16 de outubro de 2011

Liberte-se dos três tipos de sofrimento




Existem três tipos básicos de sofrimento: a ignorância, o apego e a aversão

A ignorância é como uma cegueira mental. Apesar de acumularmos muitos conhecimentos úteis durante nossa vida, não conseguimos aprender o mais importante dos conhecimentos: saber lidar com a impermanência dos estados de prazer, alegria e felicidade. Esta ignorância gera os outros dois sofrimentos: o apego e a aversão, criando a dualidade de nosso estado mental confuso.

Quando somos crianças queremos situações e sensações boas e evitamos as sensações ruins. Isto é saudável nesta idade infantil, mas nossos problemas começam quando nos tornamos adultos e nos apegamos aos momentos bons. Tentamos segurar as sensações prazerosas e tentamos evitar que elas terminem. Não estamos preparados para as mudanças que podem acontecer. Chamamos de apego esta ilusão de acharmos que temos controle sobre a duração da felicidade. Mas não temos controle algum sobre isto.

Como não temos consciência da impermanência dos acontecimentos, queremos segurar a vida e os momentos de felicidade. Ao pensar e agir desse modo, deixamos de viver o momento presente. Passamos a viver de uma felicidade que já passou ou que esperamos que aconteça. Para tentar satisfazer nossos desejos sensoriais, fazemos de tudo para evitar o sofrimento. Mas o sofrimento faz parte da vida e nem sempre podemos evitá-lo. Precisamos saber lidar com ele, enfrentá-lo, tentar transformar o sofrimento em estados mais equilibrados e compreender que são oportunidades de evolução e aprendizado.

Sentir aversão por alguma coisa ou por alguém gera sofrimento. Ódio e raiva são emoções negativas que trazem muitas inquietações.

Ao praticarmos a bondade, a amabilidade, a paciência, tornamos nossos relacionamentos mais naturais, espontâneos e verdadeiros. Por meio destas virtudes, edificamos um mundo mais humano e aprendemos a eliminar tanto o nosso sofrimento como o dos outros, e desta maneira, somos mais felizes.

Vamos tomando consciência da dor dos outros à nossa volta. E assim, percebemos a necessidade de ajudá-los a terem consciência de como podem amenizar e aceitar a dor para não serem infelizes. Daí surge a virtude da compaixão que é uma grande chave para nossa libertação.

A compaixão é uma qualidade essencial para nos livrarmos de nossas ansiedades e aversões. Compaixão não é sentir dó ou piedade. É uma atitude de valorizar a outra pessoa, percebendo que somos todos iguais. Abrimos nosso coração para sentir sentimentos como compreensão e aceitação. A compaixão vai se desenvolvendo à medida que cultivamos o não julgar, o não criticar e, passamos a ter o mesmo zelo pelo bem-estar dos outros como temos pelo nosso.

Mesmo uma pequena ação pode ter uma grande consequência, positiva ou negativa. Às vezes, pequenos gestos gentis e favores, que você faz para alguém e nem se lembra mais, podem gerar bons frutos no futuro, pois aquela pessoa se lembra de sua bondade e procura lhe ajudar de outras maneiras.

Quanto maior a compaixão e a bondade de uma pessoa, maiores são as suas experiências subjetivas de felicidade. Quanto maior a negatividade, maior o seu sofrimento e dor. A realidade de nossa vida cotidiana é o resultado dos nossos pensamentos, intenções, palavras e ações.


Emilce Starling

21 comentários:

mfc disse...

Mas a capacidade de revolta pode permitir a transformação dos condicionalismos externos!

Alê disse...

Lena,

vez em quando fico me pensando sobre as situações de descaso que vivemos...
A falta de cumplicidade, de benevolência, de compaixão, de humildade e de humanidade.

Ficamos alheios, fechamos os olhos, mudamos de rua...

Não temos mais paciência, não abraçamos mais, não ouvimos, não olhamos nos olhos, não estendemos as mãos, não praticamos desapego...

Pra onde estamos indo?

Tatiana Kielberman disse...

Sempre uma perfeita reflexão, Lena querida...

Ando precisando mesmo me libertar dos sofrimentos que eu mesma provoco!

Vcoê é demais... Obrigada pelo comentário no blog, prometo publicar meus escritos em breve... quero muito!

Um beijo especial...

cidinha disse...

Olá Lena. Quanta sabedoria.... Precisamos aprender a ter compaixão e assim ajudar os outros, pois aprendemos com a dor. Pois a dor é um bálsamo pra alma. Bela reflexção! Obrigada poder sempre encontrar aqui esses belos ensinamentos e todo seu carinho sempre! Bjos e linda semana.

Sobre o Tempo disse...

Como sempre, suas postagens sempre tem reflexões. Ótimo texto, ótima escolha, Lena.
Tenha um ótimo fim de semana! Bjs

Calu disse...

Linda Lena,
adicionando mais certezas ao elaborado e completo texto que vc nos trouxe, reforço que li em um sociólogo:"O que há de maior certeza na vida é a impermanência."
Curta frase, enorme realidade, profunda necessidade de se fazer entender e praticar a cada dia vivido.
E finalizando com a Compaixão_ato maior de amor, apoio, perdão e solidariedade sempre vitais em nossa premissa de seres Humanos.
Amei nosso papo, viu?Aliás, como sempre.
Bjos,
Calu

Imac by Artes disse...

