13 de agosto de 2011

Limites




O nosso direito termina onde começa o direito do outro.

E quando nós mesmos não respeitamos o nosso direito, permitindo que sejam invadidos os nossos limites, e nem percebemos? Ao contrário, nos queixamos dos outros mas não nos damos conta que a responsabilidade é toda nossa, ao não avisarmos o outro até onde ele pode ir.

O outro não possui a capacidade de adivinhar até onde vai o nossa tolerância a não ser que comuniquemos a ele. Enquanto não fizermos isso, ele se sente confortável e não percebe ‘nada demais...

Acontece que muitas vezes na ânsia de agradarmos (crescemos ouvindo que devemos ser "bonzinhos" ou o papai noel não vem, o coelho da páscoa passa reto, o presente de aniversário fica pro próximo ano...) somos levados a tolerar mais que o tolerável.

Sendo assim, um dia tudo foge do controle e explodimos. Ou surtamos. Ou continuamos tolerando até que o nosso humor se esvai, nossa vida parece não ter sentido, porque nos sentimos presos à necessidade de continuarmos tolerando, uma vez que já o fizemos até o momento.

Este comportamento é cruel. Cruel conosco, cruel com o outro.

Nós sofremos e o outro, por ignorância, sofre também por não saber a razão de certas atitudes hostis em relação a ele. Sim, porque embora estejamos tolerando, não nos sentimos confortáveis, e em certas situações não há como esconder a insatisfação.

Muitas vezes não percebemos ao mantermos este tipo de atitude, e o desconforto parece descabido.

É saudável olhar ao redor e verificar se existem situações deste tipo na nossa vida, um diálogo muitas vezes ajuda muito. Concordo que possa haver um certo constrangimento ao colocarmos o assunto em pauta, podemos num primeiro momento encontrar mil justificativas para manter a situação como está. Mas isto é somente o medo da mudança e da reação do outro.

Nada justifica nos mantermos nesta prisão fazendo do outro nosso algoz. É justo conscientizarmos o outro do que sentimos em relação a ele para que ele possa fazer algo a respeito, ele não pode ser acusado de algo que nem sabe que está fazendo.

Vamos nos dar a chance de expor os nossos limites e respeitar o limite dos outros.

Respeitar e ser respeitado significa liberdade. 
Mônica Turolla 

akon-freedom



31 comentários:

Fênix27 disse...

Realmente este texto tras algo que devemos refletir muito antes de agir.Mas infelizmente existem pessoas que nos tira dosério e aí a coisa acontece.O respeito esta cada vez mais difícil nos dias de hoje,os valores estão esquecidos,não digo no geral.Porque ainda tem aquelês de bom senso,disciplina e boa formação.
Adorei!!!!.
Tenha um lindofim de semana,e um feliz dia dos pais,para seu esposo e pai.
Bjos.

Valéria disse...

oieee
Lindo o post
Tenha um final de semana bem Doce
bjus

Imac by Artes disse...

Minha querida!
Penso muito nisso!
As vezes permitimos que invadam nossos limites e nos queixamos dos outros. A queixa que fazemos é nossa culpa refletida no outro.
Precisamos sim, dar chance a nossos limites respeitando o dos outros.
Abraços!Fique com Deus.

MARILENE disse...

O texto é ótimo, mas os conselhos, difíceis de ser seguidos. Se os limites não são impostos , de imediato, cedemos um espaço muito precioso e a situação vai ficando cada vez mais complicada. Normalmnte, ao colocar as cartas na mesa, já é tarde demais para um recomeço, seja em relacionamento afetivo, familiar ou de amizade. Não quero , com isso, ser pessimista, mas é o que a experiência nos mostra. Portanto, o ideal é estabelecê-los, de pronto, para não assumirmos o risco de mágoas posteriores.

Bjs.

Mixha Zizek disse...

Sua opinião é muito verdadeiro Lena, mostrar respeito e respeito dos direitos começar onde a outra extremidade de nós, se nos referimos a espaços. Mas às vezes não sabemos como conduzir-nos em outros lugares ou espaços perosnas alguns u amor e acabar machucando a má comunicação e invadindo seu espaço, o rendimento muito bom, beijos

Eu tive problemas com o blogger então não deixar as pessoas muichas comentários em geral, e túmulo de meu pai ... mas logo eu atualizo você no meu blog:)

Alicinha disse...

Olá, bom dia! Adorei esse texto. Às vezes a gente vai acumulando, acumulando as coisas e um dia a gente explode. Sei de uma história de uma senhora que terminou o casamento de muitos anos porque não suportava o barulho que o marido fazia comendo bolachas e que deixava cair os farelos na cama. Um caso típico de alguém que guardou muita coisa por muito tempo...o copo foi enchendo, enchendo, e um dia uma gotinha de nada tranbordou. Se a gente se sente incomodado com alguma coisa, é preciso resolver logo; se guardarmos esse incômodo, ele pode tomar proporções gigantestas e o estrago é grande. Um abraço e um bom fim de semana!

