8 de julho de 2011

A sutil diferença entre dar o melhor de si e perder a identidade na relação


Você também já deve ter ouvido alguém contar sobre o fato de ter dado o melhor de si num relacionamento e, mesmo assim, ter-se dado mal.

Em geral, a queixa de homens e mulheres bons demais é a seguinte: fui muito dedicado, fiz tudo o que o outro quis e não fui reconhecido. Estou cansado de me doar completamente nos relacionamentos e sofrer. Não entendo por que as pessoas dizem que querem encontrar alguém legal e, quando encontram, simplesmente não dão valor... e por aí segue a descrição de uma dor que é realmente dilacerante, mas cujos motivos não são bem esses relatados!

Acontece que pessoas que se doam demais, que fazem tudo o que o outro quer são aquelas que, muito frequentemente, ainda não se deram conta da enorme importância que sua individualidade tem na relação. Ainda se equivocam ao acreditar que para serem amadas precisam ceder sempre, aceitar tudo e simplesmente se anular em função dos desejos da outra pessoa. Enganam a si mesmas acreditando que agem por amor.

Quem nunca se coloca, quem muito pouco discorda do outro, quem quase nunca expressa uma vontade que seja adversa, não faz isso por amor e, sim, por insegurança, por medo de que o outro não tolere ser contrariado e o deixe. Ou seja, estamos falando de uma auto-estima fragilizada, que precisa ser resgatada, alimentada e, sobretudo, auto-reconhecida.

É preciso que essas pessoas percebam que existe uma sutil diferença entre dar o melhor de si e se perder, perder sua própria referência num encontro de amor. Quem vai deixando de mostrar o que incomoda, quem vai deixando de falar sobre o que desagrada, vai se identificando e se misturando com o outro a ponto de se tornar uma espécie de reflexo dele.

E convenhamos: se realmente fosse bom se relacionar com o reflexo da gente, casaríamos com o espelho de casa e seríamos felizes para sempre. Mas ninguém quer isso! Embora a gente procure semelhanças e gostos parecidos no ser amado, queremos e precisamos das diferenças para que o relacionamento cresça, amadureça, engrandeça os dois. Admiramos o que é diferente de nós, aquilo que pode nos transformar em alguém melhor; queremos conquistar o que nos parece um tesouro que ainda não temos.

E veja bem: não estou falando de fazer joguinho de difícil e nem de se colocar aos gritos, impondo suas vontades. Estou falando da arte de encontrar o equilíbrio. Estou falando da encantadora dança do amor, que nada mais é do que a harmonia entre avançar e recuar, com leveza, inteligência, atenção, disponibilidade e, acima de tudo, capacidade de começar de novo ao errar...

Resumindo: quem sempre diz sim, vai se dar mal. E quem sempre diz não, também. O segredo é ceder às vezes e ser mais firme em outras, mas sempre – sempre! – mostrar ao outro qual é sua vontade e ouvir qual é a dele. Assim, quando você ceder, ele poderá reconhecer para que, numa próxima ocasião, ele possa ceder também. E se isso não acontecer, ou seja, se um terminar cedendo sempre, que vocês possam conversar e pontuar esse desequilíbrio.

Porque, de verdade, quem vive uma série de relacionamentos e sai delas com a sensação de quem nunca é valorizado, certamente está perdendo sua identidade, está se transformando numa companhia sem atrativos, exatamente porque decidiu (na maioria das vezes inconscientemente) ignorar seus predicados para enaltecer somente os predicados do outro. E assim, foi perdendo seu brilho, seu encanto, sua singularidade e também abandonando as características que, paradoxalmente, atraíram a pessoa amada...

Se você tem sofrido e se sentido injustiçado por ser bom demais e não receber em troca nem o amor que achava que merecia por tanta compreensão e dedicação, sugiro que comece a olhar um pouco mais para si e se perguntar: o que eu realmente quero?, mesmo que o tema seja simplesmente escolher o sabor da pizza. E especialmente quando esse desejo for importante, faça-o valer e não desista dele!

Em qualquer relacionamento, para o sucesso ou o fracasso dele, quem você for ou quem você deixar de ser é o que mais vai fazer a diferença! E se vai dar certo ou não, uma verdade é soberana: só vai valer a pena se você tiver conseguido ser você mesmo, ao menos na maioria das vezes!


