6 de julho de 2011

Carícia em abundância é essencial ao homem e à mulher



Carícia é a unidade de reconhecimento humano. Começa no nascimento, com o toque físico. Depois passa para palavras, olhares, gestos e aceitação.

Na história das carícias, existem conceitos de distribuição de carícias que levam a gente a acreditar que as carícias são poucas, tão poucas que precisamos guardá-las. O resultado é mesquinhez de afeto. Em contrapartida, todos nós queremos ser reconhecidos. Todos nós necessitamos de carícias.

Homens e mulheres guardam seus carinhos como um avarento guarda dinheiro. Ou sexualizam tudo (e vivem se culpando por isso, achando que estão pecando), fogem do contato real com as pessoas e acabam vivendo na miséria afetiva, ou sexualizam a vida de forma consumista, em que o orgasmo, a quantidade de parceiros, o desempenho “atlético” passam a ser mais importantes que a entrega.

Então nasce “o amor de troca”! Como se o amor fosse uma moeda.

“Então, sempre que lhe dou algo, tenho que receber algo em troca (porque senão eu fico sem nenhuma carícia)!”

“Você tem que cuidar de mim hoje... porque na semana passada eu cuidei de você.”

“Cuidei de você quando pequena, agora você tem que cuidar de mim.”

“Eu vou para a cama com você... se você casar comigo.”

O prazer da entrega é substituído pelo medo de ficar sem algo, de ficar vazio. Porque, com o pressuposto de que o amor acaba, é preciso escolher muito bem a pessoa, a situação, para dar carícias... Isso é miséria afetiva, em que as pessoas passam fome de amor, apesar da abundância de amor que existe na humanidade...

É como na miséria humana, na qual pessoas passam fome, apesar de produtivas, porque os recursos gerados são usados para aumentar o controle de umas sobre as outras. A miséria afetiva é tão ou mais grave do que a miséria material, pois tira do ser humano a sua condição de homem participante de sua espécie, porque conduz o homem à mesquinhez, à solidão.

As pessoas, em razão da mesquinhez afetiva, começam a desconsiderar suas necessidades. Como diz o psiquiatra inglês Ronald Laing: “Com um trabalho enorme, um desejo é negado, substituído por um receio, que gera um pesadelo, que é negado, e sobre o qual é, então, colocada uma fachada”.

Porque para alguém ser ele próprio é necessária uma dinâmica que respeite sua individualidade. Mas as pessoas condicionam-se a seguir padrões predeterminados em que o novo incomoda, amedronta, revela os sistemas que a família e toda a sociedade desenvolveram para anular a sua criatividade.

E o novo, o individual, é sacrificado, em benefício do coletivo. Se for muito revolucionário, cria-se a ameaça de punição (“Portanto, o melhor que você faz, é assumir a direção da nossa fábrica, porque com esta crise...”).

E passa-se a viver dentro de um sistema de medo. Medo de ser abandonado, rejeitado ou criticado. E é dada uma importância absurda ao perigo de não ser amado por todos.

Sempre vão existir pessoas que gostam de nós do jeito que somos (e isso é sensacional); outras podem não gostar, pelas mais variadas razões — e isso é um direito também. É importante entender que todo mundo tem o direito de amar quem quiser. Mas, independentemente da reação das pessoas, você tem o direito de seguir o seu caminho e buscar a sua forma de ser feliz.



Roberto Shinyashiki 


Bee Gees - More Than A Woman

31 comentários:

Paulo Francisco disse...

Lena, eu adorei este texto.

¨Sempre vão existir pessoas que gostam de nós do jeito que somos (e isso é sensacional); outras podem não gostar, pelas mais variadas razões — e isso é um direito também.¨

Aqui, eu não tenho medo de entrar. Sei que vou encontrar qualidade.

Sempre saio ganhando...
Um beijo grande

Ma Ferreira disse...

Querida Lena..
deixei um comentario no seu outro blog tb.

Estava com saudades de vc.

Bacana este texto.

Dar sem a intenção de recer. Este é o segredo.Porque quando vc doa, de coração, sem querer receber nada em troca.. o universo de devolve.

Não necessáriamente daquele jeito que vc fez..mas de algum outro jeito ele devolve..

Aquele velho ditado "Fazer o bem sem olhar a quem".

Ser carinhosos, educados, deveria fazer parte do nosso dia a dia.

E muitas vezes equecemos né amada?

Um beijinho..fique com Deus!!

Ma

Milene R. F. S. disse...

Impossível agradar a todos e ser amado por todos né amiga...faço questão que me amem como sou pelo que sou, se não puderem outros poderão... é a vida... e carinho, afeto, amor, nunca é demais, e eu sou a favor de destribuir bastante, rs, quanto mais damos, mas nos sentimos plenos... e no final descobrimos que o que mais nos prenche na vida, não é nem ser amado, mas sim ter a capacidade de amar... beijos querida.