AquilesMarchel disse...

as pessoas só fazem o que permitimos
é uma premissa totalmente verdadeira
mas em momentos de envolvimento nem percebemos que estamos dando liberdade demais para a pessoa fazer de nós o que bem quer

bjjão Lena!

Van disse...

Os limites entre as pessoas são algo muito tênue e , atualmente , todos nós vivemos presos à nossa individualidade e nos achamos no direito de não respeitar nada e nem a ninguém. Fez muito bem você de nos lembrar que os limites existem e foram feitos para serem respeitados. Grande Beijo , Leninha !

www.meusescritoseoutraspalavras.blogspot.com

* Verinha * disse...

"O nosso direito termina onde começa o direito do outro.".. com certeza isso é algo que devemos sempre ter em mente.. tanto em relação a nossa postura qto em relação a postura dos outros no que se diz respeito a nossa vida. Belo texto esse Lena!

Beijão imenso em seu coração..
Verinha

ॐ Shirley ॐ disse...

Queria Lena, voce não imagina como esse texto vai me ajudar a lidar com um situaçãio que estou vivendo em família...Abriu-me os olhos e fiquei corajosa. Obrigada! Beijos, menina loura!!!

Rô... disse...

oi Lena querida,

respeito é fundamental
em qualquer tipo de relação,
e quando se trata de limites
é muito sério,
tem que ser muito pensado e respeitado na sua totalidade,
cada um tem o seu espaço...

sempre sábias as suas escolhas!!!
muitos beijinhos

AVOGI disse...

respeito é fundamental mas nos tempos que correm há muita falta dele
kis :=)

Jan disse...

LENA, TAÍ A IMPORTÂNCIA DO 'BOTÃO VERMELHO'...

BEIJÃO

JAN

Marly Bastos disse...

Lena,
Com certeza a nossa liberdade termina aonde a do outro começa e vice-versa, mas esse começar e terminar tem uma linha tão tênue que às vezes sem percebermos a ultrapassamos ou deixamos que a ultrapassem a quando notamos ja é tarde e as reaçoes adversas ja tomaram conta das nossas atitudes e sentimentos.
Porém, o certo é ficarmos vigilantes para que mesmo ultrapassando os limites não caiamos no poço sem volta da incompreensão e mágoa.
Beijokas doces, te amo flor mais linda do mundo.

Calu disse...

Tenho págs e págs de vida acontecida dentro desse panorama, até porque, como foi escrito, a educação familiar de meu tempo era muuuito severa e moldava a têmpera de qualquer um sob sua influência.Sendo assim, na vida adulta aprende-se sofrendo as consequências de tamanha limitação,mas tbém aprende-se a superar os entraves e interagir com bom-senso ante ousadias ingênuas, porém, importunas.
Equilíbrio nos ensinamentos gera mais conhecimento de si e dos outros.
Até o próximo papo, linda Lena.
Bjos,
Calu

Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Lena!Passando para agradecer a visita no nosso Literatura & Companhia Ilimitada. Espero que voltes mais vezes, pois será sempre um prazer renovado.

Quanto ao Texto, verdadeiro e bastante profundo. próprio para reflexão. Lembrou-me a baboseira que escrevi, que ora transcrevo abaixo:


“Quando pensares em fazer valer os teus direitos, lembras-te que também tens deveres, principalmente, o de respeitar os direitos dos outros.”

Beijos e ótimo final de semana pra ti e para os teus.

Furtado.

Paula Moraes disse...

Oi Lena, concordo demais, o respeito é a mola mestra de todos os sentimentos...Sem respeito não há amor, amizade e nem nenhum sentimento.
Bom fim de semana.
Bjs

Judite disse...

Boa noite!

Esta é a mensagem de Deus para você neste fim de semana:

"Pode uma mulher esquecer-se daquele que amamenta? Não ter ternura pelo fruto de suas entranhas? E mesmo que ela o esquecesse, eu não te esqueceria nunca. Eis que estás gravada na palma de minhas mãos". (Isaías 49:15 e 16a)

Que o seu dia dos pais seja repleto do amor do maior de todos os Pais!

http://www.youtube.com/watch?v=psbf6yPiZZA

Deus seja contigo.

Blog Yehi Or!
http://hajalluz.blogspot.com

Mara Melinni disse...

Mais um texto que leio com a alma nos olhos, me enxergando em alguns trechos... Já tolerei tanta coisa, mas hoje me imponho do meu jeito.