Rosana Braga


Lovin’ You - Minnie Riperton



37 comentários:

Ma Ferreira disse...

Lindinha amanhã volto pra comenta..hj to cansada e gosto de prestar atenção no que leio..
Uma noite de sono, sonhando com os anjs..
bj

Ma

MARILENE disse...

Sábio post. Não podemos, para conviver, fazer as coisas sempre do nosso jeito. Mas a autenticidade é fundamental. E é nesse comportamento peculiar ao indivíduo, e bem natural, que o amor sobrevive.

Bjs.

QUIM disse...

olha talvez exista uma parte que de facto é assim..Mas também existe muito homem e muita mulher sacana!Eu passei por isso!existe muita gente covarde que te deixa apaixonar te ilude te faz soltar amarras mesmo sabendo que para ela é casual...Mas adora ser bajulado(a)...alimenta o fogo! E depois faz de conta que nem seqeuer la esteve! chamo a isso homicidios de amor...bjs querida ...um lindo dia..

Cissa Romeu disse...

Lena, tudo bem?
Que texto interessante.
É muito verdade, que se queremos alguém igual a nós, nosso reflexo, porque procuramos outro. Aí poderíamos ficar sós e pronto.
Mas existe uma fronteira muito pequena entre ceder e manter a pessoa amada. Mas sempre acho que se a pessoa, em tese, não será nossa, não será com ou sem o nosso jeito. Por mais motivos que isso, devemos ser quem somos, mais ninguém. Ceder, apenas o suficiente.

Lena, estou seguindo seu blog. Sou a Ana Cecília que fiz a crõnica "O Homem e o Cara" lá no blog da Má Ferreira. Te convido a conhecer meu blog, se gostar e quiser seguir, ficarei feliz!
Beijos.

Humoremconto
http://anaceciliaromeu.blogspot.com

AninhaGR disse...

Perfeito texto! Verdadeiro em cada palavra! Recuperarmos a identidade, nos resgatarmos lá atrás, no ponto onde nos perdermos, não é fácil... Mas está aí a vida, a nos ensinar, pelo amor ou pela dor. Gostei muito do blog! Seguindo! Paz e luz!

AninhaGR
http://pensamentoindelevel.blogspot.com/

A.S. disse...

Lena,

Vim deixar-te um beijo... ando atarefado com o lançamento do meu livro!

AL

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Um texto cheio de verdade! Essa procura do meio termo é imprescindível(nem sempre fácil)!
Bjs

mfc disse...

Precisamos de nos mantermos nós e simultaneamente de nos darmos... é um equilíbrio difícil, mas quando conseguido, leva-nos às nuvens.

C. disse...

Afe, que texto mais-que-perfeito!
Sempre tento dizer isso pras amigas que se sentem bem desse jeitinho aí, mas tenho certeza sou incompreendida e ainda levo a fama de besta.

Quando concordam demais com a gente chega a irritar, e nao digo apenas com o nosso parceiro (tao estranho falar parceiro, mas tudo bem rs)mas sim em geral também. Porque como o texto diz, as diferencas nos fazem crescer como pessoa. E falo nao de imposicoes, e sim da pessoa ser apenas o que é.
Pra ser sincera, eu acho que quem "ama demais" (nao tem até um tema "mulheres que amam demais" tratado pela psicologia?) nao vive plenamente o que é no relacionamento, mas só as custas do que o outro é, tudo baseado no medo de perder.

Quase chorei ao ouvir essa música, linda demais é pouco!

Vou encaminhar esse texto, miguxa. Continue achando essas relíquias e "amadeirando" as nossas reflexões e enriquecendo. Aprendi muito aqui já.

"You have made my life complete,
and i love you so." (Love me tender, Elvis)

Beijossssssssssss

Yasmine Lemos disse...

Somos sempre cobradores mútuos.Não há vítima ,existe corações cegos de paixão,faz parte do show...
beijão
Lena

AquilesMarchel disse...

acho que essse texto foi pra mim
sempre perfeita

Vilmar Barros de Oliveira disse...

OI Lena,
Ontem por coincidência, revi o filme "Cenas de um casamento" que trata justamente desse assunto, e fiquei impressionado em ver como o filme não envelheceu nada. Gosto muito de vir aqui ler vc, nem sempre dá pra comentar, tenho trabalhado muito (graças a Deus né?).
Beijo grande.

JAN disse...

