11 de maio de 2011

Solteiros por opção




Pesquisas indicam que aumenta o número de solteiros em todo o mundo. Será que a solteirice está se tornando uma opção? Ou podemos falar em uma dificuldade cada vez maior de amar? Eu prefiro ver a questão como uma escolha que você pode fazer consciente ou inconscientemente.

A tendência de muitos é acusar os outros pelo fato de estar só. Frases como “Os homens não querem saber de nada” ou “Ainda não encontrei a pessoa certa” tentam justificar o porquê você ainda não se casou. Mas são apenas justificativas para quem se vê na obrigação de estar junto de alguém, casar, etc.

O que percebo é que as pessoas dizem uma coisa, enquanto que, no fundo, querem outra. Explico melhor. Para casar, você teria que abrir mão de muitas regalias que conquistou no caminho individual, quer seja a liberdade de ir e vir, não dar satisfação a ninguém, sua carreira profissional, o conforto de fazer da sua vida o que bem entender, de não ter dependentes, a diversidade de companhias, o conforto da casa de seus pais, etc. Mas como não somos seres lineares e coerentes, também temos dentro de nós um lado que quer uma companhia fixa, que quer desenvolver uma relação.

O que precisamos entender muito bem é de onde vem a ordem de encontrar um par. Para que você precisa de alguém ao seu lado? Para satisfazer a cobrança de sua família ou dos amigos? Ou porque todo mundo deve casar e ter filhos? Ou você quer uma companhia do fundo de sua alma?

Outra questão importante é: se você realmente quer namorar ou casar? Pergunto isto porque vejo muita gente dizendo que quer um envolvimento, mas não entende que, para se relacionar com mais profundidade é preciso ter profundidade. Um relacionamento amoroso só sobrevive se você desenvolver algumas virtudes como a paciência, a tolerância, a humildade, a autoestima, o respeito, a lealdade. E se você quer muito um amor para sua vida, mas não se propõe ser uma pessoa melhor, nada feito. É pura ilusão da sua parte.

O amor nunca esteve em sua forma mais livre. A cobrança para você casar é bem pequena se comparada a que havia há alguns anos atrás. Então, ter alguém ou não é hoje muito mais uma opção que um dever. Eu diria até que namorar ou casar é uma espécie de talento que uns têm mais que outros.

Todos nós temos o direito de amar, aliás, eu aconselho que todos tenham esta experiência única na vida. Mas este direito só pode ser exercido quando se tem capacidade de construir uma relação. Nisso podemos trabalhar. Existe a possibilidade de mudar. Nem sempre os padrões de relacionamento que aprendemos com nossa família funcionam bem. Por isto é deve-se fazer uma reavaliação destes padrões. E para sair de alguns condicionamentos arraigados em nosso corpo e em nossa psique é preciso de muita consciência.

Por isto, a saída agora é entender a solteirice de outra forma. Cada um precisa descobrir sua forma autêntica de amar. Melhor ainda, descobrir que solteiro também ama. Basta ter criatividade para estabelecer relacionamentos verdadeiros e únicos.


Sergio Savian

26 comentários:

Meire disse...

Lena,
Hoje em dia é oito ou oitenta, ou as pessoas querem só brincar ou querem algo sério. Cada um tem seu tempo, mas acredito que muita gente se casa pra não ficar sozinho, isso é um perigo; casamento é coisa séria demais, tem que ter muito amor, aliás tem que tem amor senão não "vira". Eu por exemplo, estou sozinha no momento, mas nem por isso to correndo puxando os cabelos desesperada por isso. rsrs Tudo acontece na hora que tem que acontecer e tenho certeza de que irei encontrar um cara bem legal um dia...sem pressa, sem neura!
Muito boa a escolha de hj Florzita =) Seus textos ajudam a pensar bastante sobre coisas que estão lá no fundo do âmago! Espero que esteja bem querida, bjo gigante pra ti com carinho, Meire.

soniaconsult disse...

