1 de novembro de 2011

O ocaso da lua cheia




Foram inúmeras as vezes que pude presenciar e me deliciar com o nascer do sol, principalmente, durante a adolescência. Quando ainda dava conta de passar a noite entre jogos de cartas, músicas dos Beatles no violão e conversa, tanta conversa e gargalhadas que, quando o grupo percebia, a noite estava acabando e rapidamente saíamos para ver a beleza de um dia raiando.

Depois, durante o decorrer dos anos, continuei vez por outra a ver aqui e ali um sol nascendo, sua magnanimidade de astro-rei. Imutável, forte, enérgico ali ao nosso dispor, à nossa espera. Nós acordamos e vamos dormir, ele permanece firme e constante - o mesmo.

Há pouco tempo estava na praia, perdi o sono, por sorte já não era tão cedo e não estava tão escuro, assim, resolvi que seria bom sair e ir caminhar pela areia. Peguei o café da madrugada na cozinha do hotel e vi que a claridade da manhã estava saindo de dentro dágua, fui pegar a máquina fotográfica e corri até a praia. Já havia saído dágua estava por detrás das montanhas em toda a sua glória nos dando de presente um espetáculo de profusão de cores, brilho e energia pura, despertando a vida para um novo dia.

Já estava muito alto para boas fotos, mesmo assim prossegui caminhando, apenas dando continuidade ao ciclo da vida no decorrer de mais um dia. Andar pela praia por si só já é uma coisa boa, nos afasta do estresse sufocante da grande cidade e seu corre-corre alucinado e barulhento de todo dia. Mas a imobilidade que o mundo parece assumir à beira-mar nos acalma a alma e silencia mente. Então, neste momento se pode sentir que existe uma fusão perfeita entre a natureza da alma humana e a alma do mundo.

Foi pensando no dia que nascia a minha frente que tive um encontro inesperado com o ocaso da lua cheia. Colossal, brilhante e majestosa. Quase passando para o lado de lá, indo adormecer no Japão, mas com muita pena de sair desta praia e deixar o Brasil. Tão inabalável e firme como o sol, sempre lá, sempre presente, aguardando nosso movimento, quem sabe nosso olhar.

Quase não acreditei, a lua ficou lá parada por alguns minutos - inerte, aguardando que eu pudesse primeiro sair do torpor - me acalmar e depois encontrar o melhor ângulo para clicar aquela foto, mesmo que por entre os fios de alta tensão. E então quando consegui, ela se pôs novamente em movimento e foi colocar o oriente todo para dormir.

Eu, maravilhada, fiquei estarrecida entre belezas e ciclos. De um lado sol ainda por trás das montanhas - do outro a lua cheia, suntuosa, amarelada e lenta a dar adeus a este lado do mundo. A noite se despedindo - fechando um ciclo, o sol nascendo despertando o dia, iniciando um novo ciclo.

Pensei que a melhor pergunta a fazer nesta hora em todas as manhãs, apreciando ou não um espetáculo destes é:- que escolhas farei hoje?
  Despertar em cada dia sabendo que posso fazer algumas escolhas durante este período é gratificante, desperta nossa atenção para que não façamos tudo automaticamente, mas com presença, com vontade de que
as intenções se realizem. 



Cássia Marina Moreira


11 comentários:

Rô... disse...

oi minha querida,

que texto lindo,
o céu nos proporciona espetáculos únicos,
com o horário de verão,
aqui em casa levantamos muito cedo,
e mesmo com o sol nascendo,
a lua ainda está toda regateira ocupando seu lugar na imensidão azul desse lindo céu de primavera...

beijinhos

Célia disse...

Nossas escolhas! Postura fundamental em nossas vidas. Delas dependem o nosso existir mais ou menos feliz. Ótima reflexão! Obrigada! Abraço da Célia.

.:*Aline*:. disse...

Em certos dias, certas escolhas são tão difíceis de fazer que é melhor continuar caminhando pela areia, até que as ideias clareiem a nossa mente...
bjus..

ॐ Shirley ॐ disse...

A maioria das pessoas anda cabisbaixa com o peso dos problemas. É incompreensível que nunca se lembrem de levantar os olhos para as belezas de Deus. Querida Lena, um abraço!

mfc disse...

São sempre momentos mágicos e lindos!!
Momentos que não mais esquecemos.

Como as Cerejas da Minha Janela... disse...

Que texto belo, lírico, riquíssimo.
Essa é a magia da vida de que tanto falo: parar para ver um nascer do sol e o ocaso da lua...não é mágico?...quem disse que nossa vida não fica melhor assim?...está mentindo...é claro que fica!

Beijos com carinho, Lena! um dia repleto de boas energias!
Liz

Calu disse...

Com uma prosa-poética assim, temos todos as nossas melhores intenções despertadas.Esse fantástico fenômeno foi-me ofertado algumas vezes pela bela lua cheia de verão.
È de um assombro tamanho que nos tira a voz, mas nos dá profundidade ao coração.Instantes mágicos de plena doação da beleza natural.Emociona muitíssimo!
Palavras, imagens, emoção, lembranças que nos fazem recordar a maravilha de estarmos vivos.
Deliciosa narrativa, linda Lena.
Bjkas,
Calu

Luar disse...

Lena

De manhã costumo dizer a mim mesma os 5 princípios do reiki, e acrescento sempre um que inventei para mim mesma " só por hoje serei feliz".
É a minha escolha matinal e como coloco a intenção muito raro é não se concretizar.

Beijos

Sandra Portugal disse...

Eu sempre admiro a lua cheia!
Eu nasci em lua cheia!
Minhas filhas nasceram em lua cheia!
Lindo texto!
bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//

Meire disse...

Madeirinha linda, são esses presentes lindos que Deus nos dá todos os dias que ajudam a nos inspirar a seguir o dia com firmeza, alegria e luz dentro de nós. E só consegue sentir todo o encanto desses momentos mágicos quem tem encanto dentro de si.

Esse post me deu uma saudade da praia amiga hihi

bjokitas recheadas de muito amor. :)

cidinha disse...

Olá Lena. Um pouco atrasada más passando por aqui.Que belo amiga esse post! È um belo presente.O nascer do sol, essa energia que nos inunda o coração de energia e alegria. Agradeçamos sempre a Deus. Bjos. Lindo! Lindo!