1 de junho de 2011

Procura-se beijos que satisfaçam!




A impressão que tenho é de que estamos todos tentando satisfazer um mesmo desejo, porém de maneira tão individualista e ansiosa que percebemos a noção do que realmente importa.

Assim, a carência afetiva tem se transformado numa verdadeira epidemia. Vivemos num mundo onde tudo o que fazemos nos induz a ter cada vez mais. Um celular novo, um sapato de outra cor, uma jaqueta diferente, uma viagem em suaves prestações...

E enquanto isso, nos sentimos cada vez mais vazios. Nossa voz interna faz um eco que chega a doer; e tudo o que poderia nos fazer sentir melhores seria apenas um pouco de carinho.

A carência é tão grande, a sensação de solidão é tão forte que nos dispomos a pagar por companhia, por uma remota possibilidade de conseguir um pouco de carinho. Talvez você argumente: de forma alguma, eu nunca saí com uma garota ou um garoto de programa; jamais pagaria para ter carinho!.

Pois é, mas não é de dinheiro que estou falando. Estou falando das escolhas que fazemos, indiscriminadamente, em busca de afeto; das relações sexuais fáceis e fugazes, da liberação desenfreada de intimidade, da cama que chega às relações muito antes de uma apresentação de corações... Expomos nossos corpos, mas escondemos nossos sentimentos de qualquer maneira!!!

Ou, ao contrário de tudo isso, estou falando da amargura e do mau-humor que toma conta daqueles que não fazem nada disso, que se fecham feito ostras, criticando e maldizendo quem se entrega, quem transa, quem sai em busca de afeto a qualquer preço...

Enfim, os extremos demonstram exatamente o quanto pagamos. De uma forma ou de outra, estamos pagando pelo carinho que não damos e pelo carinho que, muitas vezes, não nos permitimos receber.

Ou seja, se sexo realmente fosse tão bom, poderoso e suficiente quanto prometem as revistas femininas, as cenas equivocadamente exageradas das novelas ou os sites eróticos, estaríamos satisfeitos, não é? Mas não estamos, definitivamente não estamos!

Sabe por que? Porque falta conteúdo nestas atitudes, nestes encontros. Não se trata de julgamento de valor nem de pudor hipócrita. Não se trata de contar quantas vezes já esteve com alguém para saber se já pode transar sem ser chamada de ‘fácil’...

Trata-se de disponibilidade para dar e receber afeto de verdade, sem contabilizar, sem morrer de medo de parecer tolo; sem ser, de fato, pegajoso ou insensível... apenas encontrar a sua medida, o seu verdadeiro desejo de compartilhar o seu melhor!

Muito mais do que orgasmos múltiplos, precisamos urgentemente de um abraço que encosta coração com coração, de um simples deslizar de mãos em nosso rosto, de um encontro de corpos que desejam, sobretudo, fazer o outro se sentir querido, vivo. Tocar o outro é acordar as suas células, é revivescer seus poros, é oferecer um alento, uma esperança, um pouco de humanidade, tão escassa em nossas relações.

Talvez você pense: mas eu não tenho ninguém que esteja disposto a fazer isso comigo, a me dar este presente. Pois é. Esta é a matemática mais enganosa e catastrófica sob a qual temos vivido. Quem disse que você precisa ficar à espera de alguém que faça isso por você?!?

Não! Você não precisa, acredite! De pessoas à espera de soluções o mundo está farto! Precisamos daqueles que estão dispostos a serem a solução! Portanto, se você quer vivenciar o amor, torne-se o próprio amor, o próprio carinho, a própria carícia. Torne-se a diferença na vida daqueles com quem você se relaciona, para quem você se disponibiliza.

A partir de hoje, ao invés de sair por aí dizendo que vai beijar muuuuito, concentre-se na sua capacidade de dar afeto e surpreenda-se com o resultado. Beije sim, sem se preocupar se é muito ou pouco. Beijar é bom, muito bom, sem dúvida; mas empenhe-se antes em trocar afeto, em se relacionar exercitando o respeito pelo outro, o respeito por si mesmo... e estou certa de que os encontros valerão muito mais a pena!



Rosana Braga

28 comentários:

Fênix27 disse...