Eu tenho talento para as vezes querer ficar solteira às vezes...srsrs
OLÁ LE-NAAAAAA
Saudades?
Eu tbm!!
Por motivos "trabalhísticos" estive ausente.
Mas tenha certeza de que continuo com o mesmo carinho.
Beijos e beijões...

Rô... disse...

oi Lena,

nossa adorei a reflexão,
perfeita,
amar não está vinculado a nenhum estado civil,
o que se vincula na verdade são as responsabilidades legais de tal passo...
amar é para todos indistintamente...

beijinhos,
minha linda

C. disse...

Sergio Savian é bom também hein amiga! Ele dá palestras no Brasil todo sobre relacionamentos, e também promove encontros, (mas você deve saber já) é bem legal.

Ter alguém ao lado parece fácil, eu sempre sonhava que era assim, talvez porque nunca namorei sério na vida. Mas agora vejo que a compreensão tem que ir além do amor, bem além.

Beijos de inspiracao pra você de cá! :->

Meire disse...

Olha eu aqui "travez" rsrs Querida, deixei um selinho (meu primeiro) pra vc lá na página Selinhos, o selinho adorável. bjos =)

Lucimar Sant`Ana disse...

Lena bom dia,

Fiquei muito feliz por ter recebido sua visita e seu comentário muito me deixou contente.
Já em relação aos que tem essa opção, entendo que cada um é livre para tomar a decisão que quiser.
No entanto tem um fato ai que muito me assusta, é o valor que se pode dar a família. Com o casamento vem a família que hoje ainda é a maior instituição.
Infelizmente é uma tendência hoje no mundo.
Muito boa escolha no tema.
Tenha um resto de semana iluminada.
Beijos.

нєllєи Cαяoliиє disse...

É um tema muito interessante a ser discutido!
e olha,concordo com Sergio Savian,muitos estão solteiros por opção. Estar com alguém é a coisa mais difícil na vida,que exige muito de nós,e talvez seja por isso os muitos términos de namoro e casamentos por aí,na primeira queda,escolhem não cair junto com aquela pessoa,mas pula fora do barco(porque é mais fácil)
Lena,vim visitar-lhe.
Gostei muito daqui,tanto da beleza,como no conteúdo!
Já sou nova seguidora :)
Beijo grande*

Tatiana Kielberman disse...

Renovar o olhar e refiná-lo é importante sempre, em todos os momentos da vida!!

Viva a solteirice... sou adepta!

Hehehe...

Beijo, querida!

shan-Tinha disse...

para tudo há um tempo e para o amor, quando ele acontece não tem não queria, não quero, é arrebatador, é o coração não a razão que comanda!
madame shan-tinha sabe hehehe!
bj!

welze disse...

Lena, minha linda, tenho na família mulheres solteiras, viúvas, divorciadas, enfim, são mulheres sem homens, pelo menos que sejam seus pares em seus lares, e são muito bem resolvidas. Não querem outra vida. Bom assim, não é mesmo? Namoram, se quiserem mas casar não é mais o melhor para elas. beijos

soniaconsult disse...

http://niverdeamigos.blogspot.com/2011/05/amanha-tem-aniversario.html

Cristiane Moreira disse...

São muitos os motivos que levam alguém a se aventurar em busca de um casamento.
Medo da solidão, cobrança dos amigos e familiares e até mesmo interesses financeiros. Estou vivendo um casamento há um ano, e mesmo com pouca experiência posso dizer que o único motivo pelo qual vale a pena casar e assumir um relacionamento sério é o Amor. Se existe amor entre duas pessoas vale a pena a vida a dois, mesmo com os problemas que querendo ou não todo casal tem que enfrentar. Mas se não existe o melhor mesmo é dá tempo ao tempo até que um dia esse sentimento especial brote no coração e a pessoa responsável por isso apareça.

Olá Lena, conhecí teu blog por acaso através do "Interioridades" e amei esse espaço que tem textos maravilhosos e de muito bom gosto.

Beijos, passarei sempre por aqui.

Marcelo Portuária disse...

