27 de junho de 2012

Amor: energia universal




O que a nossa humanidade mais precisa é despertar o amor em todos os corações. Dilacerada pela violência, ela chegou perto do fundo do poço. E deste lugar, só lhe resta uma alternativa, é olhar para cima, em direção ao sol, à luz da sabedoria e ao calor do amor.

O amor do coração foi progressivamente abafado por quatro mil anos de dominação dos homens, que limitaram a participação das mulheres à família e ao lar. Resultou disto uma repressão dos valores femininos no Homem, e com eles o próprio amor. A nossa cultura masculinista esta na raiz do desenvolvimento extremo das qualidades intelectuais mais particularmente da razão, que leva ao domínio absoluto da ciência e da tecnologia, e limita a educação ao puro intelecto. Os valores do coração e do espírito são desprezados e relegados à religião.
Resulta disto um racha entre razão e coração. E chegamos aos extremos das aplicações frias da ciência através da tecnologia, à fabricação descontrolada de armas e ao seu uso na matança de seres indefesos no terrorismo ilegal e nas guerras legais, tanto faz. As empresas usam as tecnologias tanto a serviço de valores construtivos ou destrutivos desde que se obtenha o devido lucro.

O advento do movimento feminista levou as mulheres à saírem do seu lar para trabalhar fora. Isto faz com que, progressivamente, os valores afetivos penetram na empresa e no trabalho humano em geral. A preocupação masculina exclusiva pela efetividade, vem se integrar harmoniosamente o valor feminino da afetividade. A exclusividade de focalização empresarial pela produção, está se acrescentando um interesse cada vez maior pelas pessoas, isto é pela qualidade de vida de cada funcionário. É de esperar também que com o ingresso de mulheres na política, o Amor e a preocupação pelo ser humano tornem se cada vez mais central na gestão das sociedades O futuro desta gestão se acha num reencontro do masculino e do feminino em cada um de nos.

Tirar o amor da vida humana é ameaçar a própria vida no nosso planeta. Pois a destruição ecológica é o resultado da falta de amor à natureza, que leva o ser humano a um suicídio progressivo, o qual já começou.

O amor é a força que sedimenta todos os conjuntos. A energia que liga entre elas as partículas do átomo é amor, garantindo assim a existência da matéria.

O amor é a energia que une as células formando os tecidos das plantas, dos animais e do nosso corpo.

O amor é a força que atrai os dois sexos garantindo a continuidade de todas as espécies, vegetal, animal e humana.

O amor estimula a nossa criatividade insuflando o nosso entusiasmo pela vida e inspirando a nossa alma poética.

O amor é o fator que proporciona a ternura dos casais e amizade entre pessoas.

O amor é a liga das estrelas formando o Universo.

Onde há amor é impossível a violência, o terrorismo e as guerras. Despertemos a todo instante o amor no nosso coração para todos os seres viventes. É a melhor contribuição que podemos dar para a nossa humanidade sair do atoleiro em que está enleada!

Pierre Weil

4 comentários:

Rô... disse...

oi minha querida amiga,

amor é tudo,
é cada partícula,cada célula,cada poeirinha transformadora...

beijinhos

Ingrid disse...

querida Lena,
se o mundo se entregasse um pouquinho mais ao amor...
beijos de carinho..

Leninha disse...

Amei esta frase:
O amor é a liga das estrelas para formar o Universo.

Muito Amor para você,xará.
Bjssssss,
Leninha

Palavras disse...

Lindo texto Lena!

Excelente escolha como sempre!

Beijos

Leila