Minha querida!
Ótimo texto... Realmente esses sofrimentos são básicos e as vezas nos alimentos com eles. Mas aí vem a compaixão. Como é lindo sabermos que Deus tem compaixão de nós e que podemos ser compassivos com os outros.
Abraços! Uma semana repleta do amor de Deus para ti.

Maria José Rezende disse...

Olá amiga Lena. Quanta coisa boa nesse texto maravilhoso. Com ele, aprendemos que felicidade é um estado da alma, que pode ser longa ou curta. Depende de nós. Coisas ruins podem acontecer... são inevitáveis. Já o sofrimento, é uma escolha nossa. Beijos.

Ingrid disse...

a importância que damos aos sentimentos negativos nos direcionam..
bela escolha Lena..
beijos querida e uma linda semana!

Marli Boldori disse...

Lena,quanto significado por trás das palavras e realmente sabemos que tudo é real.Que bom seria se fôssemos mais coerentes com tudo,o mundo seria melhor.lindo! Um grande abraço!

Palavras disse...

Oi Lena,

excelente reflexão como sempre!
Esse é o fundamento budista, com o qual eu me identifico muito.
Desapegarmos...
E deixarmos que a compaixão nos transforme em pessoas melhores.

Grande abraço
Boa semana!

Denise Rodrigues disse...

oie...gostei do seu blog,muito bonito.. estou começando agora a escrever, desejo seguidores e em uma pequena audácia leitores,rsrs.. sempre vou retribuir comentários e visitas... as palavras me movimentam.. agradeço se me seguir,eu sigo de volta! bjs e abraços!

Nel disse...

Excelente a sua postagem, Lena! Reflexão pura! Que não sirva só para refletirmos mas para gerar atitudes em todos nós. Gostei muito!

Beijos e excelente semana!

Nel

Meire disse...

Lenita do coração amadeirado, a vida é um mar de rosas, mas nesse mar tbm há espinhos e não temos como fugir deles. Quando passamos por situações que nos fazem sofrer é importante que esse sofrimento seja vivido, não temos que ter medo de chorar de espernear e até dar uma brigadinha com a vida rsrs Vc sabe que eu procuro ver tudo pelo lado bom, mas fingir que não dói algo que está doendo é loucura, pois isso pode se manifestar lá na frente de uma forma ruim e isso não é legal. Por isso temos que ser sinceros conosco mesmo, e entender o que vai em nosso coração: é alegria? Então bora rir. É saudades? Bora relembrar o que era bão. É tristeza, dor? Então bora chorar e entender pq dói porque só assim poderemos renascer de nossas cinzas para poder alçar lindos voos. O importante é entender o que sentimos e sentir. Coincidentemente ou não rsrs o livro que eu acabei de ler da Lya Luft fala muito isso de que hj em dia parece que é pecado as pessoas ficarem tristes, parece que temos o dever de sorrir todos os dias...isso é impossível, têm dias e dias. Claro que queremos ser feliz e sorrir sempre, mas como diz o título de um livro de Rubem Alves "Ostra feliz não faz pérola."

Compaixão é uma forma de amor. E a maior vitamina para a qualidade da nossa vida é a qualidade dos nossos pensamentos.
Muito bão o texto ;)

bjokitas my sweet star!!! Que sua semana seja repleta de luz e sorrisos, amo vc!

shan-Tinha disse...

somos eternos aprendizes e é difícil essa compreensão do bem viver, o tempo, só o tempo é que nos mostra!
bj grande!

Blogando com Bebeth disse...

Grata pela visita, Lena!
Me fez feliz.
Seus textos sempre reflexivos e muito bons.
Pequenos gestos fazem a diferença, na vida do outro e consequentemente na nossa também!
Bjokas

Rô... disse...

oi minha amiga querida,

adoro seus textos,
aprendo muito e hoje aprendi que o que vale a pena realmente é a qualidade dos nossos pensamentos,
a vibração dos nossos sentimentos,
e o que desejamos para nós mesmos...

você é muito querida...
e me ensina muito a ser melhor a cada dia...

beijinhos

Gisa disse...

Sempre um prazer ler-te. Tuas mensagens sempre trazem algo a mais para todos.
Um grande bj querida amiga

Ivana disse...

Lena, amiga.
Amei esse texto, a palavra compaixão é mais ampla que eu imaginava, e com certeza fazer uso dela pode nos ajudar muito e aos outros também. Uma semana linda pra você, bjs

Elisa T. Campos disse...

Lena
Quando livrar-mos desses 3 vícios
viveremos mais felizes.
A sua ilustração me fez pensar este:

Uma lágrima
pérola de duas faces
uma de alegria
outra de dor
Mas ambas tem o dom de lavar a alma.

bjs

Toninhobira disse...

Perfeito o que a Emilce nos coloca com clareza.Saber lidar com estes sentimentos é por vezes muito dificil,o que nos causa dor na angustia que parece sem fim.
Bela reflexão, engraçado que esta completa a primeira, ou seja a atual.
Bela sequencia amiga,intencional ou não,se casaram.
Meu abraço com a mesma admiração de sempre.
Uma linda semana a voce.
Bju de luz nos seus dias.