18 de maio de 2011

Combata o medo de se envolver com alguém




Não são poucos os que estão na corda bamba entre o desejo de amar e o medo de se ferir. E conseguir amar é justamente não se deixar engolir por esse medo. Desilusões, frustrações, decepções amorosas acontecem. O importante é compreendê-las.

Uma busca de diversão, uma série de jogadas ao mesmo tempo tentadoras e ameaçadoras é que leva as pessoas a um número bastante grande de encontros, desencontros e reencontros. Os “namorantes” vêm de muitos cantos e convergem em alguns pontos da cidade. Todos partilham as mesmas crenças, ou seja, acreditam que estão em busca de alguém que vai tornar sua vida mais rica, diferente, excitante. Buscam se encontrar para abrir novas portas. Querem dar a sua vida uma nova dimensão.

A maioria das pessoas que estão procurando um possível companheiro íntimo nunca se encontrou antes, mas, como estranhos num navio, rapidamente se abre, confessa sua ilusão, sua esperança, como também o medo e a desilusão. Todos estão em busca de amantes, mas uma vez por outra, encontram “odiantes”. Isso cria muitas dúvidas. Todos já fomos decepcionados, frustrados e rejeitados de alguma maneira, todos já fomos menos amados do que queríamos.

Na terra do desejo somos livres – “eu quero, eu posso” - , mas, quando voltamos à realidade, olhamos nossa vontade cara a cara e vemos que é limitada. Quando ocorre um encontro, todos queremos evitar sermos machucados, nos sentirmos presos numa armadilha ou sermos abandonados.

Há momentos em que temos a impressão de que a vida e as relações são uma sucessão de experiências sem significado. Saímos de uma relação para outra com necessidade de esconder os próprios sentimentos ou as próprias dúvidas.

Muitas mulheres que se transformaram em “gatas escaldadas” pelas suas perdas juram pelo fundo de sua caixa de lenços de papel nunca confiar novamente. Por outro lado, a maioria dos homens se entorpece, lacra sua decepção no copo de um bar, provando uma bebida atrás da outra até que chega uma hora em que não se sabe mais o que está bebendo nem muito menos sentindo: desilusão, raiva, irritação diante do conhecido e dos desconhecido.

Um segredo em relação às perdas é encara-las em vez de fugir delas, porque isso diminui seu poder. Antes de buscar alívio para a dor é importante compreende-la: caminhar com calma para dentro dela. Logo abaixo da superfície de qualquer dor encontram-se, com freqüência, medo ou raiva escondidos. Em vez de ficarmos sendo jogados de um lado para o outro por esses sentimentos, podemos reconhecer o que está acontecendo e tentar “pular fora”. Em outras palavras, quando podemos abrir um espaço para o sentimento e ficar na beirada, nos situamos. Ainda sentimos o calor da fogueira, mas as chamas não nos queimam mais. Se conseguimos criar algum espaço, uma “distância protetora”, não nos sentimos mais vulneráveis ou indefesos, ou seja, encaramos nosso medo ou nossa raiva sem sermos totalmente engolidos por eles.

Apesar de “pular fora” ser algo simples de explicar, nem sempre é fácil de conseguir, especialmente quando se trata de amor. Nosso amor por outra pessoa remexe nossos sentimentos, atiça fogo em nossas incertezas, em nossos medos, como também em nossos desejos.

Sempre que se apresenta uma nova possibilidade, há medo. Nós nos defrontamos com ele quando existe contato, quando nos sentimos afetados, tocados, pelo outro. Antigamente se dizia: “Amar é não sentir medo”.Entretanto, essa é uma explicação bastante simplista; amar é, mais do que tudo, não se deixar ser engolido pelo medo. A sensação é a de ficar na corda bamba entre o desejo e o temor. Balançamos de um lado para o outro. Aproximar-se de alguém inevitavelmente cria um desafio. Nós só iremos descobrir o que fazer quando tivermos a coragem de sentir e fazer uma escolha, pois o medo adverte: “Cuidado”. Mas a vida diz: “Arrisque”. Afinal, a única saída continua sendo o amor.



Maria Helena Matarazzo

28 comentários:

Fernanda Iasi disse...

