...

Julgarás a ti mesmo, é o mais difícil, já dizia o rei ao pequeno príncipe, o fato é, a gente não julga, a gente já condena, gordurinhas daqui, cargo não almejado ali, dinheiro de sobra acolá, e assim a gente vai levando, infelizes por não termos e nem sermos tudo, boa colocação, bons argumentos, seu lugar sempre bom!

PARABÉNS! ;)

Mayla: Doida e Santa ;) disse...

Julgarás a ti mesmo, é o mais difícil, já dizia o rei ao pequeno príncipe, o fato é, a gente não julga, a gente já condena, gordurinhas daqui, cargo não almejado ali, dinheiro de sobra acolá, e assim a gente vai levando, infelizes por não termos e nem sermos tudo, boa colocação, bons argumentos, seu lugar sempre bom!

PARABÉNS! ;)

Falo Female Boutique disse...

Adorei.

LUCIMAR SIMON disse...

Otimo texto, faz pensar e repensar essa ditadura da beleza que impoe tantos padroes futeis a todos.

lindo... abraços

Zilani Célia disse...

OI LENA!
ESTOU VINDO DO FACE, SE AINDA NÃO FOR SEGUIDORA VOU ME COLOCAR AGORA.
QUANTO A TEU TEXTO, MUITO BOM.
TODOS DEVERÍAMOS RESPEITAR AS DIFERENÇAS, POIS SÃO ELAS QUE IMPULSIONAM O MUNDO, ACEITAR-SE É ESSENCIAL PARA O EQUILÍBRIO EMOCIONAL DE QUALQUER UM.
ABRÇS

zilanicelia.blogspot.com.br/
Click AQUI