22 de junho de 2011

Enfrentando a dor da separação




Quem está passando por uma separação sabe bem a dor que isso causa e como é difícil manter o equilíbrio e a serenidade. Nesse momento nos sentimos tão sem valor, que não encontramos forças para fazer algo por nós mesmos. Há uma mistura de sentimentos: culpa, abandono, raiva, medo, rancor, tristeza, frustração, impotência, dor, solidão e não sabemos o que fazer com cada um deles.

Muitas pessoas têm a tendência a negar os seus sentimentos, agindo como se eles não existissem dentro dela. É como se houvesse uma cobrança interna e muitas vezes, externa, de que não se deve sofrer e muito menos, demonstrar seu sofrimento. Como não sofrer quando nos sentimos abandonados em nosso amor, em nossos sonhos? Negar o que sente é o caminho menos indicado, pois se não deixar esses sentimentos virem à tona, reprimindo tudo que sente, eles poderão buscar outra forma de serem expressos, em geral através de nosso corpo. Por isso, por mais que esteja doendo, e em geral a dor é muito intensa, enfrente tudo que sentir. Chore, fique triste, mas permita-se sentir.

Separar-se de quem se ama não é uma tarefa das mais fáceis, ainda que o relacionamento estava sendo destrutivo, ainda que aquilo que você chame de amor venha a descobrir que não era amor. É um momento de muita dor, como se tivessem atingido a nossa própria alma, que agora sangra de tal forma que parece não se cicatrizar nunca. As emoções ficam mais expostas e a razão parece sequer existir. Ficamos totalmente sem defesas e, assim, sem proteção. E o que mais nos pedem é que sejamos racionais.

É comum nessa hora esquecer-se de tudo que causou sofrimento, e do quanto os valores eram muito diferentes. Geralmente a pessoa pela qual nos separamos está muito distante daquela com a qual começamos o relacionamento. Essa pode ser uma das causas da dificuldade em aceitar a separação, pois ficamos sempre esperando que um dia essa pessoa volte a ser quem um dia conhecemos e amamos, ou quem idealizamos. Lembramos tudo que foi vivido de bom, dos momentos agradáveis, das juras de amor eterno, dos sonhos. Mas há quanto tempo será que você já estava sonhando sozinho? Uma relação é feita a dois, lembra-se? Apesar da perda, dos erros e feridas, podemos e, devemos, fazer algo para conseguirmos suportar esse momento tão cruel e que parece não ter fim.

- Não negue os acontecimentos, nem o que sente, nem sua dor. Por mais que esteja doendo, enfrente sua realidade, pois só assim conseguirá transformá-la. Respeite todos os seus sentimentos.

- Resista a tentação de querer se vingar com o intuito de fazer com que o outro sofra tanto quanto está sofrendo. Assuma a raiva que está sentindo por estar passando por isso, e lembre-se que ao ficar pensando nas diversas formas de se vingar, só estará mantendo o sofrimento que tanto quer se libertar.

- Ficar gritando para o mundo do que aconteceu, ligando ou enviando e-mails contando o que aconteceu a todos, não irá diminuir seu sofrimento, só fará com que se exponha para pessoas que nem sempre são dignas de sua confiança. Procure ser cuidadoso com quem irá desabafar para que não ouça mais cobranças além das que você mesmo se faz.

- Procurar um outro amor desesperadamente, ou se envolver com alguém por horas ou dias, também não irá curar sua dor. Poderá apenas amenizá-la,mas quando estiver sozinho novamente com seus pensamentos, tudo irá retornar com a mesma intensidade.

- Perceba se o que está machucando mais é realmente a falta da pessoa que se foi ou o sentimento de rejeição que está sentindo.

- Se havia sofrimento, por que quer voltar? Pense um pouco mais sobre isso. Analise, explore, reflita sobre tudo que aconteceu, considerando a realidade dos fatos e não aquilo que gostaria que tivesse acontecido.

- Evite ter pena de si mesmo. Autopiedade não faz bem a ninguém, nem ficar no papel de vítima, culpando o outro por tudo que aconteceu. Assuma sua responsabilidade na relação.

- Em situações de perda tendemos a ficar inseguros, com a autoestima baixa e sem amor-próprio e assim, sentimos muita dificuldade em fazer algo por nós. Relembre como era sua vida antes desse relacionamento. Quantas coisas não deixou de fazer por você? Quantas pessoas não deixou de ver? Retome sua vida. Pense em algo que o faça se sentir bem e comece a se cuidar com muito carinho.

