15 de outubro de 2011

Intuição: a melhor conselheira




Na vida, talvez junto com respirar, o que mais fazemos é escolher. Fazemos escolhas o tempo inteiro, durante toda a vida. Desde a hora que acordarmos (acordar, inclusive, é uma escolha) até a hora de ir dormir (novamente outra escolha) passamos o tempo inteiro fazendo algum tipo de escolha. Das coisas mais simples até as mais importantes.

Desde o que iremos comer no café da manhã, que ônibus tomar, que trajeto percorrer, que roupa vestir e assim por diante. O número de escolhas que fazemos diariamente é infindável. E basta viver para se fazer escolhas. Ninguém vive sem escolhas. O próprio ato de não escolher já é uma escolha.

Em algumas ocasiões, as escolhas que fazemos são as que determinam o que será feito da nossa vida. A profissão que iremos seguir, aceitar ou não aquela proposta de emprego, aceitar ou não um pedido de namoro (ou casamento), decidir mudar de cidade ou de país, ou quem sabe determinar que é hora de dar cabo a um relacionamento que só faz sofrer, que é hora de sair do emprego e buscar algo melhor, enfim, escolher mudar qualquer coisa que tenha algum impacto sentimento ou psicológico.

Escolher o que comer no jantar é algo simples e o fazemos naturalmente. Decidir que é hora de terminar um relacionamento não é uma coisa tão simples e pode terminar em sofrimento para ambas as partes.

Então a dúvida que fica é essa: como saber o que fazer? Como saber o que é melhor para cada um de nós?

Se me fosse perguntado, a resposta que eu daria seria: Siga a sua intuição! Ela, melhor do que ninguém, melhor até do que nós mesmos, é perfeita para responder a essas e a todo o tipo de questões que precisemos nos fazer. Alguém pode pular e dizer que não tem intuição.

Bobagem!

Posso afirmar, sem sombra de dúvida, que todas as pessoas possuem intuição. Algumas preferem chamar de sexto-sentido. O nome pouco importa. Mas a intuição é a melhor conselheira que uma pessoa pode ter. E o mais engraçado é que a intuição, a grosso modo, faz parte da própria pessoa. Com isso é possível dizer que cada um tem plenas condições de saber e, principalmente, fazer as escolhas certas.

A intuição, ou sexto-sentido com prefiram, normalmente não falha. É difícil ela dizer algo que esteja errado. Por conta disso talvez percamos algumas diversões, deixemos de experimentar ou vivenciar certas coisas. Mas certamente seriam coisas que não teriam grande importância para o decorrer da nossa vida, mas em compensação pode nos afastar de alguns males irreparáveis.

A intuição pode se manifestar de diversas formas. Ela varia de acordo com cada pessoa. Cada um precisa aprender a escutar o que diz sua intuição. Isso ninguém pode fazer por você. Cada um tem que aprender a conhecer quando a sua intuição está falando. E é aí que mora a maior dificuldade: separar o que diz a intuição do que nós queremos que ela diga! Para isso não existe manual, não existe fórmula secreta, muito menos simpatia.

É necessário escutar o que ela diz, mesmo que vá contra aquilo que queremos. Um exemplo bastante típico é querer namorar uma pessoa e a intuição dizer que esta pessoa irá nos fazer sofrer. Inventamos mil e uma desculpas, pensamos que estamos ficando loucos e fazemos todas as coisas possíveis para nos convencer que a pessoa é um bom partido. Mas mesmo assim, ainda fica aquela vozinha, aquele sentimento lá dentro indicando que estamos trilhando o caminho errado.

E isso nos incomoda. E fica nos incomodando cada vez mais. E quanto mais ela incomoda, mas lutamos para nos convencer que a intuição está errada e nós certos. Porém, fatalmente, ela se mostrará correta. E veremos, no fim das contas, que devíamos tê-la escutado.

A maior dificuldade está, realmente, em escutar o que ela fala e aceitar isso. Mesmo sendo contrário àquilo que desejamos. Mas ao escutá-la estamos escolhendo seguir um caminho melhor e muito provavelmente menos dolorido. E o que é melhor: ela está sempre conosco, sempre pronta para nos auxiliar e nos mostrar qual caminho seguir.

Sempre pronta a responder qualquer dúvida, a nos ajudar com qualquer problema. E ela está sempre falando. Sempre. Nós é que muitas vezes não a ouvimos. Ou talvez ouçamos, mas fazemos de conta que não é conosco.




Fabio Centenaro
 
 
 
 
 
 

21 comentários:

Célia disse...

Sou muito seduzida por minha intuição! Ouço-a e quando não coloco em prática, em geral, arrependo-me! Abraço da Célia.

Imac by Artes disse...

Muito legal esse texto!
A vida é feita de escolhas...
Interessante, todos nós temos intuição e muitas vezes lutamos com ela antes de decidirmos.
Abraços e um final de semana abençoado.

Alê disse...

Lena,

A intuição nunca deveria ser deixada de lado,


Eu confio na minha... plenamente



bjkas

ॐ Shirley ॐ disse...