Lena, como somos " da noite", né? Te leio sempre a essa hora...rsrsrs... Bjo

Paulo Francisco disse...

Sinceramente! Me vi neste texto. Muito, muito bom.
Um beijo grande.

Meire disse...

Lena querida, o amor esse companheiro tão sorrateiro. Chega nas horas mais imprevistas. E quando somos magoados é muito difícil não nos tornarmos pessoas mais frias, exatamente por esse medo que ronda, medo de sofrer mais uma vez, medo de passar o que já passamos lá atrás. Eu admito, nesse ponto tremo de medo de me jogar de cabeça sim. Fico sempre com os dois pés atrás. Mas acredito que quando eu estiver pronta para uma nova vida, um novo amor eu vou conseguir me arriscar. Amém, né?!!!!
Belo texto florzita, vc arrasa nas escolhas. Um bjo gigante e meu carinho ;)

José Sousa disse...

Querida amiga Lena!
Ainda bém que me idicou este seu espaço. Gosto do outro, mas deste muito mais. Te prometo que os seguirei. Quanto ao lugar onde teu pai nasceu "Barcouço" conheço muito bem e fica perto do lugar onde vivo, ainda á 15 dias lá passei. Se quizeres pesquizar o Google Hert, escreve "Portugla" depois escolhe "Mealhada" de seguida escolhe opção trajectos e escreve "Barcouço" logo vai aparecer a terra onde teu pai nasceu. É a zona mais famosa de Portugal, devido ao prato famosa "Leitão á Mealhada".
Qualquer coisa, estou aqui. meu e-mail: kwachta@hotmail.com

Um beijo.

* Verinha * disse...

Com certeza no amor, vale a pena arriscarmos e enfrentarmos o medo!

Beijoquinhas super em seu coração Lena!

Verinha

Alê disse...

Uma triste realidade,

Relações cada vez mais rápidas, superflúas, passageiras,

Sem troca, sem crescimento,


Precisamos repensar o que queremos e o que fazemos, e deixar o medo de lado,

ValeriaC disse...

Excelente texto...
Infelizmente a maioria das pessoas buscam se encontrar ao encontrar o outro..isso é impossível.. enquanto não estamos bem conosco, fica difícil ficar bem em algum relacionamento...na verdade, ninguém completa ninguém. Temos que ter a coragem de olhar para nós mesmos, investirmos em ser seres inteiros que buscam compartilhar sentimentos e momentos com alguem, mas sem dependência, sem medos.
E isto só se torna possível, quando vamos fundo em nós mesmos, nos conhecendo, nos fortalecendo, para viver com coragem, deixar de lado o medo que só atrapalha.
Beijos e lindo dia pra ti...
Valéria

нєllєи Cαяoliиє disse...

Verdade!
e como mais poderíamos saber se não nos arriscar?
mas às vezes é tão difícil,que ficar quietinha sem arriscar ser feliz ou triste,é a melhor coisa.
que este medo não me impeça de viver.
Beijo grande,Querida Lena*

Leandro Ruiz disse...

Lena é sempre bom regressar aqui e ler tantas inspirações...

"No equilíbrio da vida se esforce para não despencar e atingir o fundo mas se isto acontecer escale novamente as paredes da dificuldade e chegue ao topo com mais força naquilo que o fez cair." (Bob Marley)

Abraços: Leandro Ruiz

www.lleandroaugustto.blogspot.com

www.eu-e-o-tempo.blogspot.com

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Lena
Quem sofreu por amor , sempre vai estar com um pé atrás. Mas acredito na frase: "Melhor uma recordação, por mais triste que seja, que nada ter de amor pra recordar".
Bjux

Đeh Olliveira ♪ disse...

Bom dia ^^

Não importa o que os outros falem, eles serão sempre os outros.
Só nós sabemos o que nos faz feliz.

Doce Beijo.

Peônia disse...

Parabéns pelo post! Vale como reflexão sempre!
Beijo grande!

Daniel Hiver disse...

o teu texto fala coisas certas... ousaria dizer que em muito penso igual...
É preciso não ter medo... É preciso...
Os céus sempre estão abertos para vôos acima das nuvens...

Aleatoriamente disse...

