10 de julho de 2011

O perfume da memória


    

Sabe aquele cheirinho de bolo de canela que te lembra os finais de semana com a família reunida ou aquele perfume que te leva de volta à infância? Pois então, a lembrança a qual esse cheiro remete está associada a um tipo de memória mais comum do que valorizada, conhecida como memória olfativa. Como a visual ou auditiva, a memória dos cheiros conecta lembranças aos aromas sentidos em determinadas situações ou lugares. Todos nós temos um aroma gravado em nossa memória. Qual é o seu?

O olfato está presente nas nossas vidas desde que nascemos, quando é usado para reconhecer do cheiro da mãe. O sistema nervoso tem várias maneiras de adquirir e armazenar experiências em relação ao mundo exterior. Quando uma criança começa a se desenvolver, obtém do exterior todo tipo de informação sensorial. Preenche o banco de dados ao armazenar experiências e a olfação tem papel importante nesse processo. Existe no ser humano uma capacidade olfativa maior do que se imagina. O olfato pode guiar atividades sem que a pessoa se dê conta.

Tudo bem, cheiros são importantes, mas será que tanto? Embora subestimada, a capacidade olfativa está ligada a grandes aspectos da nossa vida, seja no reconhecimento de um filho ou até mesmo por uma questão de sobrevivência. Nós nunca compramos um alimento ou artigo de perfumaria sem sentir seu cheiro antes. Embora não receba atenção suficiente, o olfato é um dos órgãos do sentido mais importantes para a sobrevivência. Através de experiências, descobriu-se que bebês recém-nascidos já reconhecem o cheiro do seio da mãe. Antes de vermos o fogo, sentimos seu cheiro, o que nos leva a buscar logo uma saída do local.

As memórias dos acontecimentos ou situações vividos pelo ser humano podem se formar em qualquer fase da vida. E o mesmo acontece com a lembrança dos cheiros, que podem não remeter somente à memória de fatos que ocorrem na infância, por exemplo. As memórias podem ser formadas em qualquer fase, embora a capacidade olfativa diminua com a idade. Além disso, certos fatores ambientais como o fumo e a poluição, podem alterar a percepção dos odores.

Cheiros são importantes na sobrevivência, mas também têm grande influência na forma como nos comportamos diante do mundo, podendo inclusive alterar nosso humor e mexer com nossas emoções. A memória olfativa está muito ligada aos nossos sentimentos. Normalmente, os acontecimentos ficam registrados em nossa memória de acordo com a intensidade em que acontecem e o odor que permeava a situação também marca o que sentimos naquele momento. O cheiro de rosas pode ser muito agradável para certas pessoas, mas se aquele mesmo cheiro está ligado à lembrança de um funeral, por exemplo, ele pode trazer a ela sentimentos ruins, de tristeza.

Ilana Ramos


George Harrisson - Blow Away



34 comentários:

MARILENE disse...

Muito verdadeiro. Tenho memória auditiva. Quando estudava, o fazia falando o que era necessário gravar (rss). Todos achavam estranho porque tinha que ir para o quintal, ficar longe, para que outros sons não me afetassem. E um amigo, que nasceu prematuro e hoje mede mais de 1.90m, não come nada verde. Atribui isso à alimentação que provavelmente recebeu quando bebê. Não costumamos rfletir sobre a matéria de seu post, mas se o fizermos encontraremos respostas para muitas coisas das quais gostamos ou não, sem aparente explicação.
Falei muito, desculpe!!!!

Bjs.

Ingrid disse...

para mim os cheiros marcam muito mesmo.. vem coisas da infância que por vezes achamos esquecidas..
são perfumes de amor, aromas de cozinha..
que delícia!
lindo texto Lena..
me fez voltar no tempo..
beijos perfumados..

Cissa Romeu disse...

Oi Lena, tudo bem?
Minha memória olfativa de criança, é o cherinho de café recém passado, hummm! E acabo lembrando de um monte de coisas boas!

Lena, muito obrigada pela presença por lá e teu comentário!
Ótimo domingo!

Humoremconto
http://anaceciliaromeu.blogspot.com

* Verinha * disse...

É incrível como somos movidos a associações.. ao ler este texto fiquei a pensar o qto é perfeita a obra do Criador.. já que por vezes a memória falhe.. haveria de se ter algo que nos fizesse relembrar momentos de nossa vida.. e se pararmos um pouquinho e pensarmos.. sempre que vem a mente a lembrança de algo, seja ela através de um cheiro.. de uma música.. de um gosto.. de um tato.. sempre resgatamos algo perdido que naquele momento se faz importante. Nada mesmo acontece por acaso.

Um beijo em seu coração Lena!

JAN disse...

CERTOS CHEIROS NOS NOS REMETEM A CERTAS LEMBRANÇAS BOAS...
E CERTOS TEXTOS TAMBÉM;-)
ESTOU SENTINDO CHEIRO DE GOIABA...

ABRAÇÃO, LENA

Jô Bibas disse...

Gostei muito do teu blog!

www.arteamiga.wordpress.com

mfc disse...

há dois cheirinhos que me fazem sorrir: um é a frescura do sabonete no corpo de alguém que comigo se cruza: o outro é o cheiro quente a leite creme tostado!