LENA, PELO QUE ME DIZ RESPEITTO, FOI "NA MOSCA";-)

ABÇ

JAN

нєllєи Cαяoliиє disse...

Lena,
Acho que em uma relação que não cedem as diferenças,se tornam muito submissos,e é aí que deixam o sentimento de lado para viver do comodismo,porque sabe que o outro sempre irá concordar com aquilo sem contrarear,penso.
E esse é um dos mil motivos que relacionamentos não duram mais por anos!
Um texto bem rico e verdadeiro!
Parabéns,Amada!
Beijos

Meire disse...

Compotinha, acho que amar outra pessoa sem amar a nós mesmos não pode ser amor ao menos não amor verdadeiro ou a pessoa não tem uma personalidade ou porque perdeu-a no meio do relacionamento. Quando não falamos o que sentimos, damos a nossa opinião nas coisas acabamos por parecer tanto com o outro que vira uma simbiose. Saber falar "não" por respeito a si próprio tenho visto que é um dom porque tem muita gente por aí que tem uma dificuldade gigante nisso. Amar não é dizer amém para tudo! Se nem pai e mãe fazem isso, porque nós vamos fazer? E quando a pessoa começa a se perder em meio a vida da outra não vai acabar bem porque começa a se tornar patológico. O lance é ser quem a gente é realmente, quem tiver que gostar de nós vai gostar com nossas qualidades e nossos defeitos que não são poucos.

Fiquei aqui curtindo a música e olhando para o coraçãozinho com chamas ali do lado, voei para Marte e voltei kkkkk

A cada dia vc me surpreende mais com as escolhas de textos. E outra coisa tu escreve muito bem, mas acho que num notou isso. Olha os comentários que deixa, tenho vontade de juntar todos só para te mostrar, toca o coração da gente, vc tem esse dom!!!!

Minha amiga mais sweet, descansa e se cuida direitinho, fica deitada para melhorar logo!

Te amo muitão mãezinha do coração! ;)

ϟ Cynthia Brito disse...

Lena,

que texto magnífico da Rosana! Pura verdade, né? Aqui em casa, vejo meus pais sempre discutindo a relação de forma equilibrada... Prevalece o que for melhor pra os dois, pra família, e nunca a vontade de um só.
Enaltecer o querer dos outros é desvalorizar os eu querer (claro, quando isso não é tratado e forma pacífica, mas de forma equivocada... quando passa a ser costume)

Sempre muito reflexivo seus posts :D

Um beijo em ti, querida.

* Verinha * disse...

Com certeza há de se ter a sabedoria em encontrar o ponto exato onde o "dar o melhor" não ultrapasse o "seu anular" para satisfazer terceiros.

Belo texto Lena!
Um beijo em seu coração..
Verinha

Sandra Portugal disse...

Texto muito profundo e especial.
Belíssima música!
Amiga, passe lá no meu cantinho que hoje estou homenageando o Além das Nuvens!!!
bjks Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//

нєllєи Cαяoliиє disse...

Lena,Querida
Indiquei seu blog para receber alguns selinhos,fica a vontade se quiser aceitar ou não ;)
http://evidentesselinhosemimos.blogspot.com/2011/07/eu-demoro-mas-eu-atualizo-e-repasso.html
Beijos

AC disse...

Lena,
Todos nós precisamos de espaço, e quem se doa de mais costuma ter tendência a viver a vida do outro. Assim é impossível.

Beijo :)

manuel marques disse...

Post *****.

Beijo e bom fim de semana.

Ma Ferreira disse...

Lindinha..ainda bem que estou aqui..não ia me perdoar não fazer este comentário.

Acho que não podemos num relacionamento perder nossa individualidade. Sabe.. Fazer para agradar..
Ser o que não somos..concordar para sermos queridas, quando a vontade é dizer não.
Acho que suavidade, carinho..numa relação é tudo de bom.
Mas não podemos nunca deixar de coloca nossos pontos de vistas.
Concordar com tudo é chato..
E acho..que os homens não gostam de
mulheres muito boazinhas. Acho que eles preferem as autenticas. Mesmo pq..não podemos nos manter por muito tempo representando. Mais cedo ou mais tarde cada um mostra o que realmente é.
Ai vem a decepção.
Bom minha flor.. é isso..
Ficarei ausente um pouquinho..mas deixei umas postagens agendadas.
Fique com Deus..
Ma

Paula Moraes disse...

