8 de agosto de 2012

Livre arbítrio



Ninguém melhor que você pode saber o que é bom para a sua vida. Ninguém, com suas experiências, por mais frutuosas que tenham sido, poderá ditar o que você deve ou não fazer.

Quando estiver diante de uma escolha difícil... quando seu coração disser uma coisa e a razão, acompanhada de amigos, família, namorado ou namorada, disser outra, pense bem.

Não se deixe levar por uma coisa, nem outra. O coração é facilmente levado por emoções e tem tendência a fazer com que percamos um pouco a nossa razão, ou a capacidade de raciocínio coerente. O coração é um romântico incorrigível!

Mas a razão sozinha não poderá ditar as regras da sua vida. Nem tampouco os que convivem com você. É preciso levar em conta a suas necessidades de bem-estar. Fazer algo porque todo mundo acha que deve ser assim é absurdo.

É muito importante não magoar e nem decepcionar os outros, mas isso não deve ser às custas do sacrifício da própria vontade e necessidade de ser feliz. Ninguém, por mais próximo que seja, poderá decidir o que você vai viver. É sua vida! E você só tem essa!

É muito fácil dizer o que os outros devem ou não fazer. Não é por que se está de fora que vê-se melhor. A verdade é que decidindo por nós as pessoas tornam-se responsáveis pelas nossas escolhas. Mas isso, pode ter certeza, não passa pela cabeça delas. Se formos infelizes depois elas não vão dizer: "descanse, fique de fora que vou ser infeliz por você, pois a culpa foi minha." 

E, para falar a verdade, mesmo se fosse o caso, isso não seria possível.

Ninguém, sofrendo nossas dores, faz com que dôa menos em nós.
 
É digno e honesto cumprir promessas. Mas é desonesto cumpri-las somente por dever, sem que haja um real sentimento movendo essa decisão.

Ser honesto com os outros é muito bom. Mas, antes, é fundamental ser honesto consigo mesmo.

Por mais doloroso que seja, por mais difícil que possa parecer, libere-se do que pensam e dizem os outros. Pergunte-se: - o que eu quero para minha vida?

Uma coisa é certa: talvez você não saiba exatamente o que você quer, mas sabe muito bem o que não quer.

Quando seu coração estiver brigando com sua razão, tente pensar no que vai te fazer feliz a longo prazo.

Mas, mais importante ainda, feche seus olhos e se entregue nas mãos dAquele que nos conhece antes mesmos que fôssemos nós. Mas faça isso de verdade, com sua alma. Ele sabe do nosso amanhã. E Ele não vai decidir por nós, ou impôr, mas vai certamente nos colocar uma luz que vai clarear nosso caminho.

E fique atento... os sinais aparecerão. E você saberá qual o caminho escolher. 

Talvez as pessoas mais próximas não entendam, se isso vier a contrariá-las. Mas eu aprendi que na vida habitua-se a tudo.

Todo ser humano merece respeito. E os que te amam saberão entender.

E eu digo: tente encontrar o equilíbrio entre o que diz seu coração e a razão. 

A sua escolha será certa!


Letícia Thompson

4 comentários:

Elisa T. Campos disse...

Lena

Mais um magnífico texto de Letícia Thompson.

Temos sempre o livre arbítrio nas nossas decisões.
Mas o coração e a razão andam sempre entrelaçadas. Quando não consigo decidir pela razão, pergunto sempre ao coração e nunca me arrependo.

Um lindo dia.
Beijos.

Anne Lieri disse...

Lena,uma excelente cronica vc escolheu!Cada um é responsavel por suas escolhas!bjs e meu carinho,

Célia Rangel disse...

Como toda ponderação... não é nada fácil, mas temos sim que encaminharmo-nos para o equilíbrio que faz bem para nossa vida.
[ ] Célia.

Leninha disse...

Excelente texto,amiga Lena.Com a maturidade aprendemos a fazer as nossas escolhas,sem dar ouvidos às outras pessoas...mas esta maturidade demora a chegar!Vamos quebrando a cabeça,tropeçando e só depois de muitas quedas,muitos arranhões,vamos ter mais clareza para decidir o que realmente é melhor para nossa vida.

Bjsssss,Lena,
Leninha