Amiga linda,que texto em?mas o que vale é os momentos que a vida nos oferece.Então vamos beijar sem pensar no amanhã.
Amiga no meu blog tem homenagem para os amigos que me fizeram ganhar o 3 lugar no Ostra da Poesia.Tem presentinho passe lá e confira.
Te agradeço e que tenhas cada vez mais muito sucesso.
Bjos.

Meire disse...

Lena, minha amada e brilhante estrela, olha a sincronicidade de novo na área rsrs Hoje mesmo estava conversando com minhas amigas sobre tudo isso, esse lance de carência, de ficarmos com alguém só para matá-la. Eu te juro, já tentei 8674782998282 vezes ser assim, mas num souuuuuuuu, num vaiiiiiii! rsrs

Quando um relacionamento termina temos que dar tempo a nós para passarmos o luto, mas tem gente que não consegue e pula de um relacionamento a outro, não dá tempo para sí mesmo. Dizem "Mas eu quero alguém que cuide de mim" só que não sabem que é necessário o cuidar-se tbm. E tem alguns que só querem receber e receber, doar-se que é bom nadica!
Quando começamos a nos doar é que aprendemos a verdadeira alegria da vida, e se fazemos o bem isso nos faz sentir uma coisa tão boa lá dentro, é como se ascendesse uma chama no nosso coração e ele ficasse aquecido. Vou parar por aqui, se não eu escrevo um livro! rrs
Ameiiiiiii o texto, vou encaminhar para minhas amigas por e-mail /o/

Aiiii, vi que mudou as imagens ali do lado aqui, já enxerguei chocolate, agora deu até lumbriga, vou olhar com calma amanhã :)
(eu falo demais da contaaaaaaaaaaaaaa!!)

Te amo! Bjo achocolatado pra ti e uma terça iluminada!

MARILENE disse...

Excelente matéria. Com esse jeito novo que chamam de "ficar", então, é que os vazios vão aumentar. Nem sabem com quem e porque estão. No final, já nem saberão quem são.

Bjs.

C. disse...

Nao consigo ser hipócrita e discordar de que tudo está ficando a cada dia mais vazio!! Mas tudo depende de como encaramos, e se amarrarmos as carinhas até as rugas vao aparecer mais, então é melhor ver de um jeito ameno, porque os creminhos pra rugas estao muito caros né amiga! Lol!

O blog é uma bela maneira de exercitar a troca de afetos, mesmo à distância estamos em sintonia e nos doando cada vez mais.

E aproveitando, uma ótima quarta-feira pra tu de quem ti love!

ValeriaC disse...

Lena adoro o que a Rosana Braga escreve...ela está coberta de razão...as pessoas vivem perdidas por entre as ilusões que criam, pelas fantasias que esperam que aconteçam e deixam de viver a vida real, com pessoas e situações reais, não as fantasiosas, que nos passam nas revistas femininas e na mídia em geral.
Beijos...
Valéria

Ma Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
нєllєи Cαяoliиє disse...

Lena,
Triste quando os valores hoje em dia foram invertidos,e ai olhamos para um passado nem tão longe e nem tão presente em que o amor era tão especial,e valorizavam este sentimento tanto como qualquer um.
Mas infelizmente,a realidade é que este sentimento se torna cada vez mais extinto nos dias de hoje,e cabe a nós ressaltar os valores de antes para o agora.
Lindíssimo viu?
Abençoada quarta pra ti!
Beijo

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Lena
Afeto hoje está cada vez mais difícil.
As pessoas estão muito imediatistas e procurando o prazer pelo prazer. Daí sempre essa sensação de vazio que cada um sente.
Bjux

mfc disse...

A atracção tem que depois passar pelo amor... e quando desabrochar... é o sétimo céu!

Graça Pereira disse...

Um texto cinco *****!! Sexo, amor fácil..o mundo está cheio disso e cada vez mais infeliz! Se a vida não fôr uma entrega de si próprio, a procura da mão que caminha a nosso lado, tudo ficará medonho, vazio...como o grito que se dá no vácuo e, como resposta, se ouve apenas o eco vago, distante e atormentado, da propria voz inquieta!
O amor - esse é o sentimento maior -porque é uma troca e um desejo de sentimentos iguais.
Toda a gente sabe o caminho...porque teimam então em serem infelizes??
Beijocas
Graça

нєllєи Cαяoliиє disse...