A expressão tem aumentado o individualismo; programas de televisão, badalação noturna, arte e trabalho, tudo contribui para um isolamento que perpetuasse em favor da sobrevivência imposta pela realidade.
Penso que a pessoa que tem prazer pela vida e ama valores e ideais, tem enorme possibilidade de ser feliz tanto sozinha, como também após o matrimônio.
A estrada do amanhã para alguns, necessita da companhia, na divisão das elocubrações, nas ilusões e sacrifícios, no apogeu qualquer de um entardecer.
Porém, o grande perigo, talvez seja o improviso da vida mecanizada pelo que citei, tal qual, a vida passa e não conseguimos construir algo sustentável.

Parabéns pela crônica, escreves bem: deveras!

Sucesso.

Marcelo Portuária

Visite: cidadaniadoscapitais.blogspot.com
alfarrabiosdeoutrora.blogspot.com

* Verinha * disse...

Excelente esse texto Lena!.. De fato nos dias de hoje muitas visões foram modificadas.. eu diria até evoluidas. Não acredito que para viver um amor e nem para que haja um envolvimento mais profundo seja necessário um papel passado.

Beijocas super em seu coração..
Verinha

Marly Bastos in "palavreados ao vento" disse...

Savian explica muito bem esse tema. Realmente hoje, as pessoas tem medo de enveredar por um relacionamento e perder conquistas. Esquecem que se relacionar é doar, é partilhar, é renunciar às vezes, sem que isso se torne peso ou um rio de amargura.
Beijos querida e parabéns pela postagem.

MARILENE disse...

Acredito que o mais importante, quando se vive só, é não fechar as portas, pois pode haver algo muito bom do lado de fora. O resto é consequência. O amor, se chega, deve ser espontâneo, não procurado desesperadamente, como fazem alguns. Com o passar do tempo e depois de muitas conquistas individuais, fica difícil partilhar tudo. Estou nessa fase. Vivo muito bem comigo. Mas não dispenso a possibilidade de amar. Só que com algumas restrições, como não partilhar o mesmo teto. Se está certo ou não, não importa. Para mim está ótimo assim (rss).
bjs.

♪ Sil disse...

Lena amada!!

Eu sinceramente acho que as coisas hoje estão muitoooo complicadas.
Muita liberdade, facilidade, por isso a mairia das pessoas hoje não querem um relacionamento sério.
Na verdade, eu não gosto muito do dia de hoje. A evolução tem que existir, mas nesse sentido dou valor ao tempo dos meus pais.
Repito: Sexo hoje é fácil, as pessoas estão ai nas baladas, enfins, porque muitos homens iriam querer se prender?
Claro que tem muitas excessões, óbvio, mas acho que é como ganhar na loteria rs.
No meu caso, eu estou solteira, além das imensas decepções, porque quero tbm.
Não tenho mais paciência pra entender a cabeça de um homem, e na verdade, eu amoooooooo minha solteirice, de verdade.
Talvez um dia eu mude de opinião, mas nesse meu momento, eu to bemmmmm demais comigo mesma.

Um beijooooo!

A arte não reproduz o que vemos. Ela nos faz ver.. disse...

BOA NOITE MINHA QUERIDA AMIGA,LENA, VENHO POR MEIO DESTA AGRADECER SUA VISITA EM MEU BLOGGER,,,,,,Que posso desejar para hoje ?
Que as verdadeiras amizades continuem.
Que as lágrimas sejam poucas, e compartilhadas.
Que as alegrias estejam sempre presentes
e sejam festejadas por todos.
Que o carinho esteja presente em um simples olá,
ou em qualquer outra frase,
mesmo que digitada rapidamente.
Que os corações estejam sempre abertos
para novas amizades, novos amores,
novas conquistas.
Que Deus esteja sempre com sua mão estendida
apontando o caminho correto.
Que as coisas pequenas como a inveja
ou desamor, sejam retiradas de nossa vida.
Que aquele que necessite de ajuda
encontre sempre em nós,
uma animadora palavra amiga.
Que a verdade sempre esteja acima de tudo.
Que o perdão e a compreensão superem as amarguras e as desavenças.
Que este nosso pequeno mundo virtual seja cada vez mais humano.
Que tudo que sonhamos se transforme em realidade.
Que o amor pelo próximo seja nossa meta absoluta.
Que nossa jornada de hoje esteja repleta de flores.
Que a Felicidade momentânea da Vingança ,
ceda espaço para a Felicidade eterna do Perdão.,,,,,,,((((ARLINDO))))

Blogando com Bebeth disse...

