22 de julho de 2010

O cavalo de madeira indiano



Era uma vez, na Pérsia, um rei bom e justo, mas muito curioso!



Um dia um nobre indiano apareceu-lhe numa festa com um cavalo de madeira. "Majestade", disse-lhe, "esta é a invenção mais extraordinária de todos os tempos!"



"O que é?", perguntou o rei, curiosíssimo.



"Um cavalo mágico capaz de o transportar para onde quiser num instante!"



"E o que queres em troca?", perguntou-lhe o rei, cada vez mais curioso.



"Quero casar com a tua filha!", respondeu-lhe o indiano. O rei ficou sem saber o que dizer, mas o seu filho Firouz ficou bastante irritado.



"Como te atreves!", gritou. "A minha irmã vale muito mais do que um cavalo!"



O nobre indiano insistiu. "Experimenta tu mesmo e descobrirás o seu valor!"



O príncipe Firouz montou o cavalo e desapareceu por entre as nuvens.



O rei da Pérsia vendo-o desaparecer, teve medo de nunca mais o voltar a ver. Furioso, chamou os guardas e ordenou: "Metam o indiano na prisão! Se o meu filho não voltar são e salvo, cortem-lhe a cabeça!"



Montado no cavalo, o príncipe Firouz voou pelo mundo inteiro. Por mero acaso, resolveu parar no palácio real de Bengala. Entrou e descobriu um quarto onde dormia uma bela princesa.



Pé ante pé, o príncipe aproximou-se e resolveu despertá-la. "Sou o filho do rei da Pérsia", sussurou-lhe, "Cheguei até aqui num cavalo encantado. Se quiseres posso contar-te a minha história!"



Fascinada com a beleza do jovem, a princesa ouviu-o com atenção. Depois, conversa atrás de conversa, acabaram por se apaixonar e decidiram regressar à Pérsia para casarem o mais depressa possível.



Saíram no cavalo encantado e num instante chegaram a casa.



O rei ficou muito feliz por voltar a ver o filho e mandou logo libertar o indiano. O indiano, porém, estava muito ofendido e queria vingar-se. Assim, naquela mesma noite, raptou a princesa de Bengala e fugiu com ela no seu cavalo mágico.



Quando viu que a sua amada tinha desaparecido, Firouz procurou-a por terra e por mar, até que um dia um viajante lhe disse: "Ouvi falar de uma princesa prisioneira de um indiano. A pobrezinha faz-se de louca para não ter de casar com ele."



O príncipe percebeu que se tratava da sua princesa, e logo inventou um plano para enganar o indiano. Disfarçou-se de velho e foi ter com ele: "Escuta, eu sou médico e sei como curar a tua noiva!"



"Sabes curá-la? Então diz-me como vais fazer!", exclamou o indiano.



"Traz-me o cavalo encantado e a princesa."



O indiano obedeceu e trouxe à presença do rapaz a jovem e o cavalo.



Firouz abriu então um frasco de perfume de onde saiu um fumo branco muito denso. Escondidos pela névoa, os príncipes conseguiram fugir montados no cavalo encantado, que os levou de novo à Pérsia.



Mas desta vez tudo correu bem! Firouz casou-se com a princesa de Bengala e partiu para uma viagem de lua-de-mel inesquecível!


Postei esta fábula para celebrar a união de 
minha adorável princesa com seu maravilhoso príncipe e
que o cavalinho encantado de madeira que eles possuem,
leve os meus queridos, sempre,  
pra onde existir  a felicidade! 
 
Do livro "Fábulas maravilhosas", Porto Editora.

2 comentários:

Juliana disse...

Ameeeeeiii!!!
Mas ainda bem que na nossa história não tem nenhum indiano.... rsrsrs
Te amo!!!!

Beatriz Helena disse...

Queridas,
nas histórias de amor existe sempre um 'indiano', são os problemas, as chateações, o dia a dia, os desafios que temos que enfrentar para ficarmos juntos de quem amamos.
Que na sua vida, sobrinha amada, assim como na
fábula, o amor possa ser vivido em sua plenitude superando todas as barreiras.
beijo muito carinhoso para mãe e filha