Estava com saudades de passar por aqui, sempre tem lindos textos para refletir e muito carinho...=)

Eu também estou aqui hoje para fazer um pedido especial...estou precisando do apoio dos amigos para votarem na minha poesia no link...
http://ostra-da-poesia-as-perolas.blogspot.com/
No final da página você põe o nome da poesia e o nome da autora:Poesia: Época boa de Paula Moraes...Me ajuda please? Podes até me dar dois votos, um voto de cada blog...=)
Obrigada.
Bjs e bom fim de semana.

Rô... disse...

oi Lena querida,

o ponto de equilibrio,
o meio termo,
a sensatez,
é sempre muito difícil,
mas não devemos desistir
nunca...

obrigada por nos lembrar!

beijinhos

ArcadoAutoConhecimento disse...

Olá Lena. Nada é por acaso. Hoje, particularmente, esse texto veio a calhar para mim. Nunca devemos deixar de expressar o que pensamos e o que sentimos, por insegurança. Beijos.

Luar disse...

Lena

Amei o post. Muito bem escolhido!
E pensar que fui assim até ao dia em que aprendi a amar-me antes de amar alguém!
O sim e a não discordância era uma forma de ser aceite, até dizer basta!
Chega de monólogos, palavras não ditas, vontades feitas!
Eu SOU, Eu AMO-ME , Eu não me ANULO mais!

Beijinho enorme com carinho!

Vera Lúcia disse...

Achei perfeito este texto da Rosana.
De fato existe uma grande diferença entre dar o melhor de si e perder a individualidade.
As pessoas que se anulam para agradar acabam perdendo o brilho, ficando desinteressantes. Daí o parceiro perde o encantamento. É preciso SER no relacionamento. É muito bom compartilhar, discordar, se for caso.
Aprendemos muito nas discordâncias.
A unanimidade se torna monótona e e nada enriquecedora.
Equilíbrio é tudo.
Beijos e um lindo fim de semana.

Peônia disse...

Essencial gostar muito de si mesmo antes de de gostar de alguém.
Pena que aprendemos isso, muitas vezes, tão tardiamente.

Beijos querida!

Catia Bosso disse...

Sabedoria por aqui é o que não falta né!!!

Adoro, li tudinhuuuu e fiquei a pensar... será que ao fim das conclusões, a gente passa a pensar realmente da forma como queremos?!

Acho que se trata de princípios também né!



bjs de bom findi ok!!!

LenaLindona! Amodoroooo!!!!

Thay Negrão disse...

Antes de amar outra pessoa, precisamos ter o nosso amor próprio!!!!!

Texto muito bom !!!!

Toninhobira disse...

Sempre um otimo texto,que sua sensibilidade nos brinda Lena.A identidade é tudo,nunca se perder, e fazzer valer voce.
Muito bom mesmo.
Um abração amiga.
Bju de luz nos seus dias.

soniaconsult disse...

Lena querida,
todo o amor, relacionamento...
nunca deve anular nenhuma das partes.
Buscamos o diferencial e não uma cópia de nós.

bjos e bom final de semana

Sandra Portugal disse...

Adorei as publicações nos seus dois blogs, e sua gentil forma de expressar sua gratidão e emoção no comentário lá no blog!
Sinceramente há tempos queria externar minha admiração pelo Amadeirado, e ontem, me dei conta ao passear calmamente pelo Além das nuvens, que você é MAIS QUE DEMAIS!!!! Consegue fazer super bem feito, bonito, expressivo e com personalidade própria dopis blogs distintos, com duas propostas distintas e de forma maravilhosa!!!! Vc merece tudo de bom!
bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//

lili Rebuá disse...

Olá querida, adorei o seu cantinho, percebe que foi feito com carinho... Especialmente gostei deste post sobre relacionamentos... O equilíbrio tem que ser uma constante para ser duradouro... Beijocas!!!

Severa Cabral(escritora) disse...

Viajando além das nuvens pude chegar aqui...amei de paixão...agora serei mais uma para seguir-te,rsrsrsrs
Bjs para aquecer teu blog que é forte!

Artes e escritas disse...

Há um limite entre ajudar e se anular. Um abraço, Yayá.

Aclim disse...

Esse povo vive atras de sua metade. Se fossem inteiros poderiam se sair melhor.