30 de janeiro de 2012

Permita-se ao amor!








Uma vela acesa é como um grande amor, que tem o poder de iluminar uma escuridão a partir de uma pequena fagulha. O amor é capaz de contagiar o corpo e a alma, fazendo todos notarem a sua presença.

Não há amor sem a união, não há amor sem o mergulho para dentro de si. O amor é entrega, é doação. Quando não correspondido desmancha-se no ar, assim como a vela, que se apaga num pequeno sopro, mas pronta para ser acesa novamente.

O amor é o mais místico dos sentimentos. É um mistério que tem o poder de unir pessoas e confundir corações. Por mais que se tente fugir dele, somos sempre pegos de surpresa e, quando nos damos conta, estamos totalmente entregues. Trata-se da grande razão de viver e do caminho para a evolução do ser humano.

Quando o amor acontece, cria-se um mundo que vai da multiplicidade à unidade, num processo onde todos se tornam um. Todos nós temos a necessidade da mais alta realização da vida. O nosso viver está na descoberta de que temos um mundo interior e que dele brota o amor, a cura e também as tempestades.

Um sentimento absoluto, que nos possibilita revelações, que faz com que enxerguemos as nossas limitações e as nossas ilimitadas reações. Um sentimento, por vezes, sem princípios, simples e complexo, que quase sempre justifica atos insanos em nome do outro, em nome da humanidade, em nome da vida.

O amor assume uma natureza humana, familiar a todos, por que nada do que é humano nos pode ser indiferente. Um "eu te amo", quando sincero, torna-se a frase mais marcante da nossa vida. Na descoberta, ou redescoberta do amor, enxerga-se o prazer da vida. A nossa vida dá ao tempo a possibilidade de uma parada para que possamos refletir, e essa reflexão pode nos trazer uma certa insegurança. Porém, vivendo no amor, somos capazes de superar todos os nossos medos, pois estamos deixando de alimentá-los. Viver com amor significa aceitar a missão de combater o sofrimento.

Quem ama, descobre-se. Quando nos pensamos fortes, nos descobrimos fracos, e quando nos julgamos fracos, nos percebemos como leões. Com o amor, nossas colinas são aparadas, todas as pedreiras se transformam em vales e todos os vales, paraísos, e o pecado se torna contemplação.

A conexão íntima entre duas pessoas que se amam forma um grande mistério, que procura e vislumbra uma existência afetivamente mágica. Só o amor é o motivo da criação; só ele é o motivo da vocação da criatura para a adoção; só ele é motivo da misericórdia ilimitada que faz superar todas as barreiras impostas pelo dia a dia.

O mundo do amor faz triunfar a fidelidade, faz descobrir a infidelidade e faz com que tudo se apresente como se uma necessidade objetiva se encontrasse na base de todos os mistérios. Sua repugnância instintiva para com tudo o que é contingente parece fazê-lo esquecer de que a raiz de nossa existência e de nossa elevação é constituída por contingência radical, apresentando, porém, mais solidez do que toda a necessidade.

O amor permite a liberdade de cada coração, sem o medo do amanhã e sem o sofrimento do ontem. É no presente que ele faz maravilhas, milagres e alegra o coração.

Procure saber se está amando. Procure saber se está sofrendo com o passado, iludindo-se com o futuro ou gozando o presente. 




Bernardino Nilton Nascimento

11 comentários:

Alê disse...

Lena,

É pouco egocêntrico, mas estou num romance comigo mesma,


Um beijo!

Calu disse...

Esse amor maiúsculo na essência humana que o traduz só se revela em completa entrega, em completa adoção do seu sentido pleno: Amor é doação.
E nas tantas definições que contém, traz-nos a esperança de que somos dele expressão e vivência como tão bem definiu o autor.
Linda Lena, que texto lindo( mais um)que vc nos presenteou.
Bjkas,
Calu

Ingrid disse...

esta é sem comentários Lena linda..
tão fácil confundir..
se acomodar..
beijos perfumados..

Elisa T. Campos disse...

Lindo texto Lena
Permito-me transcrever o pedaço da frase que me tocou:
Com o amor, nossas colinas são aparadas, todas as pedreiras se transformam em vales e todos os vales paraísos, e o pecado se torna contemplação.

Beijos

Fatima disse...

Muito boa escolha!
Bjs.

Sandra Portugal disse...

Não conhecia esse autor, mas minha querida amiga bibliotecária, especialista em textos maravilhosos me apresentou esse belo amor descrito!
bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//

Analine disse...

O amor contagia, cura e liberta!
Lindo demais!
Beijinhos,
Analine

sinfoniasdaalma.blogspot.com

manuel marques disse...

"Encontrar o amor é o segundo desafio da nossa vida. O primeiro, nunca lhe dizer adeus"

Beijo.

mfc disse...

Pobres daqueles que não se permitem amar...
São mesmo gente triste!

♫ ♪ Wilson Miguel ♫ ♪ disse...

Boa noite com carinho!

Querida amiga,

Um texto perfeito e que nos mostra as várias faces desse sentimento tão especial que move todas as pessoas desse mundo:

"O amor permite a liberdade de cada coração, sem o medo do amanhã e sem o sofrimento do ontem. É no presente que ele faz maravilhas, milagres e alegra o coração."

Deixo o meu beijo carinhoso e o desejo de um dia abençoado!

Deus seja contigo

Malu disse...

Lena, uma grande mensagem.
Quem não se permite AMAR passa por esta VIDA e não a vive...
Linda postagem.
Um grande abraço