Lena vc tem arrasado nos textos!
E nem precisa se desculpar comigo por nada.
Claro que quando deixei meu comentário aqui acabei deixando passar pontinhas de tristeza.
Quem não sentiria assim, diante de muitos sonhos destruidos?
Mas muitas outras coisas e realizações vieram em compensação a tudo isso.

Me casei muito jovem (18 anos).
Assumi todas as responsabilidades de esposa e mãe e durante 21 anos de casamento nunca deixei a desejar.

Meu ex esposo até hoje não fala NADA contra mim.
Sempre fui mãe e esposa perfeita.
E talvez tenha sido este meu erro.
(rs)
Quando a gente se doa demais, acabando esquecendo da gente mesma ... se amando menos.
E foi o que aconteceu!

Em primeiro lugar na minha vida vinha meus filhos e meu marido.
Depois eu "pensava em pensar" em mim.
E daí ... como alguém poderia me amar se nem eu mesma me amava?

Foram 21 anos de tentativa de manter um lar, a familia, o casamento.
Até que fui me descobrindo e percebi que poderia viver sem ele.

Foi então que me separei e hoje vivo muuuito melhor!

Agora são 12 anos de separação (com divórcio) e neste tempo, criei meus filhos, construi minha empresa, descobri minha fé, fiz novos amigos, me tornei internauta (rs),comprei meu primeiro carro com meu dinheiro, sou reconhecida na minha cidade pelo meu trabalho e pela minha garra e tantas outras coisas mais aconteceram.
Só tenho a agradecer.

Blogando com Bebeth disse...

... E ele?
Ele se juntou com uma das muitas mulheres com quem me traiu.
(20 anos mais jovem que ele)
Foi criar os filhos dela com outros homens.

Teve sua empresa totalmente no buraco há 4 anos atrás, quando na mesma época sofreu um acidente e perdeu a perna direita.

Precisou recorrer a mim e aos nossos filhos para ajudá-lo em seus negócios, pq a mulher não tem preparo nenhum para isso.


Ajudamos no que pudemos(acho que até além do que deveríamos) e ele seguiu sua vida.
Hoje somos amigos.
Olho pra ele e sinto pena de ve-lo tão acabado, desgastado, com uma mulher que só pensa em futilidades e correndo atrás dos filhos que ele desprezou e que hoje não conseguem sentir por ele amor de filho por pai.

São as colheitas que fazemos ao longo da vida!
Mas posso dizer que tenho muuuitas histórias pra contar e que sou feliz.

Mais ainda em receber seu carinho, sua atenção e seu xamego.
Quem não gosta disso?
rs
Obrigada por tudo ... por vc ... pelo espaço ... pelo "ouvido" virtual.

Sei que aqui não é um lugar adequado para deixar tantas coisas pessoais, mas essa é minha vida.
De novo, desculpa o testamento!
(Reparou que ele cresce cada vez mais?)
rs

Beijos com carinho
Beth (e) Bebeth (e)

Vou te contar um outro segredo:
Me chamo ElizabetE ... então o correto seria mesmo Bete, Bebete ... é que as vezes a gente cisma em ser chic beim!
(kakakaka)

Vera Lúcia Duarte disse...