É nesse momento que poderá perceber a força que há dentro de você, e que o caminho por mais árduo que possa parecer nesse momento, poderá ser tornar muito mais iluminado, se permitir que sua própria luz o conduza!

Rosemeire Zago 
Genesis-I Know What I Like



27 comentários:

Silenciosamente ouvindo... disse...

Eu sei o que foi passar por uma
separação ao fim de 40 anos...
E ainda hoje dói e há sempre um
pouco de revolta.Obrigada por
ter permitido que lesse esse texto.
E por se ter registado no meu blogue
http://umsolquente.blogspot.com
O meu mais recente é http://sinfonia
esol.wordpress.com
mais virado para a poesia.
Um beijinho
Irene

Sônia Silvino disse...

Lena queriiiiiiida!
Saudades de te visitar!
Nunca sofri por uma separação (a não ser por morte), mas não deve ser nada fácil.
Amada, criei um selo especial para presentear a você:
http://selosemimosdosblogsdasoniasilvino.blogspot.com/2011/06/um-presente-especial.html
Motivo? Eu adoro este blog!

mfc disse...

Uma descrição perfeita da mistura de sentimentos que nos invade sempre que um processo de separação decorre.

Luar disse...

Xiiii... me fez recuar no tempo, por muito que me custe assumir, até quase voltei a sentir na pele!

Mas é possível superar...SIM !!!

Beijinhos

CaFoFo online@ disse...

Tao bonitos os discursos, mas quando a felicidade está na separação mesmo, o jeito é firmar os pés na estrada, fazer o quê.
Tudo tem um tempo na vida da gente, até as pessoas, e nem nós somos eternos na vida de ninguém, é assim que penso. Dói, mas é a vida chegando e abrindo os bracos dizendo bem vindo a felicidade novamente, tentando sempre ver o lado bom, apesar de ser meio impossível, muitas vezes.

Bonito texto, compotinha!!!!! (como sempre né!)

Ti love, boa quarta aí pra você!

Su disse...

Bom dia Lena querida...

esse seu texto de hoje é delicado, dolorido mesmo, mas necessário... Já passei por isso, e sei a dor que uma separação pode causar em vários aspectos, mas o bom é saber que depois de um tempo, tudo se acalma, se resolve e voltamos a viver, leva um tempo, sem dúvida... mas se não há outro caminho, o melhor e buscar nossa felicidade da maneira que entendemos que será o melhor.

Obrigada pelos selinhos, fiquei feliz em ver meu cantinho lá.

Beijos e uma linda quarta-feira pra ti. Su.

Zé Carlos disse...

Oi Lena, obrigado pela visita mas indique o blog para a sua amiga da Áustria, lá é um país maravilhoso de outro mundo!!!!

Beijão do Zé Carlos

Ingrid disse...

separar,deixar,desistir..
palavras ligadas à dor que vem e fica..
pode demorar ,mas uma hora a decisão tem que ser tomada.
belo post Lena..
beijos e obrigada pelo carinho lá no Perfumes.
bom feriado!

ϟ Cynthia Brito disse...

Acho que o importante mesmo, nessas horas, é não negar o que se sente, como você mesma disse na postagem. Ser realista, forte, deixar as lágrimas rolar ou os sorrisos serem gargalhados... enfim, deixar que aconteça o que tem de acontecer. Interferir em tudo com um garfo, como quem está espetando alguém, não vai servir de muita coisa. E também, não adianta forçar a barra. Pois tudo acontece conforme existe! É bom que haja momento pra tudo... até mesmo para a discussão, que é fundamental num relacionamento, principalmente nesse estado de separação, onde a dor magoa o coração e é tão profunda que entristece a alma. Não sei a pior coisa que passa na vida de quem sofre a separação... se é dor, ou solidão, ou medo. Não sei. Mas, como você falou, Lena, é uma mistura de tudo, então significa dizer que a vida da pessoa fica um emaranhado de coisas, uma roda gigante, um carrossel. É preciso, no entanto, saber lidar com todo esse turbilhão de coisas que acontece pra não pegar uma loucura ou qualquer tipo de doidice. Se não deu, já era! Bola pra frente, porque ainda dá tempo pra recomeçar!

Para aqueles que ainda não tiveram coragem de apertar o botão reiniciar da tela do computador da sua vida: Sejam fortes e procurem abrigo na vossa fé... Ela te sustentará! Entregue sua vida nas mãos do Pai e seja propício ao que vos acontecer.

Deus escreve certo por linhas certas. Somos nós quem as entortamos.