Muito bom!
Gostei de ler.
Lena, vim te deixar um beijo moça.

Com muito carinho.
Fernanda

Calu disse...

A efemeridade em que se situam as atuais relações pessoais não trouxe nenhum benefício ao entendimento e aproximação entre as pessoas. Vai deixando rastros de almas endurecidas, amedrontadas, encolhidas em suas desilusões e cada vez mais solitárias.O medo engole o desejo de ser par.Isso é lamentável.
Apesar deste cenário, creio no movimento cíclico da vida que já começa a dar sinais de reviravolta após tantos enganos fúteis. Muitas pessoas estão redescobrindo a magia do encontro e apostando na solidez duma relação amorosa.
È sempre muito bom conversar contigo, Lena,pois vc traz assuntos interessantíssimos para a roda!
Bjinhos, linda,
Calu

Só pra você disse...

querida Lena, é sempre bom lêr tuas palavras, teus ensinamentos, como gosto desse cantinho, viu? eu também já sento esse medo, medo de apostar no amor, medo do que não sabemos, porém no final não conseguimos resistir e acabamos apostando mesmo. Parabens querida, linda!

Beijocas em você.

Luar disse...

Lena

Temas sempre interessantes e muito bem estruturados.
Houve uma frase neste texto que me marcou profundamente.
Saímos na maioria das vezes de uma relação para outra, a fazer um padrão de repetição, na incessante busca do perfeito que não existe.
Esquecemos algo muito importante, não repetir erros passados, nem permitir erros do passado.
E no dia em que entendermos que nada é perfeito mas também não há imperfeito, talvez seja mais fácil deixarmos de ser "gatas escaldadas".

Um beijinho

Luar

Cafundó disse...

Lena, não há amor sem riscos, não amadurecimento sem perdas...
Beijo na alma!

C. disse...

Amiga,

é normal quebrar a cara e ficar receoso, mas essa dexintoxicacao precisa ser feita pra podermos logo nos sentirmos mais fortes pra arriscar novamente. Se bem que, pelo que vejo, ainda continua melhor estar sozinha do que mal acompanhada. Eu sinto pena das solteiras que pretendem encontrar um amor...

Beijo grande Loira!!!

mfc disse...

A única saída, é verdade, continua a ser o Amor!
Tenho medo de me magoar, mas é preciso tentar sempre ser feliz!
E eu desejo-o... imensamente.

Aninha Zocchio disse...

Lena, tudo bem?
Fiquei feliz com sua presença em meu blog.
Passei aqui para retribuir a visita mas certamente serei sua seguidora. Tudo tão lindo!!
Vou ler seus textos com calma para comentá-los.
Abraços!

Vera Lúcia Duarte disse...

PARA QUEM JÁ SE DECEPCIONOU É NATURAL FICAR NA RETAGUARDA.
MAS VALE O RISCO.
O AMOR É SENTIMENTO MOTIVADOR NA NOSSA EXISTÊNCIA. VALE ENQUANTO DURAR.
BEIJO.

Tatiana Kielberman disse...

Lena, querida...

Passar por aqui é sempre parar e absorver lições essencialmente importantes pra vida!

Adoro e não vou embora nunca mais!!

Beijos!

http://daremdoido.blogspot.com/2011/05/isso.html

Um Toque de Afeto disse...

Ola Querida Lena...

Belo post...bela escolha...parabens!

Bjokas e boa semana!

MARILENE disse...

Sempre seremos vulneráveis, dentro ou fora do amor. Em ambos os lados há riscos. E é melhor corrê-los tentando .

Beijos

NEUSINHA BROTTO disse...

Amiga,
Me vi neste texto rsrsrs
É bem assim mesmo...
um beijo

Nathália Bulgaro disse...

Olá, obrigada pela visita, surpreendente esse texto adoreii
ja estou de seguindo
bjinhos

Luísa Q. disse...

Cara Lena,
Parece que este texto foi escrito para mim.
Concordo com tudo, mas algumas feridas na alma são tão profundas, que por mais que eu saiba que para acertar há sempre a chance de errar, na hora h o medo ainda toma conta.
Obrigada pela mensagem.
Fique com Deus.
Bjs
Lu