SOL da Esteva disse...

Lena

Apressado porque entro sempre a destempo nos Blogues que me despertam para a gula. Será porque acerto com as horas do lanche? Pois, até me parece cheirar a bolinho de canela!...
Ilana Ramos conclui muito correctamente, ao dizer da associação que a nossa memória faz dos odores e das circunstâncias em que tomamos contacto com eles.

Boa Semana

Beijo

SOL

Luar disse...

Lembrei o cheiro de um livro quando o leio.

Algo que mexe comigo...muito!

Sempre temas que me tocam Lena!

Beijo

eva mooer disse...

é mesmo,o perfume que agrada uma pessoa pode colocar a outra em nocaute.A mesma música que tráz alegria,faz a outra chorar de tristeza.Tudo depende das emoções que criamos em torno delas.Nos acompanham por toda vida.Posso fechar os olhos e me colocar exatamente no lugar e hora em que a música ou o perfume me levar.......delicia relembrar.
bom domingo

QUIM disse...

xiiiiiiiiiiiiiiii....esse post me mata..eu sou tão agarrado aos cheiros..vicio mesmo...QUANDO FECHO OS OLHOS..PERIGOSO..rs
bjs querida ..lindo dia...

manuel marques disse...

A memória é o perfume da alma.

Beijo meu.

Sobre o Tempo disse...

Lena, realmente os "cheiros" nos trazem lembranças boas e ruins. Tbem é verdade que perdemos o poder do olfato com o passar dos anos, principalmente qdo se vive em São Paulo e qdo se tem problemas respiratórios. Muito bom o texto! Uma ótima semana! Bjs

soniaconsult disse...

Tem cheiros que são impossíveis de esquecer...
bjos Leninha uma boa semana

Severa Cabral(escritora) disse...

Linda do meu coração!
Vc conseguiu,me levar a um lugar em busca de um tempo que passou e que não volta mais...enquanto nossa amiga sentiu cheiro de goiaba eu senti cheiro de saputi,a fruta da minha infância...tenho recordações lindas com essa fruta...
Estava com saudades,por isso que estou aqui...e daqui a 10 anos lendo esse texto quero recordar vc,rsrsrsrs
Bjsssssssssssssssssss

Cris - CaFoFo online@ disse...

Acho por isso adoramos perfumes né, compotinha, porque associo cada perfume à um momento, à uma pessoa.

O último parágrafo pegou na veia, eu odeio cheiro de uma planta, acho é pinho, usado dentro de caixao para ornamentar, porque lembra demais meu pai, quando sinto o cheiro chego a passar mal, amiga.
Viu só, sou um exemplo vivo que memória olfativa nos acompanha em todas as nossas experiências messsmo!

Por exemplo, tenho certeza quando conhecer minhas compotinhas, será cheirinho floral misturado com algodão doce :)

Gisa disse...

Tenho uma memória olfativa muito forte. Basta sentir que voo ao encontro da lembrança
Um grande bj querida amiga

Imac by Artes disse...

Esse texto é ótimo!
O olfato nos faz lembrar de momentos felizes que ficam guardados em nossa mente.Como é bom quando isso acontece!
Gosto de trazer de minhas viagens cheiros e gosto como: Uma receita que gostei e outras...É muito legal!
Abraços e uma semana abençoada pra ti!

Imac by Artes disse...

Esse texto é ótimo!
O olfato nos faz lembrar de momentos felizes que ficam guardados em nossa mente.Como é bom quando isso acontece!
Gosto de trazer de minhas viagens cheiros e gosto como: Uma receita que gostei e outras...É muito legal!
Abraços e uma semana abençoada pra ti!

Alê disse...

Lena,

Cheiros me fazem delirar,
Sou maluca por cheiros,

Teu post me fez ficar de core apertado, porque, especialmente me reportou a infância, e a liberdade de poder inventar mil coisas diferentes e rir a toa com mais leveza,


Uma semana de muita paz,


bjos

Fernanda Iasi disse...

Lena minha melhor lembrança olfativa é o cheiro do feijão feito no fogão a lenha temperado com louro que minha avó fazia... Quando lembro, volto no tempo. Bjo!

Rô... disse...

oi Lena querida,

é a mais pura verdade,
cheiros nos transportam a lugares
e a pessoas que nos fazem bem,
que delicia lembrar do perfume do amado,
da comidinha da mãe,
do bolo de chocolate da casa da vovó,
da roupa limpinha recém estendida no varal,
e tantas outras boas lembranças...
adorei!

beijinhos

Mara Melinni disse...

Lena, querida amiga...

Eu já estava com uma saudade danada daqui!!! E, claro, de vc, do seu carinho que a gente sente de longe...

Sente até no cheiro amadeirado que exala do teu universo encantador!

Amei o post, as memórias olfativas realmente mexem com o nosso interior e nos fazem flutuar nas lembranças dos cheiros que nos agradam.

Que a tua semana seja bem perfumada!

Bjssss!!! =)

Simone Audrei disse...

