20 de junho de 2012

Exercitando o sim



Duas palavras podem fazer grande diferença em nossas vidas, o sim e o não.


Embora muitas vezes reclamemos pela dificuldade em obter a satisfação de nossos desejos, se mantivermos a plena atenção na forma como reagimos aos acontecimentos, podemos ter uma surpresa. Isto porque a atitude de recusa, de negação, é geralmente a postura mais comum que costumamos adotar. Dizemos não ao nosso poder, às mudanças que a existência coloca em nosso caminho, às atitudes dos outros, quando estas não correspondem às nossas expectativas. Vamos, aos poucos, sem querer, acumulando uma avalanche de negações em nosso interior que, com o tempo, transforma-se em amargura, inconformismo e frustração.


O não mais necessário é aquele que se destina a defender o respeito à nossa dignidade, ao nosso valor intrínseco como seres humanos. Mesmo nos momentos em que precisarmos dizê-lo, devemos fazer isto de forma serena, segura e amorosa. O sim, quando expresso com entusiasmo e aceitação genuínos, que inclui a totalidade de nosso ser, abre portas energéticas poderosas e, como mágica, transmuta o que a principio parecia negativo, em algo positivo, pois traz novas possibilidades para o nosso crescimento e torna a vida muito mais rica e plena de potenciais. Exercitemos, então, o sim, com a certeza de que ele constitui a senha para a nossa conexão permanente com o divino.


"Sim à vida.

Diga sim à vida; abandone todos os não possíveis. Mesmo se você precisar dizer não e for difícil evitá-lo, diga-o, mas não se deleite em dizê-lo. E, se for possível, diga-o também na forma de sim. Não perca nenhuma oportunidade de dizer sim à vida.

Quando você disser sim, diga-o com grande celebração e alegria. Nutra-o, não diga relutantemente. Diga-o amorosamente, com entusiasmo, com gosto, coloque-se totalmente nele. Quando você disser sim, torne-se o sim!

Você ficará surpreso ao saber que 99, entre cem nãos, podem ser muito facilmente abandonados. Nós os dizemos apenas como parte de nosso ego; eles não eram necessários, não eram inevitáveis.

...Observe a si e aos outros e você ficará surpreso: as pessoas estão dizendo não por nenhuma razão absolutamente. Elas se satisfazem em dizê-lo: isso lhes dá uma espécie de poder. Quando você pode dizer não a alguém, você se sente poderoso.

Ao abandonar o não, o ego desaparece". (Osho, Believing in the Impossible Before Breakfast).


Elisabeth Cavalcante

6 comentários:

jose claudio disse...

Oi, Lena. Muito legal os textos. Eu acho que a negação possui um caráter atávico. Desde que começamos a engatinhar a primeira palavra que ouvimos é "não". O sim, quase nunca é usado. Normalmente ele é substituido pelo "pode". Então acredito que isso vai se acumulando em nossa psique e nos limitando para experiências novas, possibilidades tantas ao longo de nossa formação.

Abraços. Paz e bem.

Jeferson Cardoso disse...

Olá Lena!
Interessantes os textos postados! Antes de entregarmos à negação devemos nos fazer aquela pergunta de criança: ‘mas, por que não?’ [risos]
Abraços.

“Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jeferson Cardoso)

Convido para que leia e comente “AGORA OLGA FEZ YOGA” no http://jefhcardoso.blogspot.com/

Lamarque disse...

que bom lena, ver a expressao do sim e do não como partes integrantes da nosaa ivda. cada um tem o seu momento. bom texto. abraços e otimo dia lamarque

♥Soniaconsult♥ disse...

Bom dia Lena!!
A quanto tempo não venho aqui neste cantinho.
Mas a ausência não significa que perdi o carinho que tenho por ti.
Isso jamais!
Criamos um vínculo que independente dos blogs vai permanecer para sempre.
É um sim eterno.
Nunca um não, srsrs
Bjos e uma boa semana

Van disse...

Oi Lena

Que bom "falar" com você, que bom "revê-la". Você mora no meu coração.

Acabar com seus cantinhos de jeito nenhum, são registros maravilhosos que você fez. Vá postando quando der e mesmo que não der não acabe com os blogs, deixe-os para que possamos lê-los de vez em quando. De repente você se aquece e volta pra roda.

Um beijo imenso e o meu carinho!

JAN disse...

Sim e Não.
Mais do que palavras, decisões cruciais... e sua postagem nos ajuda a decidir.

Abração
Jan