Oi,Amada
tudo certinho por aqui exceto o friiiio (época que não me dou muito bem) rs e por aí?
Meus votos que tudo esteja em paz.
Um Beijo!

Ma Ferreira disse...

Leninha..to feliz pelo email..
Agora não tem como vc não se lembrar de mim!!
bjkas
Ma

Ma Ferreira disse...

Oi leninha..vc ta bem?

Como sempre o texto que vc coloca nos remete a boas reflexões.
Eu acho que a falta de carinho e de afeto é o mal do século. Ele que leva a depressão e outras sindromes.
Precisamos de afeto e somos carentes.
Eu assumo que sou.
Sinto falta daquele carinho "minado",
daquele abraço mais suave, daquelas
falas no diminutivo..

Acabamos sublimando, canalizando para outras coisas e deixamos por debaixo do pano e vamos em frente.
Como não recebemos, acabamos não dando. É isso que acontece. Não recebo, por que vou dar?
Acho que tem muito de ego nisso.
Eu percebo pelos escritos e poesias dos blogs..dificil algúem falar de amor feliz, carinho, afeto..a maioria fala de cobrança, de espera..
Acho que estamos todos de uma manira ou de outra no mesmo barco.
Enquando isso.. damos afeto aos amigos?
Confesso a vc que sinto os amigos virtuais mais próximos do que os reais..
Bom tema este para reflexão? Pq será?
Talvez porque quando não vemos, temos mais coragem de nos mostrar..
e nos damos mais...
Será isso?

Um grande beijo..com muiiiito afeto!
Ma

* Verinha * disse...

Mais um texto a nos maravilharmos!.. Realmente com sentimento tudo terá um outro valor e sabor!
Beijão imenso em seu coração Lena e muitíssimo obrigada pelo carinho de suas palavras lá no meu cantinho!

Verinha

Peônia disse...

Post muito reflexivo...
Beijos querida!

Ana Cris disse...

Nossa adorei seus textos todos muito profundos....é tem razão seja em busca do que for no fundo as pessoas estão em busca de carinho de reconhecimento somos todos muito carentes e tudo isso é porque estamos nos preocupando com coisas que julgamos importantes mas que na vdd não passam de vapor as pessoas estão se esquecendo do que realmente importa estamos criando uma sociedade solitária e depressiva vítima de suas próprias criações,ah e dizem que somos seres racionais...adorei o texto me fez refletir....boa noite. bjs

Vera Lúcia Duarte disse...

Lena,
Cada um dá do que tem. Carência atrai carência. Por isso o ser humano se arma e não sabe exercitar esta troca de afeto.
Este jeito descompromissado para com a vida é só aparência. No fundo, todos querem mesmo é encontrar afeto, amor de verdade. Amor de toque, de olhos nos olhos, de carícias compartilhadas. Enfim, todos buscam o amor no qual se completem.

Ah!, o blog continua o mesmo, sem qualquer alteração.

Beijo com gosto de afeto.

Pocahontas disse...

Pra que pensar em algo quando estamos beijando, o amanha não existe o que existe é o momento que estamos vivendo e beijar é ótimooooo!!!kkkkkk
Belissimo texto

Roberta Galdino disse...

oi
gostei muito do seu blog
estou lhe seguindo!
bjos

me visita?

http://rgqueen.blogspot.com/

Aleatoriamente disse...

Eita mais isso aqui tá show!
Amei o texto.
Mas fico calada por hora.
Apenas tenho um montão de trabalho sobre sapos, para terminar até amanhã cedinho e olha a hora que venho.
Preciso fazer algo que me de alegria sem obrigação. rsrsrsr.
Lena, passei para deixar um beijo.

Fernanda

Giovanna disse...