LUCONI disse...

Vim conhecer este teu cantinho, e amei tudo que vi, saboreei alguns textos e me pergunto como não te encontrei antes? PARABÉNS amei, beijos Luconi

Célia Gil, narciso silvestre disse...

É a força dos afectos que mantém uma relação! Um texto com muita sabedoria e realmente bem escrito! Bjs

mfc disse...

O mercado, o sistema da troca, não pode acontecer no amor!
No amor só a dádiva, a entrega têm lugar.

QUIM disse...

eu não fujo não...sou todo mãos...rs..bom dia querida.

Imac by Artes disse...

Lindo texto!
O amor é um dom divino e gratuito quanto mais se dá mais se tem...
Pena que o mundo está individualizando-se, gerando assim uma crise de amor.
Grande abraço e um dia cheio de amor pra ti.

Maria Alice Cerqueira disse...

Bom dia amiga,

Lindo e muito importante texto.
Eu acredito que as pessoas não sabem mais o sentido do verdadeiro amor, por esta razão são tão sedentas deste mesmo amor, que o buscam a qualquer custo, mesmo pelas formas erradas, e fazem trocas para poderem saciar-se das caricias, muitas vezes não reais.
Mas eu tenho fé que um dia tudo será diferente, e ai o verdadeiro amor terá o maior poder dentro do coração humano.
Tenha um lindo dia!
Abraço Amigo
Maria Alice

Meire disse...

Compotinha mãe, acredito que carinho vale por um montão de remédios, se tem uma coisa que eu num economizo é afeto!! hehe
E nada do que fazemos temos que fazer pensando em receber em troca, muito menos carinho, porque isso a gente conquista e tem muita gente que não gosta. Temos que nos doar, o que vier é lucro e quando vem é sempre um bálsamo ao coração. Tudo de bom mesmo!!!! Tem gente que tem medo, tem vergonha de demonstrar, aí temos que respeitar, mas guardar carinho num é comigo não doce Lenoca da voz mais suave desse mundo. Que maravilha que tu gostou, mandei pra ti e para nossa flor de jasmim ;)
Amore, vc deve ficar um tempão escolhendo esses textos porque é um melhor que o outro!!!!
te amo muitoooooo! bjokitas caramelizadas.

AquilesMarchel disse...

caricia aos carentes

C. disse...

Miga, vamos "pecar pelo excesso e nao pela falta" num é. Pelo menos eu penso assim. Se é pra se arrepender depois, que seja consciente que deu tudo que podia, e nao o que poderia ter sido dado. Acontece que quando muito te foi "arrancado", o que vai sobrar entao? É como li num blog dia desses "em que estado você está para encontrar o verdadeiro amor"?
Lindao esse texto, bem reflexivo pra todos que pensam nao precisam de amor na vida. E ô gente, como existem aos montes, viu.
Sou fa de Roberto Shinyashiki, acho cê já notou rs

Beijo pra tu nas bochechas também amore, du bist sehr besondere, nicht vergesse!

JAN disse...

“Então, sempre que lhe dou algo, tenho que receber algo em troca (porque senão eu fico sem nenhuma carícia)!”
ISSO FUNCIONA COM ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO...
"Sempre vão existir pessoas que gostam de nós do jeito que somos (e isso é sensacional);"
TUDO MUITO CERTO!
VALEU!

C. disse...

Compotinha,
o Brasil é bem retrógrado né, onde já se viu uma empresa do tamanho da tua, tratar os funcionários mais ou menos como numa prisão virtual. Acho eles nunca ouviram uma palestra maravilhosa do Bill Gates, em que ele diz que os empregados dele, ele gosta de deixar livres porque produzem mais.

Nao precisa publicar esse coment, viu.

Ti loveeee

C. disse...

Como pude esquecer de comentar sobre meu querido Bee Gees, sou apaixonada por eles, miguxa, eita bom gosto amadeirado de lei esse!!

soniaconsult disse...

Que delícia de texto Lena!
Amar, gostar e principalmente demostrar através de gestos... sem querer retorno!

bjos minha linda!

Vera Lúcia disse...

O amor não é uma moeda de troca.
Há pessoas que sentem dificuldade para expor ou demonstrar tal sentimento porque pouco ou nada receberam dele. Mas é exceção.
A regra é amar em abundância. Qualquer ato de carinho e afeto é uma demonstração de amor.
Quanto mais distribuímos, mais temos para dar. A fonte não seca nunca. E quanto mais se dá, mais se recebe. Não porque você busca o retorno. Ele vem por si. O universo nos devolve na proporção que o compartilhamos.
Beijokas.

* Verinha * disse...

Fantástico esse texto.. com certeza que o primordial é irmos em busca da felicidade sem que haja a cobrança de sentimentos alheios.

Um beijo em seu coração Lena e obrigada por sua visita em meu cantinho.

Verinha

Calu disse...

