18 de março de 2011

Está com medo de ser feliz?




A gente olha o cara, repara bem, acompanha os gestos, as palavras, gosta do que vê. Começa a dar vontade de tocar, ver com mais freqüência, conhecer melhor. Vocês descobrem afinidades, compartilham valores semelhantes. Ele é livre, você também... Parece bem promissor, hein?

Mas, como nem tudo é perfeito, existem pequenos impedimentos. Pequenos, eu disse. Ele pode morar em outra cidade, por exemplo, ou ser um amigo que até outro dia não lhe despertava nada além de um bem-querer, entre outras situações que não chegam a tirar o sono.

Eis que acontece e é simplesmente maravilhoso! Um encontro mesmo, desses raros. Um encontro com alguém que você desenhou durante a vida, cujo esboço nunca se encaixou em outros. “E aí já era...”, conforme diz a romântica letra da dupla Jorge & Mateus. É tão bom que nem dá para acreditar. Chega a incomodar tanta felicidade, afinal o que você vai fazer com isso? Viver intensamente?

Que horror, nem pensar! Ser feliz implica em ser infeliz no momento seguinte e você não está acostumada com nada que passe longe da frustração. Melhor frustrar agora, antes que fique melhor ainda, certo? E, diante da descrença da felicidade, os pequenos impedimentos se tornam enormes e intransponíveis; estufam na mesma proporção da incredulidade. A cidade é distante demais, a amizade é grande demais e as outras situações sem importância ficam importantes demais. Resta abandonar o banquete.

Porém, há que ter perspicácia na hora de cair fora para não pagar de louca: estressar com bobagens sempre funciona; caçar defeitos é ótimo, dar uns perdidos ou sumir de vez é certeiro, arrumar outro que tenha a decência de oferecer um risco menor de prazer é fatal. Que pena! Parece brincadeira, mas muitas pessoas de bem agem assim: traem a felicidade, boicotam a alegria para não pagar o preço do pecado de ser feliz ainda que por um único dia. O jornalista Caio Fernando Abreu escreveu a seguinte frase: “Pensar é ainda fuga: aprender subjetivamente a realidade de maneira a não assustar. Entrar nela significa viver”. Você é do tipo que pensa ou entra? Aprende sem susto ou vive descaradamente?



Fernanda Santos


5 comentários:

MENTORESDELUZ.BLOGSPOT.COM disse...

OLA AMIGA QUERIDA ,VOU POR AQUI
PARA VOCE UM PEDACINHO DE UMA MUSICA
(VIVER E NÃO TER A VERGONHA DE SER FELIZ,CANTAR E CANTAR A ALEGRIA DE SER UM ETERNO APRENDIZ)
ASIM É A VIDA PARA SER VIVIDA .
PROCURANDO APRENDER SEMPRE MAIS NÃO IMPORTA SE ERRANDO ,MAS VIVENDO SEMPRE,UM ABRAÇO COM CARINHO MARLENE

soniaconslt disse...

Leninha que saudade!
Fico um dia sem vir te ver e parece que foi uma eternidade!
Eu não constumo pensar muito.
Sou impulsiva. Às vezes me arrependo, mas não admito, é segredo meu!
Um bom dia minha linda

Kiro Menezes disse...

Eu aaaaaaaaaaaaamei!!!

Olha só!
http://diariodakiro.blogspot.com/2011/03/esta-com-medo-de-ser-feliz-blog.html

Eu não consigo me conter!!!

hehe

Desculpe estar meio sumida... COOISAASSS... Depois eu conto!


Beijinhos amorinha!

^_^•

soniaconslt disse...

Tem um selinho pra ti aqui
http://soniaconsult-portal.blogspot.com/

Maria disse...

Amiga excelente escolha. Eu tento não ter medo de ser feliz, mas ás vezes as circunstâncias da vida me fazem ponderar um pouquinho.
Tenha um maravilhoso fim de semana
beijinhos
Maria