21 de junho de 2011

Está com raiva de você?




Qual é o sentimento mais destruidor do que a raiva de si mesma? Pense na raiva que você sente dos seus atos impulsivos – falar quando deveria calar, brigar quando o melhor seria serenar, telefonar quando deveria esperar. Pense na raiva que sente ao cometer atos repetitivos – falar, brigar, telefonar, se arrepender... falar, brigar, telefonar, se arrepender.

O problema é que, quanto mais movimento você faz, mais o outro fica paralisado. E isso dá mais raiva ainda! Já reparou que quando você está engasgada, com um monte de coisas para despejar no cara, depois de ter repetido mentalmente todo o roteiro e até falado sozinha durante horas (dias), o cara simplesmente desaparece?

Aí, você vai lá e dá um jeito de cutucar, provocar, desenterrar atitudes ou palavras de que não gostou. E depois de tanto esforço se dá conta de que falou ou brigou sozinha. Isso acontece muito quando a gente acha que está se relacionando com alguém que, na verdade, não está se relacionando com você. Até porque, se estivesse, nada disso seria necessário, já que o ato de relacionar-se é via de mão dupla.

A primeira manifestação de raiva nasce do seu orgulho: “como ele está fazendo isso comigo?”. Então você começa a ruminar, ruminar e não consegue engolir. Ele precisa saber que você está magoadíssima, que vai perdê-la caso continue agindo desse jeito; que, quando você desistir, aí não tem mais volta (ah, ele não me conhece, blá, blá, blá).

Cena dois: você resolve falar ou escrever um e-mail gigantesco, porque, afinal, ele precisa saber que você existe. Contrariado com seu mau humor, sua insanidade, ou ciente de que realmente vacilou, ele se esquiva de ouvir, deixa o celular desligado, fica off line total. Aí vem a raiva que nasce da rejeição, porque suas 23 tentativas de chamar atenção não surtiram efeito. Essa dói, hein? Enquanto você está machucadíssima, desatinada, ele posa de lindo, de homem centrado.Por fim, depois de chorar muito, de o coração doer tanto, você se reequilibra e pensa: “por que fiz isso comigo, por que me esfacelei por tão pouco?”.

Nesse momento vem a raiva de si mesma, esta sim devastadora. É... se a relação a dois já é complicada, imagine a relação a “um”. Essa que você estabelece consigo mesma é perniciosa, cronicamente inviável e muito injusta. No fim das contas, toda raiva brota do orgulho ferido, seja pelas juras de amor não cumpridas, pela impossibilidade de viver uma boa história, seja porque você errou na dose.

Quer saber? É humano, legítimo e dolorido mesmo. E amadurece!


Fernanda Santos 

George Michael - Killer

30 comentários:

Rô... disse...

oi Lena,

é difícil tolerar essa raiva,
ficar com tudo engasgado e não poder despejar,
é um exercício diário de aprendizado,
aprender a paciência,
a tolerância,
a calma...

ai,ai...
me faz suspirar!

beijinhos

Sandra Botelho disse...

Concordo em GNG
Quantas vezes já passei por isso, meu Deus e o pior é que não aprendo.
Aff! Que raiva de mim...Mas vou amadurecendo e um dia caio na real de que tenho que me amar mais.beijos achocolatados

нєllєи Cαяoliиє disse...

Lena,
Raiva e ódio são os piores sentimentos que possamos alimentar dentro de nós,porque corrói aos poucos...chega uma hora que nos desconhecemos!
Que o amor reine sobre nosso recipiente!
Um beijo,Querida.

aosolhosdaalma.blogspot.com disse...

LENA QUE DIFICIL É ESTE APRENDIZADO
DISCUTIR A RELAÇÃO,A UM SE A DOIS JA SE TORNA DIFICIL!!!É COMPLICADO AMIGA
PARABENS PELO TEXTO,PELA PACIENCIA TOLERANCIA E COMPRIENÇÃO QUE SÃO COISAS QUE NESTE SENTIDO NÃO CONSIGO TER NENHUM POUCO,,BJS MARLENE

Meire disse...