Lindo texto, Lena, na verdade a humanidade está mais interessada em buscar prazeres para alimentar sua alma vazia, do que despertar seu coração ao verdadeiro sentimento, porque ele precisa ser trabalhado, é preciso ter paciência, as vezes longa... hj tudo é fácil, sai aqui, sai lá, hoje aqui, amanhã lá, se busca a quantidade e não a qualidade... uma determinada época da minha vida (eu fui criada na cultura japonesa, embora sendo européia, mas os costumes orientais são diferentes, mas conservadores, tudo era diferente, não dá enfase a malícia) então quando fui fazer faculdade no Brasil, eu era tida para meus amigos como uma careta, quadrada, estranha, simplesmente porque eu não saia com eles em busca de prazeres de pequenos momentos e uma vez que sai para descobrir o que de tão interessante tinha lá, fiquei chocada com a facilidade que tudo era permitido, naquela noite até me perguntaram se eu era lesbica, quando recusei a sair beijando os rapazes... uhmmm baba eu , que nojo...uma amiga da faculdade no dia seguinte se dava por satisfeita além da conta, porque numa mesma noite beijou 23 rapazes e no fim da festa foi levada para casa em grande noite íntima e inesquecível... um colega de sala perguntou se ela sabia os nomes dos rapazes que ela beijou e com quem saiu, ela pensou e disse... nenhum nome, mas isso não tem importância, me senti nas nuvens e bati meu recorde... pois vc vê quanta futilidade... hj ela ainda procura por alguém de bar em bar, de sala em sala e nunca está satisfeita e as vezes reclama que está cada vez mais difícil encontrar um homem que queria algo a sério... talvez se ela se levasse a sério, os sentimentos seriam outros e com certeza encontraria o que procura...necessitamos sim de alguém, de afeto, de relacionamentos, de um romance, de beijos e abraços, carinhos... mas tudo tem seu tempo e a carência não tem prazo de validade, ele espera no momento certo para serem supridas e com a pessoa certa... bjs e tenha um lindo dia, Giovanna

Rosane Marega disse...

Lindo texto!
Beijosss

Su disse...

Lena, muito bom esse texto, realista, objetivo e bastante provocante também... Concordo que antes de termos amor, precisamos ser AMOR, amor próprio principalmente, assim fica mais difícil cair em certas armadilhas...

Seu blog é lindo e aconhegante! Obrigada pela visita no meu cantinho, apareça sempre, ficarei feliz! Já fiquei por aqui!! Beijos e um lindo dia cheio de amor! Su.

Vilmar Barros de Oliveira disse...

Oi Lena desculpe o "sumiço" o tempo anda meio arisco por aqui.
Sexo é ótimo ponto. mas fazer amor é sublime, preenche, satisfaz e nos deixa felizes.
Beijo grande.

Kiro Menezes disse...

rsrs


Gostei. Não sou de beijar MUITOS mas sim, beijar muito, enchendo de carinhos e saudades - ainda que instantaneas!

Linda vc, que encontra coisas lindas pra preencher nossos momentos ♥

Bjss enormes, florzinha ♥

C. disse...

Claro que notei você ficou uns 4 dias sem aparecer no CaFoFo, mas sempre te via em outros blogues, até pensei fosse algum problema no meu link, ou esses que aconteceram por aí no blogspot. Mas entendo perfeitamente. Em 2009 tive um surto e sumi da blogsfera, acredita? Só voltei dia desses...
Nao se preocupe, minha dear, quando nao puder aparecer!!

Quanto a euzinha mala, fique à vontade quando achar que nao tem mais nada a ver me ter no Facebook, a amizade blogueira continuará a mesma, e já somos bem grandinhas num é!

Hoje fiz um texto no meu blog de pessoas cromoterápicas, e lembrei disso agora, você é sinônimo de aquarela para mim, por isso espero que seja sempre verde por fora mas exploda por entro, ser pessoa cor de gelo nao tá cum nada.

Beijoesss

C. disse...

Miga amada compota de figo e aquarela, ufa! Já nao tenho mais adjetivos kkkk

Costumo responder os coments no Cris Style, e deixei essa resposta lá pra tu:

"Hehe Nina Cris foi ótimo, só tu mesmo Lenoca compotinha de figo! Adorei você ter vindo saber tua “cor”. Muito obrigada Lena pelo elogio ao meu escrito, ouvir isso dá uma felicidade, você não imagina!
Ensino a botar música sim, aliás, você me deu uma idéia, vou fazer um post sobre isso e quem quiser, que pegue, combinado?
Eu, particularmente, sou uma mala que também não gosta de música no blog, levo cada susto, sem contar que desconcentra a leitura, né não? E como você disse, me desculpe quem gosta, mas gosto é gosto."

# Hoje apertou o tempo aqui, depois volto ler seus textos com calma tá.
Ich liebe dich!

Tatiana Kielberman disse...

E como o poder do beijo atravessa nossa alma, né querida?

Beijão pra você!!