21 de outubro de 2011

Solidão criativa ou destrutiva? Você decide!



O peso da palavra solidão parece que a faz ecoar. O mundo dá um valor muito negativo à solidão. Tentaremos aqui ter uma compreensão um pouco mais abrangente sobre como encarar e lidar com ela.

Todos nós, em alguns momentos de nossas vidas nos sentimos sozinhos. A solidão revela a necessidade que temos do outro. Tudo na nossa vida parece ser definido a partir de nossas relações e o outro é parte fundamental nisso.

Somos definidos por papéis: pais, filhos, marido, esposa, viúvo, solteiro... e essas conceituações só existem mediante um outro. Quando nos percebemos sem o outro nos deparamos com a condição de solidão: estamos sós. Quando falamos em nos perceber sem o outro, não nos referimos a ausência concreta e material de uma pessoa, afinal ela pode estar lá e nós estarmos nos sentindo sozinhos.

Mas como lidar com esse sentimento?

Parece fundamental compreendermos que a solidão pode ser destrutiva ou criativa. Criativo é tudo que fertiliza, que traz a vida e destrutivo é tudo que leva a desagregação e a morte.

Às vezes, nos deparamos com uma solidão terrível, como se a falta do outro representasse também a ausência de nós mesmos. Ou seja, só existimos se o outro nos dá condição para tal, se não nos permite sentirmos só, como se a falta do outro fizesse presente internamente a sensação de um "buraco" que nos deixa pela metade, não estamos mais inteiros. Nesse caso a falta do outro impossibilita a percepção de que somos uma unidade, que podemos sentir a ausência de alguém, mas que isso não nos faz deixar de existir como indivíduos. Muitas vezes, as pessoas nem percebem que foram esquecendo de si mesmas aos poucos. A solidão revela aqui uma característica destrutiva.

A solidão também pode emergir e nos revelar com mais profundidade a impossibilidade de configurarmos junto com o outro uma unidade: percebemos que somos um, um sem o outro, um sem ninguém. Só nós mesmos compomos essa unidade. Nesse caso, a percepção de que "também existo a partir da consciência que o outro tem da minha existência" se faz presente, porém não nos impede de compreendermos que somos um.

Há pessoas que utilizam a solidão como meio para produzir. Sabemos de inumeráveis artistas, escritores, etc... que produzem na condição de estarem sozinhos. O que é produzido foi pensado a partir da existência do olhar do outro, seja na fantasia ou na realidade. Também podemos lembrar de momentos na nossa vida que estamos sozinhos e em paz: como se essa fosse a mais pura possibilidade de perceber, sentir a vida.

A solidão criativa assemelha-se à verdadeira solidão relatada por Thomas Merton: "A verdadeira solidão limpa a alma, abre-se completamente para os quatro ventos da generosidade.(...) A verdadeira solidão separa um homem de outros para que ele possa desenvolver o bem que está nele, e então cumprir seu verdadeiro destino a pôr-se a serviço de uma pessoa".

Faz-se fundamental portanto, entender a solidão e suas diversas possibilidades. Se buscamos uma vida amorosa rica e verdadeira, temos que admitir o risco de ficar só. Caso contrário, vamos aceitando qualquer coisa, nos acomodando, por medo de encarar a solidão. Só se sente sozinho, quem abandonou a si mesmo...



Noely Montes Moraes



20 comentários:

manuel marques disse...

"Nunca chegamos ao fundo da nossa solidão."

Beijo.

Célia disse...

Certa vez li: se você tivesse que morar consigo próprio, qual seria sua reação? Impactei-me! Hoje, sei que o quanto é bom o espaço produtivo e criativo do "contar apenas consigo mesmo"... Acredito que Deus me deu tal espaço para que eu pudesse me ler, dialogar comigo, me entender tornando-me um ser muito melhor. Muito mais lapidado. Amo tal espaço. Abraço, Célia.

AquilesMarchel disse...

mas a svezes pesa parece que precisamos desesperadamente não estar só né?
mas meu texto é minha soliudao criativa
bjus Lena




Thomas Merton: "A verdadeira solidão limpa a alma, abre-se completamente para os quatro ventos da generosidade.(...) A verdadeira solidão separa um homem de outros para que ele possa desenvolver o bem que está nele, e então cumprir seu verdadeiro destino a pôr-se a serviço de uma pessoa".




demais

ah e valeu a visita da ultima
escrevi um novo texto espero qeu curte é da alma

Isabel Maria Rosa Furtado Cabral Gomes da Costa disse...