Sweet little star, tem hora que a nossa cabeça parece não funcionar, não olha nas consequências que algumas atitudes podem acarretar e terminamos por sentir mais raiva de nós do que do outro (por mais mau caráter que ele seja), muitas vezes até ficamos com raiva porque nos sujeitamos a coisas que não são da nossa índole, nos rebaixamos a ponto de esquecer quem realmente somos. Depois disso tudo temos que tentar nos perdoar, coisa que tbm num é fácil e aí fica difícil encarar o espelho. Mas como o texto disse, somos humanos e erramos tbm, o lance é tirar a lição necessária e bola para frente que atrás vem gente e vem muita gente!

Geroge Michael rocks, vc uma blogueira genial, e esse seu gosto musical apuradíssimo!!!!!!!

Se cuida bem, te amo muito!!!
;)

shan-Tinha disse...

cobramos de nós e dos outros e isso nos torna melhor a medida que nos faz crescer!
bj querida e obrigada pela visita!

Poesias Partidas disse...

É amiga Lena, temos que tentar vencar nossos demônios para sermos um pouco mais felizes. Muito bom o teu texto, sempre gosto.

Um grande abraço.

Paula Moraes disse...

Falar é difícil, calar mais ainda, nesses momentos o bom mesmo é não fazer nada, respirar, esperar, e depois com calma tomar decisões, palavras ditas não voltam atrás...Magoar alguém é complicado pq não cicatriza facilmente. Quem fala esquece, já quem ouviu...
Bjs

mfc disse...

Quantas e quantas vezes me arrependi...
Humm... é raiva mesmo!!

CaFoFo online@ disse...

As provocacoes sao as piores coisas no momento da raiva, sempre acho melhor ficar quietinha. Se bem que depois da "explosão", vendo pelo lado sadio, dá mó alívio.

Fui lendo e achei esse texto com cara de blogueira rs

Miguxa, muito bom receber sua visitinha sempre com palavras tao gostosas de ler...

Beijokinhasssssss, ich liebe dichhhh

* Verinha * disse...

Quantas vezes passamos por isso.. mas só mesmo com o tempo é que vamos amadurecendo e percebendo que muitas vezes o melhor mesmo é deixar passar.. e que no momento de exaltação, nunca é aconselhável tomar alguma atitude.

Beijo grande em seu coração Lena!

Calu disse...

Linda Lena,
obrigada pelo carinho sempre presente e pela generosa oferta.Hoje a médica descartou o risco cirúrgico, pelo menos por hora, mas ele continua em tratamento de outras pendências geradas pela crise.
Está melhorando devagarzinho. Se eu ficar muito insegura quanto às explicações médicas, poderei oportunamente vir aqui e chatear um "pouquinho" teu esposo?
Muito Obrigada.
Bjo grande,
Calu

soniaconsult disse...

Raiva é um sentimento que vem e passa com a mesma velocidade
QUANDO SINTO RAIVA DÁ UMA VONTADE LOUCA DE SOCAR O MOTIVO.
Depois penso...PRA QUÊ?
passa...logo passa
Leninha , meu amor
inauguramos o blog!!!
estou te esperando bjos

Kátia Tourinho disse...

Minha amiga Lena, sou PHD em sentir raiva das vezes que sou tão impulsiva, principalmente no aspecto relação amorosa.
Sou um verdadeiro desastre ambulante...rsrsrsrs Acho que é por isso que as minhas relações nunca dão certo. Mas, um dia eu aprendo!

Bjs de luz

Perfeita Ordem disse...

Lena minha querida,esse é o lado bom de envelhecer.
Sinto que,quanto mais o tempo passa,depois de já ter sofrido muito com minhas atitudes impulsivas,esse meu lado explosivo,esse agir para depois pensar e me arrepender tem dado lugar à serenidade.
Acredito que meus valores tenham mudado.
Hoje tenho certeza que há muitas pessoas melhores ,mais bonitas,mais inteligentes,mais sensatas que eu e isso já não dói tanto em mim.
Consigo conviver com quem sou,tentando lógicamente melhorar.
Sei que nem sempre conseguirei,que há coisas muito difíceis de serem transformadas,mas tento.
Com serenidade.
Agora,nos dias em que estou de TPM,ninguém me segura.
Adeus serenidade,adeus sanidade.
Tenho dó do meu marido.
O bom é que já consigo sentir quando estou assim e então aviso...rsrs
Obrigada pelo carinho com minha pequena Nina,um verdadeiro anjo da guarda.
Lindo fim de tarde prá você minha querida!
Beijos.
Claudia.

vanessa cony disse...

