13 de julho de 2012

Perdão: amor em ação


Quem verdadeiramente ama, é capaz de perdoar! Uma ideia bonita, que soa como coerente, mas que é tão difícil de ser vivida... Porque para perdoarmos é preciso, em primeiro lugar, que aceitemos o outro como ele é e a situação criada como decorrente desta diferença. 

Sabemos que estamos todos numa escola nesse nosso planete e que é aqui que treinamos a vivência do que já aprendemos; no convívio com pessoas que não estão no mesmo estágio de compreensão que nós. Numa mesma família, necessariamente todos os seus membros não estão na mesma “classe”, nem todos se compreendem e daí é que surgem os desentendimentos inevitáveis e que causam tanto sofrimento. 

Estamos misturados para que em contato com os que nos cercam, possamos aprender e ensinar. Como nem sempre temos consciência disto, queremos exigir um comportamento de cada um, da forma que achamos correto. Almejar isto é até um bem, pois quando nos colocamos contra uma atitude de alguém, se fazemos isto de forma não violenta, estamos até esclarecendo aquela pessoa. Mas o pior é que muito raramente conseguimos perdoar àqueles que nos fazem sofrer e chegamos, inclusive, a nos vingar da ofensa recebida. 

Como podemos exigir que um aluno que ainda não foi alfabetizado leia um discurso? Alguém que nunca estudou física pode entender fenômenos que esta matéria ensina? Quem nunca tocou um instrumento pode tocar a partitura de um clássico? Sabemos que não e se não o podem, procuraremos ensiná-los, se for o caso, mas não viraremos as costas para eles como se nos devessem alguma coisa. Na verdade, eles estão precisando de nossa ajuda e se pudermos e eles o quiserem, através do ensinamento os ajudaremos. 

As diferenças de nível de compreensão, causadas pela diversa evolução espiritual de cada um, não poderiam ser tratadas da mesma forma, por cada um de nós? É claro que posso declarar ao outro que me magoou, mas será que sabendo do porque dele ainda estar ferindo, ao agir, não é mais fácil que eu o perdoe? 

Se não somos capazes de perdoar, criamos correntes fluídicas entre nós e os nossos ofensores, que só serão cortadas quando um de nós for capaz de perdoar o outro. Cada um em seu nível de entendimento. Parece-me que aquele que já cresceu é mais capacitado a compreender o deslize do outro e tentar ir adiante, sem carregar tamanho fardo pesado e incômodo. 

Aceitando melhor os outros com suas dificuldades, procurando ter mais paciência com os que erram, podemos até lhes ajudar a seguir mais rápido na mesma direção que estamos tentando caminhar. 

Podemos olhar o que cai como alguém que precisa aprender, ou como alguém que precisamos apenas punir e diminuir, banindo de nossa visão. Como seres que já vivenciamos muitas experiências diferentes, no curso dos tempos, quase tudo que vemos no outro como erro, já cometemos também e justamente por isto é necessário que não sejamos tão duros e prepotentes, pois diante do universo de amor e do conhecimento de seres de outras dimensões, ainda nada sabemos ou somos. 

Parece-me que perdão é o amor em ação. Se a gente ama, pode e deve procurar perdoar, sempre lembrando que talvez, na nossa ignorância, já tenhamos aprendido aquela lição que não chegou ainda a ser compreendida por aquele irmão. Perdoando, aceitando, podemos seguir caminhando! Não precisamos ficar estacionados e afivelados a um passado que já aconteceu e que não podemos fazer nada para mudar.


Maria Cristina Tanajura

5 comentários:

bixudipé disse...

Excelente texto! Mais uma vez, muito sensato. Então, realmente, o perdão é nobre, e não é para qualquer um!

Abração,
Rodrigo Davel

Calu disse...

Objetividade e claridade conduzem todas as linhas do texto.Exercitar a ação de perdoar deveria fazer parte dos hábitos diários.
Obrigada pela ótima escolha e partilha, Lena.
Bjos,
Calu

Leninha disse...

Minha querida Lena,

Compreensão é algo que precisamos exercitar em nossa convivência e perdão é o que temos que ensinar ao nosso coração.

Belo texto,xará.

Bjssss,
Leninha

Anita de Castro disse...

Lena

Perdoar é uma das palavras chave e poderosa na lei do universo

BJS

Anita

AUDENI OU Dona Mocinha disse...

Tudo bom Lena?

Voltei algumas páginas p/ conhecer melhor teu blog, e me deparei com o "Perdão", lembra daquele livrinho "Minutos de Sabedoria"?
Acho que nada é por acaso, e eu precisava ler este texto hoje!


Beijos e um ótimo final de semana p/ vc.


Audeni