Sabe, Lena, eu poderia falar mais trilhoes de palavras aqui... mas o tempo é curto e também se eu falar demais você vai me achar com cara de uma velha irritante. Então, vou parar por aqui. Mas gostei muito de seu texto. E espero que possa ler meu comentário do início ao fim! rsrs

Bom são João!

Beijos.

Wanderley Elian Lima disse...

Oi Lena
Acho que o mais difícil é a pessoa aceitar que acabou. Ela sempre fica acreditando que vai conseguir concertar o que não tem concerto, e vai adiando a decisão por medo de sofrer.Qualquer término é sofrido, mas esse sofrimento só será eterno se a pessoa não tiver o mínimo de amor próprio. A vida continua.
Bjux

.:*Aline*:. disse...

Só quem passa ou passou por isso eh q sabe a dor que sente.
O melhor a fazer eh aquietar o coração e refletir sobre o sentimento, a dor, o relacionamento.
E só uma coisa pode curar a ferida: o tempo.
Adorei o post.
Bju querida!

Meire disse...

Lenoca, minha estrelinha, separação é sempre um luto que tem que ser vivido fora e dentro de nós, não podemos negar o que estamos sentindo (apesar de na maioria das vezes isso acontecer). Tá aí uma dificuldade que eu tenho, de quando estou triste viver a tristeza, me permitir chorar, acho que cobro de mim mesma uma felicidade constante e a vida num é bem por aí.

Acredito que superamos uma separação quando não ficamos falando nela constantemente, e tem ocasiões que gostamos tanto da pessoa que não queremos pôr um fim num relacionamento que já estava estragado há tempos! Depois do fim vem o recomeço, o NOSSO recomeço, pois vamos reaprender a andar com nossas pernas e temos que refazer o olhar que tínhamos diante da vida e outras coisas. Percebemos que carregamos como o texto disse mais força dentro de nós que nem sabiamos ter!!! E qualquer tipo de sofrimento nos leva ao amadurecimento então até isso temos que agradecer.

Reflexões a mil por hora nesse Amadeirado sempre nos fazendo ver vários ângulos da mesma questão.
Sabe doce Compotinha, a verdade é que o Amadeirado me fez olhar de uma maneira diferente a palavra "madeira", hoje ela pra mim é significado de sensibilidade (na escolha de cada texto com tanto carinho que vc faz),doçura (sua, minha amiga, que derrama em nós a cada visita que te fazemos), aconchego ( esse é o primeiro sintoma que me dá ao entrar no seu mundo Amadeirado). Isso só confirma que tu tens uma alma que é encantandamente amadeirada!
Seu pai devia ser uma pessoa extraordinária por colocar aí dentro de ti tanta coisa boa, graças a ele e sua mamis vc existe e isso é tão bom!!!!!
obrigada por partilhar tudo isso com a gente sweetheart.
Te amo muitão!!! Hoje e sempre!!
;)

Alê disse...

Dói, rasga, incomoda, mas passa,

Há de passar

Marly Bastos in "palavreados ao vento" disse...

Lena,
A Zago deve ter passado por isso para escrever com tanto propriedade sobre o assunto. Realmente é isso que acontece, ou nao nos permitimos sofrer e criamos uma casca dura e impenetrável que não nos deixa relacionar com mais ninguém; ou arranja-se outro amor logo, pois por aí dizem que para curar um amor antigo, nada melhor que um amor novo... Mas, se o antigo é amor, o novo não torna fácil um amor; ou ainda tem aqueles que contam pra todo mundo suas agruras esperando ter consolo e comiseração e com isso se expõe.
Acho que o melhor caminho e se permitir sofrer, chorar, remoer, pensar, analisar, relembrar e como uma fênix ressurgir das cinzas. Afinal o que não é alimentado acaba morrendo né? Nada é pra sempre.

Lena, de igual modo tenho uma empatia muito grande por você, pois é uma pessoa que tem uma luz própria e um carinho verdadeiro pelos amigos. Estar por aqui me faz um bem enorme, e quero que tudo na tua vida vá bem e que qualquer que seja a luta que enfrente nesse momento seja transitória, e resolvida da melhor maneira possível.
Beijokas doces e uma tarde de quarta-feira maravilhosa.

BRISA disse...