Olha eu aqui Lena, acho comentando pela primeira vez! Adorei este post, já escrevi algumas vezes sobre este assunto, porque eu sou e sempre fui uma pessoa extremamente olfativa, quando estou grávida então, pareço um cão farejador, nada me escapa.
Sinto pena da minha mãe, que a dois anos perdeu o olfato devido a uma cirurgia. Não temos noção de como o olfato é importante, e de como ele nos faz falta, minha mãe que o diga.
Não existe coisa mais deliciosa do que sentir cheiros e aromas que nos remetem a lembranças tão distantes e tão boas do nosso passado, cheiro de bolo, de pipoca, de terra molhada... dá uma saudade...
Bj

Toninhobira disse...

São estes cheiros que invadem nossas memorias que nos fazem inspirar e ver diante dos olhos coisas belas e saborosas,ou mesmo uma tristeza sem fim.Um belo texto Lena.
Meu abraço de paz.
Uma bela semana para voce.
Bju de luz nos seus dias.

CF disse...

Olá lena
Há dias li um artigo sobre a importância do olfacto na nossa vida...dizia algo assim
"Cheiro, logo sinto...é o sentido mais perto das emoções, sem cheiro não há desejo e o mundo torna.se um sitio estranho...como se tudo fosse inacessível"
Pessoalmente, digo-te que o chiero é das coisas que me regem...eu identifico-me com cheiros tropicais quentes...talvez porque venho de uma ilha colorida e cheia de cor!
bjs e boa semana

Catia Bosso disse...

Muito real. Otimo post! Cheiros e sons, acho que sao as coisas mais marcantes em nossa memoria...

LenaLindona! Grata pelos selos e desafios ta!! Amodoroooooo vc!

bjs meus.

Meire disse...

Miga preciosa, o cheiro de bisnaguinha me lembra quando eu era pirralha e levava na minha lancheira azul para escola, o cheiro de dama-da-noite me lembra quando eu brincava na rua da casa da vovó a noite e sentia perto da casa de uma vizinha esse cheiro que até hoje me transporta para lá.

To me sentindo uma anta completa Compotinha, num paro mais de chorar, murchei total...te amo, bjs.

Rebekinha disse...

Lean,
Quando nao sentimos o cheiro, as cores não são tão cores, a beleza nao é tão beleza, o sabor não é nenhum sabor!
Meu filho quando nasceu, só aceitava o meus seios, e por ter pouco leite as enfermeiras saiam procurando quem pudesse amamentá-lo, mas ele não sugava peito algum sem ser o meu. Elas ficavam impressionadas por ele estar com fome e ser tão pequeno e mesmo assim recusar outra pessoa, já que os recém-nascidos são movidos à olfatos em primeiro lugar.Ele sempre captou muito rápido os cheiros, com dois anos ele dizia " hummmmm que cheiro de chuva mamãe!" e podia ter certeza que vinha chuva por ali.
Os cheiros ficam na lembrança, e você passa em algum lugar e ele te remete pra um lugar chamado saudade... O bolo da vovó, a chá de hortelã que minha mãe fazia no amanhecer, o cheiro da loção pós-barba do meu pai, o cheiro de chiclete tuti-fruit do primeiro amor, o amadeirado do cangote da eterna paixão... Cheiro! Sem ele a vida nao é tão vida!
Belo texto Lena.
Beijokas doces e uma segunda-feira maravilhosa, que teu dia tenha cheiro de rosas. Lena, minha rosa perfumada.

biahelenalobo disse...

Lena querida,
me delicio com os cheiros das minhas memórias, principalmente as de infância e como elas voltam gostosas e reais quando sinto ou imagino esses cheiros...
Minha casa de criança tem cheiro de maçã com canela assada no forno, meu pai adorava e dos pães que minha mãe fazia em casa! O Natal de entonces tinha cheiro de biscoito de castanha do pará e de salaminho de belém - brigadeiro e amendoim!
E Petrópolis para mim é o retrato de infância com todos os perfumes! Que delícia!
Adorei o texto! beijosss

Cissa Romeu disse...

Oi Lena,
voltei rapidinho só para te esclarecer que a voz que está lá no audiopost do meu blog é minha mesmo. Com certeza não ficou claro, até porque foi uma gravação caseiraaaaa rsrsrs
Beijos e ótima semana!
Você é uma simpatia de pessoa, se percebe pelo jeito com que escreve!

Hunoremconto
http://anaceciliaromeu.blogspot.com

Marly Bastos in "palavreados ao vento" disse...

Lena querida, desculpe-me, eu postei aqui e somente depois de uns 5 comentários notei que blog estava mesclado ao da minha filha (as vezes acontece isso) e postei tudo no nome dela: Rebekinha.
Desculpe-me, sou eu tá? Beijokas doces.

Artes e escritas disse...

O ser humano é capaz de catalogar mais de dez mil odores diferentes, li no livro O Perfumista. Muito boa a sua colocação sobre o olfato. Um abraço, Yayá.

Lilá(s) disse...

E os cheiros me trazem recordações tão boas! com o aroma de um lilás florido que havia no jardim da minha avó, unico!
Bjs