29 de outubro de 2012

A felicidade no amor depende da reforma íntima




Ser feliz no amor é uma dádiva divina ou merecimento? Você vê pessoas aparentemente boas que vivem dramas pessoais nos relacionamentos. Outras que têm graves falhas de caráter, mas conseguem oportunidades no amor. Encontram admiradores, flertes, namorados e até casamento.

Homens com perfil de cafajeste prosseguem engrossando a fila de mulheres apaixonadas. Mulheres maltratam seu parceiro e ele insiste em ficar ao seu lado. Mulheres carinhosas permanecem em suas casas sonhando com um amor real que nunca vem. Outras que investem apenas na carreira estão cheias de admiradores e até afastam bons partidos.

Qual é o segredo da felicidade no amor?

Parto do princípio que tudo que nos acontece tem uma causa. Nada acontece por acaso e você, somente você, é responsável por suas escolhas amorosas mesmo em nível inconsciente.

O ser humano não nasceu para a solidão! No entanto, a solidão merece esclarecimento. Merecemos amor e carinho, mas temos que estar preparados para a solidão. Nossa experiência é única! Nascemos sozinhos e morreremos sozinhos! Viver um amor real carece de maturidade emocional. Só assim terá elementos para atrair um companheiro amoroso e enfrentar as provas difíceis de um convívio a dois.

Atualmente, o amor é muito mais livre! Amar não é respirar o mesmo ar que ela respira. O amor real preserva a individualidade. Um enriquece o outro com suas virtudes e características pessoais. O sexo é um meio de expressar carinho e amor, mas nem sempre fazer sexo com uma pessoa garante o amor.

Se você quer amor aprenda o valor da sua liberdade. Conquiste equilíbrio emocional e uma cabeça boa. Senão poderá caminhar pelo atalho pedregoso da paixão desenfreada e do ciúme. Essas emoções não sinalizam amor, mas sim, desequilíbrio. E esse desequilíbrio vai prejudicar os centros energéticos da sua aura. Provocar doenças e neuroses.

Cultive a paz de espírito e a saúde. Livre-se da ansiedade da espera do amor. A ansiedade afasta mais ainda a realização do sonho. A confiante expectativa de que o amor está chegando lhe trará confiança em si e autoestima. Viva o agora e aproveite sua própria companhia.

Mais do que o coração aprenda a usar sua intuição para ser feliz no amor. Se você usar somente a razão jamais vai amar. Sua mente vai racionalizar cada emoção e cada momento. A intuição é a linguagem da sua essência espiritual. E ela sabe o que é bom para você.

Insistir em relações que trazem sofrimentos, humilhações é negar sua natureza divina. Ninguém é feliz se não se sente livre. A liberdade pede saúde emocional, autoestima e paz de espírito.

O amor não pode ser uma prisão. O amor é um sentimento livre e intenso que, se for verdadeiro, permanece após a morte. O amor é dinâmico e necessita de uma constante reforma íntima para permanecer mesmo perante à adversidade.

Preste atenção aos seus infortúnios amorosos. O que eles dizem? Qual é o sinal que eles mostram? Aprenda com o sofrimento a fazer escolhas. Mesmo que erre em suas escolhas amorosas tudo é caminho para amor verdadeiro. Relações sofridas amadurecem e fortalecem nosso caráter. Devemos aprender com nossos erros para não repeti-los.

O amor é uma emoção natural que independe do seu controle, mas o livre-arbítrio depende de você. O medo da perda atrai a perda. A insegurança amorosa favorece a infelicidade. O ciúme atrai a separação.



Sandra Cecília F.de Oliveira

4 comentários:

Rô... disse...

oi minha amiga,

muito verdadeiro e lindo,
e concordo que o ciúme atrai a separação...

beijinhos

eva mooer disse...

sensacional....direto no peito....obrigada.

António Jesus Batalha disse...

Meu nome é António Batalha, estive a ver e ler algumas coisas de seu blog, achei-o muito bom, e espero vir aqui mais vezes. Meu desejo é que continue a fazer o seu melhor, dando-nos boas mensagens.
Tenho um blog Peregrino e servo, se desejar visitar ia deixar-me muito honrado.
Ps. Se desejar seguir meu blog será uma honra ter voce entre meus amigos virtuais, decerto irei retribuir com muito prazer. Siga de forma que possa dar com seu blog.
Deixo a minha benção e a paz de Jesus.

Célia Rangel disse...

Amo o essencial. É o que dignifica os amores. Superficialidade evapora!
Bj. Célia.