9 de março de 2011

Tudo zen




Existe muito material escrito sobre a meditação e tudo isto pode trazer para nós a sensação de que meditar é uma prática complexa e difícil. Entretanto, há como compreender melhor como a meditação pode nos beneficiar. Vivemos num mundo conturbado e angustiante. Basta ligar a televisão, o noticiário para constatar isto. Mas este é apenas um lado de nossa percepção do mundo. Um ponto de vista bastante sombrio. As pessoas se dizem "realistas". Realista para mim é aquela pessoa que consegue enxergar as coisas do modo mais desgraçado e pessimista possível. "Não sou pessimista" – dizem –"sou realista!".

Mas existe também uma outra forma de compreendermos a realidade, e a meditação nos ajuda a perceber as coisas sob esta nova ótica. Quando meditamos, deixamos de lado o papel do herói ou da vítima do mundo. Abandonamos a postura do depressivo, do pressionado e nos colocamos como "Senhores do nosso Destino". Você não pode mudar o mundo. Mas pode mudar a maneira de encará-lo. E a meditação nos ajuda nisto.

Antes de tudo, é importante compreendermos, mesmo que superficialmente, aquilo que ocorre em nosso cérebro quando meditamos. Se medirmos num eletroencefalograma o seu ritmo cerebral enquanto estiver acordado, conversando, trabalhando ou em alguma atividade, vamos detectar aquilo que os cientistas chamam de "estado beta". Seu ritmo neural está mais ativo, desprendendo mais energia e, de acordo com a intensidade, pode levá-lo ao estresse. É por isso que temos a necessidade do sono. Se permanecermos muito tempo em estado beta, iremos desenvolver o cansaço e a fadiga.

Um simples fechar de olhos já permite a mudança de estado mental. Chamamos este momento de "estado alfa". Nosso estresse diminui, nossa musculatura relaxa e ficamos mais preparados para lidar com os desafios básicos da vida.

A meditação contribui para prolongar os benefícios gerados pelo estado alfa. Uma breve meditação feita após o almoço pode manter o seu bem-estar durante todo o restante do dia, por mais agitado ou estressante que seja o ambiente onde estiver.

Então vamos meditar, do jeito mais simples e descomplicado possível porque, afinal, são as coisas simples que produzem os melhores resultados.

1. Sente-se confortavelmente e feche seus olhos.

2. Preste atenção em sua respiração (Procure perceber qual é o seu ritmo. Está calmo ou agitado? Sua musculatura está tensa? Através da respiração conseguirá detectar todas estas coisas).

3. Procure silenciar seus pensamentos (Esta é a parte mais desafiadora. É como uma barreira do som que precisa ser vencida. Neste momento, uma infinidade de pensamentos podem surgir, como "aquela conta para pagar"; ou "aquele telefonema por fazer"...)

Por mais dificuldade que tenha no início, continue prestando a atenção em sua respiração. Não se deixe impressionar pela agitação mental que pode surgir. Sua mente que nunca pára, fica ainda mais agitada, porque você está tentando silenciá-la e ela pode lutar contra isto. Solte-se completamente. E se um pensamento chega e tira a sua concentração, pacientemente volte mais uma vez a atenção para a própria respiração, sempre calma e tranquila.

4. Mantendo esta postura por algum tempo, abra seus olhos e permaneça agora com o olhar fixo em algum ponto qualquer. Não faça mais nada. Não diga nada, nem force os seus pensamentos. Apenas fique ali, no seu vazio, no seu mundo isolado de tudo. Meditação é, portanto, o "não-pensar". É o abandono da razão. Isto para nós ocidentais é quase impossível. Estamos sempre apresentando justificativas, explicações, conceitos. Na meditação, desistimos da necessidade de impor ou de provar qualquer coisa que seja. É um viver aqui e agora. E quando nos acostumamos a isto, nossa vida toma um novo sentido.

5. Permaneça neste estado por um tempo, pelo tempo que julgar necessário. Algumas pessoas utilizam um despertador para controlar o período em que está meditando. Sua meditação pode durar 10 minutos, ou quem sabe meia-hora. É você quem decide.

De qualquer modo, meditando você ficará mais apto para lidar com os desafios básicos da vida e estará mais predisposto para a calma e a tranqulidade. Vale a pena tentar.


Chris Almeida 

2 comentários:

Emilia, disse...

Oi menina!!
Estou em falta com as amigas virtuais, pois aproveitei o carnaval para descansar no sítio de uma amiga.Mas, li todos os comentários deixados em meu espaço....Obroigada!!
Adorei a postagem, e embora não saiba usar as ténicas para meditar, sempre procuro ter alguns minutos do dia para não pensar em nada.Faz um bem danado!!
Gostaria muito de ser uma pessoa "zen", mas sou muito agitada.Leio muito sobre o Budismo,Osho,Meditação, mas quem sabe um dia eiu consiga realmente "meditar".
Um beijo...Emilinha

Emilia, disse...

Consertando...
técnicas
obrigada
Emilinha