OLÁ LENA,
ENTENDO QUE O MUNDO MODERNO ABRIU O LEQUE DE OPÇÕES.
ANTIGAMENTE, O CASAMENTO ERA INDISPENSÁVEL. A MULHER QUE NÃO CASASSE ERA "SOLTEIRONA",
"ENCALHADA", ETC . MULHERES ERAM DEPENDENTES: SAÍAM DO AMPARO DOS PAIS PARA O DO MARIDO.
HOJE, AS MULHERES ESTÃO DE IGUAL PARA IGUAL. LOGO, OPTAM POR NÃO DIVIDIREM AS SUAS VIDAS. NUMA BOA.
BEM RESOLVIDAS.
OS HOMENS TÊM MEDO DAS RESPONSABILIDADES QUE ADVIRÃO DO COMPROMISSO: FILHOS, FIDELIDADE, ETC.
POR FIM, ACHO QUE CADA UM DEVE FAZER A SUA ESCOLHA E SEGUIR EM FRENTE. HÁ MANEIRAS E MANEIRAS DE SE RELACIONAR SEM ESTAR CASADO PROPRIAMENTE DITO.
SÓ PENSO QUE QUANDO O VERDADEIRO SENTIMENTO APARECE, O AMOR FALA MAIS ALTO. DAÍ A NECESSIDADE DE ESTAR JUNTO, TER FILHOS, CONSTRUIR UMA FAMÍLIA, VIVER SOB O MESMO TETO, ACORDAR JUNTOS, ETC.
BEIJÃO.

Luar disse...

Muito obrigada pela visita e por me dar a conhecer o seu blog, que ando ainda a descobrir. Este post, dos poucos que li ainda, fez-me pensar em algo que escrevi à pouco tempo no meu. Adorei o tema, tema esse que me tem feito entrar em conflito com o meu Eu, nos últimos anos. Fiz perguntas, para as quais tenho respostas hoje e agora. Amanhã o tempo o dirá.
A minha experiência de casar foi ultrapassada em devido tempo.
Neste momento passa pelo estar só após o divórcio.
Uma opção que pode ser encarada como esse tal sentimento de egoísmo, ou até vista como ainda não apareceu novamente o "tal". Confesso que já nem questiono. Simplesmente porque não me interessa.
E estar só e em Paz, é neste momento o meu conceito de felicidade porque essa sim...só depende de mim e só a mim diz respeito.
Gostei mesmo...vou seguir!
Bem-haja!

Beijinho com muita luz!

Aleatoriamente disse...

Esse texto é bem interessante Lena.
Mas acho que cada um tem a opção sim.
Porque o amor é algo tão abrangente e para tudo o seu momento.
Ficar sozinho hoje é uma opção percebo.
As pessoas estão muito mais libertas que anos atrás.
Escuto muito as pessoas mais vividas, contarem como era e etc...
Fico pasma!
Hoje então está mais solto.
As pessoas opinam melhor.
E um relacionamento passou a ser essa opção de algo fimre, o um ficar por ficar.
Casamento ficou mais moderno, e também mais assustador pela liberdade adquirida.
Acredito que alguns não querem um casamento e sim um conto de fadas.
Na verdade dividir, somar e multiplicar é tão fácil, basta amar.
O homem sempre será apenas um ser humano e não um herói.
O relacionamento a dois, como o casamento, sempre será uma somatória.
Daí o companheirismo, o respeito, um cede um pouquinho aqui, o outro ali, mas nele não haverá heróis.
Haverá pessoas que se amam.
Alguns nasceram para caminhar juntos num ideal, outros não, mas é opção.

Beijinho querida.
Fernanda

AOSOLHOSDAALMA.BLOGSPOT.COM disse...

LENA MINHA AMIGA VIM DESEJAR UM ÓTIMO
FINAL DE SEMANA MUITA LUZ E AMOR NO CORAÇÃO,UM ABRAÇO CHEIO DE CARINHO DA AMIGA MARLENE

MARILENE disse...

Eu já tinha deixado um comentário aqui, pois não me permito ficar sem passar em seu blog. Mas ele sumiu. O mesmo aconteceu nos meus.
Enfim...
Amei a postagem. Tenho a solteirice por opção. Mas as portas sempre estão abertas para o amor. Coisa de quem já passou por muitas e já guarda algumas conquistas.

Bjs.

Sandra Portugal disse...

Ontem estive conversando sobre esse tema em família, sobre a nova geração e a onda de solteiros...As exigências são muitas e é cada dia mais difícil um ser de carne e osso cumprir a tão enorme lista de características!!! É de verdade um tema atual a ser pensar. Vamos repetir modelos americanos de solitários. bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//