OlÁ Lena estou chegando aqui pela primeira vez. Realmente só quem passa sabe. Mais o importatante é que a vida continua um um dia vc encontrará alguém que te ame de verdade. Agor amiga ja estou feliz de novo. Ja sou sua seguidora viu. Aguardo sua visita no meu cantinho. Um abraço fraterno no te coração.
Brisa

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Um texto muito verdadeiro e que adorei ler!
Obrigada pelos selos que já coloquei, com todo o prazer no meu blog! Bjs

manuel marques disse...

"Todos os dias são um adeus."

Beijo .

Vera Lúcia disse...

Lena,
O texto descreve exatamente tudo o que se passa durante um processo de separação.
É muito doído, é verdade, e parece que o sentimento de frustração e dor nunca vai passar. Mas passa, como tudo na vida.
Alimentar sentimentos negativos não vai colaborar em nada, pelo contrário, somente vai ocasionar doenças, principalmente a depressão. E o processo de cura será mais longo.
Melhor mesmo será derramar todas as lágrimas, lavando a alma, e procurar se reerguer. O tempo se encarregará do resto.
Ótimo texto.
Beijos.

SOL da Esteva disse...

Lena

Separação é já por si só uma palavra dorida.
Tenho a experiência de separação por perda de entes queridos; não de Amores.
Não serei o melhor dos opinantes, mas sempre posso afirmar (confirmar) que devemos, sempre enfrentar as situações com o máximo de paz e calma.
Tentar alterar as regras do que é o sentir natural é, tão somente, prejudicial e muitas vezes nefasto.
Esse o Caminho a evitar.

SOL da Esteva
http://acordarsonhando.blogspot.com/

Mafalda S. disse...

Excelentes dicas amiga!

Bjs

Sergio Martins disse...

Bela reflexão! O problema da perda, não é o que se foi em si, e sim, o ponto de vista. Não vejo como perda uma separação. As coisas e pessoas que se vão de minha vida, assim vão, por causas naturais. O que de fato me pertence não me abandona, tudo o que se vai de mim, nunca me pertenceu; daí, eu não me entristecer com isso. As pessoas queridas que morreram, essas sim, eu sofro a dor da ausência, embora elas estejam sempre junto a mim. Bjs!

Mixha Zizek disse...

A separação não é fácil é um longo e às vezes muito doloroso, eu sei por experiência própria. Chegamos exaustos e muitas vezes acaba com a mesma coisa sem esperança. Até que um reage e percebe que o único ser danificado é o mesmo e se esforça e melhorar, mudar e crescer. Eu digo se levantar, porque muitas vezes permanece preso à cama como se o mundo não existisse. É a força de vontade e desejo de cumprir certos objetivos que fazem você viver no final, beijos

orvalho do ceu disse...

Caríssimos amigos
(no plural pois é extensivo aos seus leitores)

É com grande alegria interior que estou comemorando os 500 seguidores em meu Blog:

http://espiritual-idade.blogspot.com/

200 seguidores em meu Blog:

http://espiritual-poesia.blogspot.com

200 seguidores em meu Blog:

http://espiritual-mimo.blogspot.com

A Vitoria é nossa!!!
Pegue os seus mimos por lá... Vc os merece...

Excelente feriado com as bênçãos do Alto...
Com gratidão, carinho fraterno e amizade
SE DEUS É POR NÓS... QUEM SERÁ CONTRA NÓS???
Orvalho do Céu
P.S. Querida Lena, sei bem do que fala... perder a quem se ama mata a gente também... Bjks

JIME disse...

Rubens Alves disse:
" Toda separação é triste.
Ela guarda memória de tempos felizes ( ou de tempos que poderiam ter sido felizes....)
e nela mora a saudade."


Tem um selo pra voce. É só pegar.
Abraços.

Catia Bosso disse...

LenaLindona!!!

Vou me abster de comentar sobre o post porque não estou em sintonia com o tema, mas gostei muito viu!!! Como tudo que gosto sendo seu... (puxa-saca declarada rs)

bjssssss milllllll

Catita

Simone Audrei disse...

Oi Lena! Embora já tenha passado várias vezes, é a primeira vez que comento aqui.
Separação... quem nunca passou por isso, pelo menos uma vez na vida. O rompimento de um relacionamento, seja namoro, casamento, amizade,ou qualquer outro nome que lhe derem, é sempre sofrido, doloroso...
O melhor remédio é o tempo... o tempo cura quase tudo.
Bj.

JAN disse...

É...a separação dói. E quanto mais nos jogamos no companheiro, mais dói, mas a dor passa e, na maioria dos casos é necessária.
Já chorei muito...
Neste ano, comemoro 25 anos de uma saudável convivência comigo mesma.

Gostei de ler esse post;-)