Leninha...Quem não passou por uma situação assim?
Bom ,concordo com você,amadurece mesmo.Mas continuo acreditando que em se tratando de amor a racionalidade perde feio.
Vim deixar um carinho.
Beijinho no coração.

Denise disse...

Lena, esse texto foi de arrasar! É uma verdade quando o texto diz q a relação a um é a mais difícil. Escutei em um palestra q quando estamos com um problema para resolver, ou com algo para dizer a alguém, devemos nos questionar: em que isso vai modificar a minha vida? E só devemos tomar uma atitude quando esta colaborará para modificar a nossa vida, senão, deixar passar. Tenho feito isso e assim me aborrecido muito menos. Muita paz!

Luar disse...

Lena


Raiva é sentimento que destrói, desgasta, mas que faz parte do ser humano!
Quando isso acontece, que tal entrar no carro...fechar janelas e colocar uma musica bem alegre!?
Cantar... Juro que funciona!

Minha querida...te agradeço o carinho e o mimo.
Ando louca para tentar colocar tudo certinho e para merecer a oferta!
Já consegui alguma coisa coisa o que me deixa muitoooo feliz !
Prometo cumprir as regras direitinho assim que conseguir!

Obrigada ...mesmo!
Te gosto muito!

Luar

Débora Andrade disse...

Nossa, eu já senti raiva de mim. Por quantas vezes cometi realmente estes atos repetitivos: falar, brigar, telefonar, se arrepender... E sentia até mais raiva de mim, depois de fazê-lo. Muitas vezes eu não deveria ter falado, nem brigado, mas também, muitas vezes, não deveria ter telefonado, e sequer tinha motivos para ma arrepender.
Já ensaiei também, rs, muitas vezes. Olhando para o espelho, andando de um lado para o outro no quarto, no banheiro, enfim! Até na rua, no ônibus, mas algo sempre me interrompia. E de repente, o dito cujo sumia, ou simplesmente, ouvia calado e não dizia nem 'discordo', nem 'concordo, desculpe', era como se tudo aquilo, aqueles ensaios, aquela conversa, aquela saliva gasta, a garganta gasta e o tempo gasto, fossem em vão. O que me dava mais raiva, dele e de mim, por perder tempo, e por depois, perder de novo. A esperança é a última que morre, mas paciência tem limite né?!
É, ele estava comigo, mas não estava. Eu devia mesmo estar me relacionando sozinha, e que droga! Não percebia. Era mesmo, um esforço imenso, uma mão de obra hercúlea, eu queria que ele visse o quanto eu fazia, quem eu era, queria que relembrasse como era no início, queria que se tocasse que me perderia e não haveria mais volta; o problema é que ele já havia se convencido do contrário. Para ele, sempre me teria. Eu era dedicada demais.
Minha nossa, eu falava, escrevia e-mails gigantescos, tudo. É, não me ouvia. 23 tentativas de chamar atenção? Ha! Muito mais. É, depois de chorar muito e vê-lo "muito bem, obrigado", eu percebi que não valia a pena me esfacelar por tão pouco. Mas custei para chegar a essa conclusão. Demorou muito. Chorei demais, sofri demais, comia de menos, emagreci demais, enfim! O meu pai, fechado e que não conversa, até ele falou: "Filha, eu esperava mais de você. Pensei que você fosse mais forte. Tão madura e sofrendo por isso?! Não compreendo."; é, por mais que por um lado eu precisasse de colo, por outro eu precisava ouvir isso, soou como um consolo e ao mesmo tempo como uma afronta, um empurrão para que eu saísse dali, me levantasse e revivesse, ressurgisse. Para dar colo, chorar comigo, eu tinha a mamãe e alguns amigos. Ele queria era me causar uma vergonha de mim, uma repulsa pelo meu estado, para que eu me reerguesse. E ajudou.
É, por fim, como a Fernanda bem falou, é humano, legítimo, dói muito, mas nos faz crescer, amadurecer. Eu senti raiva de mim, mas não de mim na essência, mas do que eu estava sendo em determinada época da minha vida. Eu tinha raiva do que eu havia me tornado, um eu que não me pertencia, do qual eu não me orgulhava. Mas, passou. Como tudo na vida.

Um beijo, com muito, mas muito carinho!
E mil perdões pela minha ausência. Te amo!

Dé.

Mixha Zizek disse...

