29 de janeiro de 2011

Mitos e verdades sobre o café



 
O café é, de longe, uma das bebidas mais apreciadas do mundo. Mas existem alguns fatos sobre ele que pouca gente sabe. Confira-os.

Cafeína mata
Mas não precisa entrar em pânico. Para chegar a esse ponto, seria preciso tomar de 80 a 100 xícaras de café num tempo bastante curto. O que acontece é que a cafeína é um estimulante: aumenta a pressão sanguínea, a frequência cardíaca e contrai os vasos sanguíneos. Logo, o excesso da substância pode ocasionar derrames e problemas cardiovasculares. Mas ninguém precisa abrir mão do cafezinho. É seguro tomar, diariamente, de duas a três xícaras da bebida.

Café pode fazer bem
O café é rico em antioxidantes e uma ou duas xícaras por dia podem trazer benefícios à saúde. A cafeína pode até trazer riscos à saúde, quando ingerida em excesso, mas os antioxidantes do café estão aí para fazer bem. Tudo depende da moderação.

Cafeína impulsiona o desejo sexual feminino
Pelo menos em ratas. As que receberam cafeína levaram menos tempo para voltar a procurar seus parceiros depois da primeira “brincadeira”. É preciso levar em consideração que as cobaias nunca haviam tido contato com a cafeína, portanto sua ingestão pode ter este efeito apenas em quem nunca tomou café ou não costuma consumi-lo com frequência.

Café alivia a dor
O estudo ainda não é amplo, mas segundo especialistas uma ou duas xícaras podem diminuir a dor causada por atividades físicas. A esperança dos pesquisadores é que o café possa estimular pessoas a manter suas promessas de se exercitar e ser mais saudáveis.

Cafeína pode manter acordado durante a noite
Sim. Recomenda-se que não se beba café menos de seis horas antes de ir para a cama, a menos que a intenção realmente seja ficar acordado.

Café descafeinado tem cafeína
A única diferença é que a quantidade de cafeína é bastante reduzida, mas dez xícaras de café descafeinado equivalem a uma ou duas da versão tradicional da bebida.

Descafeinização usa química
O método mais comum para retirar a cafeína consiste em cozinhar os grãos de café no vapor para elevar sua umidade. O processo dissolve a cafeína e a leva para a superfície, de onde é retirada com a ajuda de um solvente orgânico. Então os grãos são retirados, secos e estão prontos para o consumo.

Cafeína não é amarga

A culpa do sabor amargo do café é, na verdade, de duas outras substâncias presentes em seus grãos. Uma é o ácido clorogênico lactonas, encontrado nos grãos claros a médios. E outra é o fenil indane, presente nos grãos mais escuros. Mas estas substâncias amargas são antioxidantes, então não há razão para adiconá-las à lista negra.

Um bom café depende da torradez dos grãos e de seu preparo
Enquanto ele é torrado, o óleo preso nos grãos emerge devido à alta temperatura. Quanto mais óleo, mais forte o sabor. A cafeína costuma escapar de dentro dos grãos conforme eles passam mais tempo em contato com a água vaporizada durante a torragem. Logo, o café comum costuma ter mais cafeína que o expresso ou o capuccino, uma vez que novamente fica mais tempo em contato com a água. Quanto mais escuro o grão, mais cafeína.

Há mil anos, na Etiópia, um rebanho de cabras manteve seu pastor acordado toda a noite por terem encontrado um grão que agradou seu paladar. O pastor levou o grão para monges da região. Daí, o café chegou na Península Arábica, onde fez grande sucesso, e se espalhou pelo mundo.


Da Redação do Maisde50

Um comentário:

manuel marques disse...

Desculpa de só hoje chegar a este post ,mas já que assim aconteceu vou contar-te um segredo....

Eu sem caféina não funciono...

Beijos meus.