Vi momento destacados pelo autor que dariam vários textos-filhotes.Percebo pelas décadas já vividas, que sim há uma economia absurda de afetos em prol do "politicamente correto".Onde se mesclou demonstração de carinho com interesse sexual, não sei, só sei que é assim visto até hoje em dia.
Uma lástima, um desperdício.
Um malefício:fazer do amor/doação moeda de troca.Sendo assim, só levou o nome, mas nunca foi amor.
Quantas conversas ainda surgiriam daqui se continuássemos o assunto, heim ,linda Lena?

Obs:Obrigada por teu carinho e torcida. Sei que contamos com pessoas generosas como vc,a mandar-nos bençãos
Fique com Deus!
Bjkas,bjkas,
Calu

MARILENE disse...

Ele, sempre demonstrando sabedoria.
Não há preço para o amor e ele não comporta trocas cobradas.
Realmente, não despertamos amor em todos que amamos. Como não conseguimos, muitas vezes, retribuir o sentimento que nos é oferecido. Antigamente, não tinha esse entendimento e me sentia ferida. Mas aprendi que esse é um direito que devemos respeitar.

Bjs.

MARILENE disse...

Ele, sempre demonstrando sabedoria.
Não há preço para o amor e ele não comporta trocas cobradas.
Realmente, não despertamos amor em todos que amamos. Como não conseguimos, muitas vezes, retribuir o sentimento que nos é oferecido. Antigamente, não tinha esse entendimento e me sentia ferida. Mas aprendi que esse é um direito que devemos respeitar.

Bjs.

Dé Mattos disse...

O Roberto é mto bom no que escreve, benza Deus!
Engraçado como pensei nisso hoje. No quanto eu sou pele. Cheguei em casa e corri para um banho, pra esquentar o corpo e esfriar a cabeça, e aí fiquei pensando no quanto eu gosto de tocar as pessoas, abraçar, sentir. Andar de mãos dadas, dizer que amo. As vezes acho que sou exagerada noas afetos sabe Lena, mas sinceramente prefiro ser assim do que ser cheia de restrições e seca. Meus sentimentos são muito intensos e eu gosto de demonstrar isso. Já perdi pessoas importantes, e já me arrependi muito de não ter dito o quanto elas significavam pra mim. Hoje digo, sinto, e não economizo afeto não. Deixo que transborde. Gosto de inundações. E se for de amor então, nem se fala!
Beeeeijo minha lindona!

нєllєи Cαяoliиє disse...

Lena,
Que belíssimo!
E amar,realmente não está só em dizer,mas sim em gestos diferentes e significativos demostrar para sentirmos,e não só sabermos!
Linda noite pra minha doce Lena! ;)
Beeeeijo

Alê disse...

Tantas vezes a melhor maneira de demostrar o que sentimos vem de gestos pequenos,
Daqueles feitos de coração, e não cobrados, feitos pelo simples prazer de demostrar carinho,


Um beijo!

Marly Bastos in "palavreados ao vento" disse...

"E o novo, o individual, é sacrificado, em benefício do coletivo."
é o que mais existe hoje. Deixa-se os sonhos, as paixões, as vontades, as aspirações, a vida, os projetos, em prol do coletivo, do que é melhor para os filhos, para a família, para o marido, para o trabalho...
Deixamos em prol do coletivo, de deixar as vontades e necessidades beijar nossa alma.
Beijokas Lena e que Deus, em Cristo Jesus, te abençoe ricamente!

maria albertina disse...

Lena
Lindo!!!! Lindo!!!!
essa frase em especial..."Sempre vão existir pessoas que gostam de nós do jeito que somos (e isso é sensacional)
Grande abraço

Perfeita Ordem disse...

Como sempre minha amiga um lindo texto!
E muito verdadeiro!
Beijos minha linda!
Linda noite a você!
Beijos.

Artes e escritas disse...

Lena, que você ajude os jovens! Preciso te dizer que o selo dos 600 seguidores está postado no blog que eu criei especialmente para os mimos das amigas blogueiras. Coloquei o link ao lado do arteseescritas, é clicar e ver. Um abraço a você, Yayá.

Paula Moraes disse...

Oi Lenaaaaaa,
Eu concordo, o amor é pra ser vivido não apenas retribuido, amar é se dar, se entregar, quem faz do amor uma troca não será totalmente feliz...Afinal, nunca teremos em troca o mesmo afago, carinho, sentimento que estamos dando...Claro que tbm queremos, mas exigir porque fizemos e demos não é legal...O amor não pode ser tratado como um objeto.
Bjs

Thay Negrão disse...

Quando há reciprocidade no amor, tudo é permitido!!Amor é isso, troca, carinho...e quando não é mútuo não é amor.

Ótimo texto...Beijos querida!!!!

Valéria disse...

Lena eu amei seu blog,tudo muito lindo por ak,tá de parabéns
bjus
DOCE MENINA