29 de dezembro de 2010

Cães versus percevejos



Aqui no Brasil os percevejos não são um problema tão corriqueiro quanto nos Estados Unidos. Lá eles são chamados de bedbugs, “bicho de cama” na tradução livre. O nome indica onde eles costumam estar: camas, sofás, estofados… E se tornaram uma epidemia em lares, cinemas, lojas, escolas, escritórios e outros estabelecimentos em todo o país. Mas parece que os americanos já encontraram uma solução para o problema: cães farejadores de percevejos.

Fofinhos e armados com ferramentas de olfato bastante sofisticadas – seus focinhos –, esses cães estão se tornando o equivalente americano do São Bernardo que resgata os perdidos na neve nos Alpes. Eles visitam o local e indicam a presença ou não do inseto. Aí o dono contrata uma empresa dedetizadora. Propagandas comerciais exaltam a perícia e a eficácia dos cachorros em até 98% de precisão. Em Nova York, um beagle farejador chamado Roscoe se tornou tão conhecido – ele tem uma página de Facebook e agora um aplicativo de iPhone – que muita gente confunde beagles parecidos com ele.

Mas a eficácia não é 100%: alguns cachorros dão falsos alertas da existência do percevejo. E há temores de que um aumento dos chamados “falsos positivos” prejudiquem a credibilidade e os negócios. E detedizar um imóvel sem necessidade custa bastante dinheiro. Num condomínio em Manhattan, um cachorro indicou percevejos em um terço dos 50 e poucos apartamentos, embora vestígios físicos da praga tenham sido encontrados apenas em cinco, de acordo com um morador. Ele resistiu à pressão do comitê do condomínio de contratar um tratamento de US$ 1.500 porque sua família não foi mordida pelos insetos, nem viu vestígios deles.

Os falsos alertas podem ser feitos por cachorros mal ou bem treinados. Os cães podem captar cheiro de percevejo transmitido por roupas ou pela ventilação de um apartamento vizinho. O cachorro, obviamente, não consegue comunicar gradações de intensidade. Mas se não há inseto, não há mordida – e esta sim deve ser uma evidência por que as físicas são especialmente difíceis de ver. Um percevejo pode ser do tamanho da ponta de uma caneta; suas fezes são do tamanho de um ponto de tinta.

Laura Lopes

2 comentários:

Sônia Silvino disse...

Lena querida!
Enquanto o Ano Novo não vem,
eu venho ler as novidades e deixar uma reflexão para você:

"Mais um ano chega ao fim.
Para alguns marcados por extrema alegria
Para outros embargados de dor.

Nesse momento é hora de refletir.

Como foi nosso ano?
Conseguimos conquistar nossos ideais?
Será que relamente lutamos por eles?

Demos o abraço que nosso irmão tanto queria, ou viramos as costas não se importando com ele?
Pedimos perdão pelas nossas falhas, ou o orgulho não deixou?
Fomos amigos e companheiros com nosso colega de trabalho, ou simplesmente fazíamos nosso trabalho sem se importar com o outro tão perto de nós? Estivemos presente na vida de nossos filhos, de nossos maridos, esposas?

Enfim, depois de tantas perguntas nos vêm mais uma pergunta:
Será que teremos uma outra chance?
Para um pedido de desculpas,
Uma reconciliação,
Uma dúvida não respondida
Um amor encontrado
Uma dor desaparecida
Um grito de alívio
Um beijo, um abraço que não foi dado?

Meu Deus... nos dê forças, nos dê saúde, nos dê a chance de fazer o que deveria ser feito, consertar nossos erros, de sermos amigos, companheiros, compreensivos, mãe, pai, filha, filho, esposa, esposo.

Nos dê a chance de viver cada vez mais o amor verdadeiro de Cristo."

A todos os blogueiros amigos e talentosos, um Ano Novo cheio de sucesso, amizades e muita felicidade!
Em especial a você que tem um lugar cativo no meu coração: Feliz 2011!
Beijos, muitos!
Sônia Silvino's Blogs
Vários temas & um só coração!

LENA disse...

Obrigada, Sonia, você empre tão querida! Antes do final do ano, ou seja, até amanhã vou dar uma passadinha nos seus blogs. Tudo de bom pra vc em 2011. Vamos conservar nossa amizade! Bjs.