Minha Querida Lena:
Na vida, até nas situações de que fugimos, como a solidão, acabam por existir aspectos positivos.
Um grande abraço para si e obrigada pela sua simpática visita no meu cantinho.

JAN disse...

O MELHOR "REMÉDIO" CONTRA SOLIDÃO É AUTOESTIMA... MAS É DIFÍÍÍÍCIL !!!!

ABRAÇÃO
JAN

ॐ Shirley ॐ disse...

Amo ser dona do meu espaço. Não sinto a solidão. Lena, beijos e mais beijos!!!

Rô... disse...

oi minha flor,

não existe vida sem correr riscos,
e a solidão é somente
um desses riscos,
mas nem por isso não devemos arriscar,
viver sim e arriscar sempre,
são os temperos que dão sabor a vida...

beijinhos Lena

cidinha disse...

Olá Lena, Todos nós em alguns momentos nos sentimos sózinhos. Pois temos necessidades uns dos outros.Más não podemos abandonar nós mesmo, pois seremos destruidos. È importante nos amarmos, para não nos esquecermos de nós.Temos que aprender a viver com as carências. Bjos e ótimo fim de semana! Belo texto.

Sandra Portugal disse...

ProjetandoPessoas, pela primeira vez no Prêmio TOP BLOG, na lista dos TOP 100 na categoria Variedades! Estou MEGA FELIZ e Emocionada!!!
Além do orgulho de ter a popularidade dessa votação(através do apoio dos amigos), a honra de obter a análise de um júri acadêmico!!!!
Ao segundo turno, rumo aos TOP 3!!! Agradeço a todos e especialmente a você Lena que tanto me incentivou com a categoria do seu blog e com seu exemplo!!!
http://projetandopessoas.blogspot.com//

QUIM disse...

A solidão dilacera a alma..mas ás vezes consegue nos mostrar que existem outras companhias..bj minha querida..saudades.

mfc disse...

A solidão não pode ser entendida da mesma forma... não é uma forma de estar unívoca!
E sendo assim tem diferentes consequências.

Van disse...

Oi Lena

convidei você para uma brincadeira, está no post abaixo do que acabei de postar agora.

Um lindo final de semana pra vc , beijos!

marlene edir severino disse...

Lena,

Somos seres solitários: nascemos e morreremos sós.
Nenhuma outra alternativa.

Para mim, imprecindível à poesia.

Um beijo!

Su disse...

olá moça mais que querida...
gostei demais desse texto e fiquei aqui pensando com os meus botões... engraçado, mas sempre "curti" uma solidão, a minha, tem momentos que preciso dela, gosto de ficar comigo mesma, de pensar, escrever, ouvir música, ver um filme romântico e chorar sozinha... Acho que a solidão faz parte da vida... gosto de poder tê-la comigo, mas é claro que amo os momentos em que também não estou só... fico aqui a refletir...
Obrigada amiga, por me fazer pensar na vida assim... de repente.

Beijinhos no coração!
Lindo sábado pra ti.
Su.

Enfermagem Online disse...

***blog wonderful, congratulations***
I am following…
-Visit my photos-
www.top-graf.com
Kisses

Sandra Portugal disse...

Lena venha me visitar amanhã que deixei um desafio para você lá no http://projetandopessoas.blogspot.com//
bjs Sandra

Bemsei disse...

Verdade: nós somos "um", valemos pelo que somos, não em função do papel que desempenhamos; porém somos seres gregários "feitos" para conviver: a solidão (em demasia) pode ser disfuncional.

Um dia cheio de pétalas de rosa para ti.

José Ramón disse...

Lena Excelente entrada todo un lujo pasar por su blog.

Feliz domingo
Un cordial saludo de José Ramón desde…
Abstracción textos y Reflexión.

Elisa T. Campos disse...

Lena
Gosto de vez em quando da solidão. Eu me recrio.

Disse Massimo Bontempelli:

" A verdadeira liberdade é um ato puramente interior como a verdadeira solidão: devemos aprender a sentir-nos livres até num cárcere e a estar sozinhos até no meio da multidão."

Amei seu texto

bjs

Ingrid disse...

sempre ver a diferença entre solidão e estar sozinha..
mas uma ou outra sempre nos enriquecem quando encaradas da forma certa..
beijos amiga linda!