5 de fevereiro de 2012

Está procurando por um amor?




Algumas pessoas que estão sozinhas ficam se perguntando por que o último relacionamento acabou, onde erraram e, ainda assim, continuam a começar relacionamentos tendo o mesmo final: não deu certo! O que acontece? Por que algumas pessoas não percebem que repetem o mesmo padrão na busca por um relacionamento e por mais que desejem um relacionamento duradouro, não conseguem passar os limites de dias ou alguns meses? Para saber o que acontece por trás dessa repetição de padrão é necessário reconhecer os pontos em comum.

Pare por alguns minutos e reflita sobre seus antigos relacionamentos. Busque o que há em comum entre eles, seja na maneira que termina, como foi durante o relacionamento mas, principalmente, observe a maneira com que ele começa. 

Segue abaixo os comportamentos mais comuns quando estamos procurando desesperadamente por amor e que muitas vezes faz com que comecemos relacionamentos que terão o mesmo fim que os anteriores e que nos machucam um pouco mais. 

Leia abaixo e procure identificar se há alguma relação com seu jeito de agir: 

Por medo, muitas vezes inconsciente, de ficar sozinho, aceita a primeira pessoa que aparece, sem analisar se existem objetivos em comum, valores semelhantes, ou ignorando esses fatores; 

Mesmo havendo sinais evidentes que mostram que não é a pessoa mais indicada para se relacionar, você ignora e insiste em tentar algo; 

Ao conhecer alguém começa a ceder em tudo, só para agradar o outro, mas com o tempo percebe que perdeu a si mesmo; 

Por não ter referências de um relacionamento sadio, permite-se receber muito pouco ou manter um relacionamento destrutivo; 

Confunde amizade, gentileza, apego, com amor; 

Por dificuldade em dizer não, aceita sair com alguém mesmo percebendo que não é quem quer; 

Fica preso às aparências e promessas que raramente se concretizam; 

Simula um encontro casual, deixando a outra pessoa sem opção; 

Sem amor-próprio ou respeito por si mesmo, implora que o outro fique ao seu lado, mesmo sabendo que o outro não o quer mais; 

Acredita que o que essa pessoa que acabou de conhecer fez no último relacionamento não fará com você; 

Pretende ajudar o outro a superar os problemas atuais, com o desejo inconsciente de salvá-lo e quem sabe, assim irá perceber seu valor e ficar com você; 

Ignora as incoerências entre as palavras e as atitudes; 

Acaba de conhecer uma pessoa e já se imagina, ou age ou espera, como se tivesse um relacionamento de anos; 

Insiste em querer que a pessoa seja o que idealizou, mesmo que se mostre muito longe de ser quem você espera que seja; 

Confunde atração física com amor, ou espera que, mantendo relações sexuais, obterá amor; 

Permanece no relacionamento mesmo estando infeliz, esperando que o outro mude, ainda que não demonstre interesse em mudar. 

Como podemos observar, há alguns sinais evidentes que a relação dificilmente dará certo, mas por alguns motivos, muitas vezes inconscientes, as pessoas ignoram esses sinais. 

Há momentos em que tudo que conseguimos perceber é apenas a confusão em que nos encontramos, onde os sintomas são facilmente identificados: angústia, pesadelos, dores no corpo, insônia ou necessidade de dormir mais, agressividade, irritabilidade, entre outros sintomas, mas interpreta esses sintomas pelo fato de estar só. Não é a solidão que o leva a entrar em relacionamentos desastrosos, mas a falta de conexão consigo mesmo e, isso sim, é que intensifica a solidão. O que poderá refletir em todas as relações, seja brigando, machucando, sendo machucado, mantendo assim o mesmo padrão. 

Para mudar padrões é preciso reconhecê-los e se responsabilizar por ter permitido que sua mente ficasse em total desordem. Você é a única pessoa que poderá arrumar toda essa bagunça. Mas nesse momento, você deve estar se perguntando: Como? Primeiro entenda que se esconder fugir ou evitar as dificuldades não irá resolve nada, pois quase sempre, ficar parado não produz mudança alguma. É importante entender que toda experiência proporcionada pelos relacionamentos anteriores, ainda que tenham sido desgastantes e dolorosos, foram necessários para seu crescimento. Só assim conseguirá quebrar esses padrões. Para isso só há um caminho: a consciência que muitas vezes queremos nos relacionar com alguém antes de nos unirmos a nós mesmos. Mas será que isso é possível? Não! Você não conseguirá receber amor de fora enquanto não receber o amor que há dentro de si mesmo! Pense nisso!



Rosemeire Zago



10 comentários:

mfc disse...

Gostei imenso de ler este texto... e fez-me muito bem!

Van disse...

Oi Lena

enfim, para ter alguém não se pode precisar dela, temos que nos bastar, só assim encontraremos relacionamentos saudáveis, sem projetar em pessoas erradas todo o nosso anseio e querer que elas ou o relacionamento correspondam às nossas necessidades.

Este texto coloca de maneira muito clara o assunto.

Um beijo!

Gisa disse...

Pensar muito, aceitar compartilhar, respeitar opiniões, saber ceder na medida e quando necessário tudo apoiado em amor, amizade e cumplicidade. Faço isso há 28 anos e tem dado certo até agora.

Toninhobira disse...

Perfeito texto com abordagem completa para uma reflexão da dificil arte de relacionar.
Bela generosidade Lena.
Uma bela semana a voce.
Meu abraço.
Beijo.

eva mooer disse...

Lena....A solidão é o montro para quem não suporta viver sozinho,então qualquer coisa que o tire dela serve,pelo menos por momentos.Essas questõe que vc escreveu são valiosas para se fazer e pensar muito bem nas respostas.Acredito que fará toda a diferença num próximo relacionamento.
beijokas

Mara Ribeiro disse...

Lindo o texto Lena. Com ele dá pra se pensar muito o que estamos fazendo com nosso amor.
Bjo no coração.

Leninha disse...

Amiga querida,

Belo e reflexivo texto,amiga.Temos que nos bastar a nós mesmos,antes de pensarmos em um relacionamento.
Bjssssss,
Leninha

Sandra Botelho disse...

Muito interessante amiga.
Adorei ler, muitas vezes é disso que precisamos.
Bjos achocolatados

ॐ Shirley ॐ disse...

Oi, Lena, não se deve ir com muita sede ao pote...É preciso ir com calma, discernimento e dar tempo para que os sentimentos amadureçam. Beijos de luz!

Vencer Barreiras disse...

Adorei isso! Bastante reflexivo! Foi bom vir aqui:)