Lena

A pior coisa de estar zangado com um a acabar, hassling com os outros e prejudicar você realmente quer. A raiva não é livre, permite que você chateado porque algo ou porque você não pode voltar para a pessoa que realmente danificado. E vem um desejo de destruição e vingança terrível. Finalmente, uma recomendação, eu gostava de um muito bom uma vez eu dei terapeuta de um amigo. Criar um fantasma mail e escrever tudo o que sente e se você quiser imaginar é que alguém que o ofendeu, e eu fiz, depois de três meses, eu queria ver, e tinha 44-45 cartas e ler e compreender muitas coisas. Era como ver meu reflexo. A raiva foi finalmente acabou,


beijos

Marly Bastos in "palavreados ao vento" disse...

Sabe Lena,
Quando temos raiva, ódio, rancor e outros sentimentos ruins, a nossa alma fica envenenada. Aí lançamos esse veneno sobre o nosso alvo, destilamos aquilo que apeçonha nosso interior. Mas quando o alvo somos nós mesmos, a coisa muda, pois em quem decarregamos esse veneno? Não temos alvo para aliviarmos essa ruindade do ser interior e aí, cabe nós sufocarmos com a nossa própria raiva.
Hoje estou meio "off" mas mesmo assim vim te ler. Bom demais.
Beijokas doces.

Alê disse...

Completamente auto-destrutivo, amargo, difícil,...

Requer carinho e atenção conosco, do contrário, machucamos a nós mesmos, profundamente,

E vamos combinar, por tanto que batalhamos, merecemos estar de bem com a gente mesmo, sempre. Tirar força, fé e equilíbrio da gente mesmo... e se perdoar,


Um beijo!

JAN disse...

OLÁ LENA! FIQUEI FELIZ COM SUA VISITA E PASSEI POR AQUI.

PERDOEI-ME E SIGO ME PERDOANDO.
CUIDEI BEM DE MIM E CONTINUO ME CUIDANDO.
VIVER NA PRÓPRIA COMPANHIA É PRA ARTISTAS, NÉ?

E daí?? disse...

Li tudo o texto e os comentários.Curiosa que sou contei 22 mulheres e 1 homem. A mulher é um ser movido a sentimentos e emoções. Bom quanta a mim, eu já passei por isso não faz muito tempo. Maie é assim mesmo que agimos. Hahahaha
Espero em Deus não fazer mais isso. Mais no meu caso o melhor foi no final, quando tudo acabou eu dei aquele olhar de desprezo para aquela pessoa insignificante na minha frente e disse: aff como fui idiota.hahaah

Ma Ferreira disse...

Leninha..
A raiva é um dos piores sentimentos.
É como se algo de ruim corresse em nossas veias..nosso coração bate forte, descompassado..
E quem sofre mais é quem sente. Não o objeto da raiva.
Por isso ´´e melhor a gente dar um tempo quando a coisa vem.
Negar a raiva não tem como, pq ela existe.
Mas temos que aprender a controlar a raiva. É um exercio..mas já é um grande começo se conseguirmos controla-la.
Já que la faz parte do ser humano, que tenhamos um convivencia "pacifica" com ela!

Bjkas..mil..saudades viu?

Bj
Ma

Sandra Portugal disse...

Querida Lena,
Passei por aqui para desejar um maravilhoso solstício de inverno para vc! E encontrei esse forte etto sobre a raiva, sentimento que lutei na última semana para dominar ou extravasar!!! Obrigada!
bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//

Acácia Azevedo Studio Pottery disse...

Lena querida, suas reflexões são sempre ótimas! Tem um selinho para vc lá no blog viu? Bjs mil.A.

Ingrid disse...

esse tipo de raiva deve passar logo..
imagino que seja como uma frustração grande ,impotência..
beijos Lena linda!

SOL da Esteva disse...

Lena

A Raiva é o descontrolo emocional.
Quem não controlar a Raiva, sempre fala o que não sente, diz o que não pensa e faz o que não deve; o que pensou (maduramente) perdeu-se como que por magia, no embate inicial.
O resultado mais comum é perder-se toada arazão.

SOL da Esteva
http://acordarsonhando.blogspot.com/

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Lena.Excelente texto. Concordo plenamente com tudo o que foi escrito.É verdade também, que muitas vezes não aprendemos, e nos tornamos repetitivos.Deixar a ira prevalecer, mina qualquer relação!
Beijo grande.