Lena, a intuição, é a voz do nosso Eu Interior, que sabe o que é certo. Mas, sempre aparece a Razão para dar palpites e, muitas vezes, estraga tudo. Beijos, querida amiga!!!

Regina disse...

Minha intuição "aparece" tão naturalmente, que as vezes eu nem percebo. É só tentar e não se preocupar, deixar nossa alma/intuição fluir. Incrível, mas as coisas funcionam sempre melhor dessa maneira.

Lena, estou promovendo um sorteio com uma mandala do atelier Bangalô Brasil. Gostaria de participar? :)

Adriana Alencar disse...

É muito interessante esta reflexão! Sou uma pessoa de forte intuição e não me lembro dela estar errada. Identifiquei-me particularmente com a situação de namorar alguém que nos faria sofrer, já passei por isso e decidi sempre confiar nos meus instintos dali em diante.
Beijo
Adri

Bixudipé disse...

Superlativo belo seu texto!
Adorei; abração,

Rodrigo Davel

Ingrid disse...

as vezes não sabemos ouvi-la e só percebemos isso depois..
temos que nos educar para perceber sua mensagem..
belo post querida Lena..
beijos de carinho.

Ma Ferreira disse...

Oi Lena..saudades..

Eu sou muito intuitiva..muito...
As vezes fico ate com medo....

Todas as vezes que nao prestei atencao nela, ou prestei e nao acreditei...la na frente ela me mostrou que preciso confiar mais nela.

Um beijinho com carinho... vc ta bem ne Lindinha??

cidinha disse...

Olá Lena. Belo post! Não deixa de ser um conselho para prestarmos mais atenção na nossa intuição. Pois ela não costuma falhar! Pensemos nisso! Adorei Lena! Bjos e todo meu carinho sempre.

acácia rubra disse...

Só hoje venho agradecer todo o carinho que me deixou.

Pessoalmente o meu sexto-sentido anda um pouco avariado, as nada que se não possa compor.

Beijo

Meire disse...

Minha sweet Lenita, simplesmente amei esse texto, pois diz muito do que eu acredito. Todos temos essa tal de intuição basta sabermos sintonizar as anteninhas, e ela lá dentro de nós sabe muito bem o que sente e podemos usá-la como uma coisa a nos ajudar se quisermos ouvir MESMO o que ela está a dizer. É a nossa alma falando, e quanto mais deixamos nossa sensibilidade fluir melhor vamos ouvir essa voz.
A minha nunca me enganou, a danadinha parece sentir puramente quem vai entrar em minha vida e permanecer, é incrível.

Acredite sempre na sua tbm, afinal vc é uma Estrela e sua intuição brilha.
Amo muito vc preciosa amiga minha :) bjokitas estaladas e recheadas de carinho.

AquilesMarchel disse...

avoz da intuição ja me salvou tanto!!!!
bjus lena

JAN disse...

LENA, BELO TEXTO!
BELA ILUSTRAÇÃO!

MINHA INTUIÇÃO ESTÁ ME DIZENDO PRA GOSTAR DE VOCÊ...

ABRAÇO
JAN

Nel disse...

Oi, Lena!

É... não podemos fugir das escolhas da vida. Escolhemos e pagamos por nossas escolhas...

Beijos!

Nel

ANA ROOS disse...

Um dia segui minha intuição que me dizia pra vir aqui te conhecer... aha! adorei!
Eu digo minha sabedoria interior, aprendi no Yoga, no Guita, e não é que ela nunca me deixa na mão, as vezes sou eu que teimo em não ouví-la... Mas passa um pouco e eu obedeço...
Ainda bem, foi assim que conheci você Lena querida

Beijos rosa

lenalima disse...

belo texto!
precisamos confiar mais!
eu sempre digo: ah! porque não deu ovidos....
bj

QUIM disse...

Live arbítrio ...Exige sabedoria..bj minha querida e adorada amiga...bjs e um Domingo doce..

Rô... disse...

oi minha doce amiga,

acredito e fico atenta
as minhas intuições,
são como se meu coração e minha alma me mandassem recadinhos,
procuro ouvir essa voz interna que com todo cuidado vem soprar coisas aos meus ouvidos,
lindo esse texto querida...

beijinhos

Elisa T. Campos disse...

Lena
Lindo texto.
É as escolhas é que determinam a nossa
vida. No outro dia fiquei a pensar na trajetória que tomei quando entrei no meu terceiro emprego. De securitária me tornei bancária e depois acabei ingressando no Tribunal de Justça. Naquela época
ainda prestei outros concursos, mas depois decidi ficar alí mesmo.
Se, tivesse decidido tomar outro rumo, qual seria o meu destino?
O que importa é viver o aqui agora e agradecer pelos caminhos vividos.
Afinal, sempre vale a pena. Não adianta pensar no SE eu ... O aqui agora sempre nos mostra novos caminhos, ou não.

bjs

Tatiana Kielberman disse...

Tenho aprendido a sempre seguir o coração, mesmo que às vezes ele diga não!

Beijos, querida...