Não é saudável conviver com situações em que "somos levados a tolerar mais que o tolerável".

Nada melhor do que um bom diálogo e uma boa dose de respeito.

Beijos, minha amiga Lena!!

Um bom fim de semana e meu abraço especial pelo dia dos pais (pela importância que o Dr. Madeira tem em sua vida; com certeza muito se orgulha de ti).

Marli Boldori disse...

Lena,sempre ouvimos dizer:-Temos que nos amar antes de exigirmos amor dos outros.È assim também nos limites que nos damos,às vezes não nos respeitamos,não nos amamos o suficiente e com isto damos carta branca para que outros nos ofendam ou nos humilhem.Quando soubermos os limites do nosso coração,seremos respeitados e amados como merecemos e desejamos.
Um grande abraço!

Mara Melinni disse...

Vc é especial... e eu percebi isto quando conheci seu espaço, sua alma aqui exposta... e senti o quanto essa data poderia representar p/ vc.

Deixo aqui meu abraço sereno... obg pelas palavras lá no meu blog. Tens todo o meu carinho e respeito.

Te adoro, viu?! =*

Artes e escritas disse...

Corretíssimo Lena. Um abraço, Yayá.

blog da Paraguassu disse...

Olá Lena querida,
Mito apropriada sua postagem. Concordo quando você fala na imposição de limites. Como aceitar
não sermos repeitados, senão impomos limites às pessoas que não os possuem? Agir com sensatez e respeito mútuo é de bom alvitre e assim se fazem as comunicações entre os seres
humanos. Gostei muito do texto.
Um grande beijo em seu coração.
Maria Paraguassu.

Dan disse...

Que belo texto Lena!
Bom fim de semana.

Beijo, Dan.

ϟ Cynthia Brito disse...

Lena,

com certeza respeito é algo indispensável! Tem que haverem todo lugar, e não é uma questão apenas de ética, mas uma forma de evitar consequências drásticas na sociedade em tempos futuros, enfim.

Minha mãe sempre me diz que se não houvesse respeito no namoro dela, por parte dos dois lados, hoje meus pais não teriam uma base legal no início do relacionamento.

E mais: precisamos fazer a nossa parte para termos o direito de exigir dos outros!

beijos... bom domingo!

Perfeita Ordem disse...

Minha amiga,passei prá te desejar um lindo domingo!
Também desejo a todos que são pais em sua família um abençoado dia dos pais!
Obrigada por seu carinho!
Beijos e fique com Deus!

Meire disse...

Linda Madeirinha, temos sempre que respeitar principalmente nossos limites, pois quando não o fazemos qualquer um irá passar por cima de nós. Quando conhecemos bem uma pessoa sabemos até onde podemos ir, pois ela nos deixa bem claro isso. A coisa mais chata que tem é nos sentirmos desconfortáveis com alguém, mas isso geralmente acontece quando esquecemos de impor os tais dos limites.
Quando existe respeito por nós e pelo outro esse erro fatal de ultrapassar limites não acontece!

Adorei o texto doce EstreLeninha,
amanhã a surprise da minha página PARA VOCÊ é para você com todo o meu carinho!!! Então tchan, tchan, tchan, prepare-se! :)

Te amo muito mãezinha de coração e irmã de alma!!!!!

Severa Cabral(escritora) disse...

Meu docinho de côco!
Só ganhamos respeito quando damos...mas nos tempos que estamos vivendo está tão díficil apesar de ser fundamental...
Bjssssssssssssssssssss

Milene R. F. S. disse...

É amiga, se tem alguém que entende o que esse texto tá falando sou eu e a propósito ele caíu como uma luva para o meu momento! Tenho uma amiga que gosto muito, uma amiga antiga, que é meio bruta comigo às vezes sabe, e eu toda doce, meiga por natureza fico sem ação quando a brutalidade dela em pequenos gestos, nas palavras etc afloram. Não tive coragem até agora de falar nada para ela sobre isso... acho que tenho medo, da reação dela, medo do que eu possa falar tb, sei lá... só que hj ela me ligou e eu não atendi de tanta coisa que eu tenho guardada já, eu não falo nada, mas eu sutilmente me afasto... o seu texto me fez refletir ainda mais... vou tentar tomar coragem pra conversar com ela, abertamente... o que tiver que ser será. Um beijo querida, ótimo aqui sempre, até.

ArteConsciente.net por Renata Marengo disse...

Oi Lena! Adoro seus post's! Eles, de alguma forma, acalmam minha ansiedade! Beijos no coração! Da amiga Renata.

Ingrid disse...

lindo mesmo Lena..
reler..
beijos perfumados.