26 de novembro de 2011

Inflexibilidade





"Quando digo não é não.Quando digo sim, é sim.E ponto final”.

Coloquei-me aqui neste pedestal, E daqui não saio.Daqui de cima vejo todo mundo.

Muitos mudaram seus caminhos, são uns loucos, menos eu que continuo aqui. Muitos sorriram, outros choraram, alguns até cantaram, mas eu sou forte e continuo aqui.

Muitos deles até perdoaram e alteraram suas convicções, mas que fraqueza!!!!

Mas eu não....Eu continuo aqui!!!Alguns quiseram me levar também, mas daqui eu não saio.

Daqui eu controlo tudo e todos. Irredutível...( irracional, escravo, inseguro, imaturo).

Continuo aqui....apegado aos meus (pré) conceitos, meus dogmas, enraizado em mim mesmo, avesso às mudanças, ao aperfeiçoamento, ao desenvolvimento. Continuo aqui...Enquanto eles...Ah!!! Esses loucos....

Cantam, dançam, vivem, perdoam, mudam, choram, se encantam, contemplam, vivem... e olha...até sorriem!!!!!"

Quantas vezes adotamos uma postura inflexível diante dos problemas, diante das situações, diante da vida.

Será medo da mudança, de enfrentar o novo, medo dos desafios, medo de errar? Medo de mostrar para os outros que nem sempre sabemos tudo e mais ainda...medo de enfrentar nossas dificuldades e nossa real situação?

O que queremos esconder quando estamos sendo inflexíveis? As pessoas muito inflexíveis normalmente são tensas fisicamente, propensas a sentir dores musculares e têm grande dificuldade de alongar o seu corpo, de se soltar e se expor.

Quando tentamos a todo custo manter uma determinada posição ou situação, estamos talvez remando contra a maré, indo contra o que a vida nos reservou e essa luta constante nos causa dor e cansaço.

Podemos aprender a nos soltar mais, a pensar em novas possibilidades, a aceitar mais as posições das outras pessoas. Podemos nos colocar em uma postura de mais leveza e menos resistência e exercermos assim a humildade por saber que não somos nós os centros controladores do universo e sim, somos uma engrenagem que atua em conjunto com uma dinâmica maior de força e desenvolvimento.

Para Refletir:

1. Que atitudes eu costumo ter que demonstram minha inflexibilidade?

2. O que eu posso fazer para me tornar uma pessoa mais leve, mais flexível?

3. Adotando uma postura mais flexível, qual será o reflexo em meu dia a dia, meu trabalho e meus relacionamentos?

"Tirar o peso da rigidez de seus atos é permitir-se saborear cada minuto de sua existência.”




Cacilda Zeraik 

12 comentários:

Cacá - José Cláudio disse...

A chamada insustentável leveza do ser é, em muitos casos, uma metáfora para o peso que a vida coloca sobre os ombros dos inflexíveis e eles se sentindo leves com isso. Ser o que se é e não dourar pílulas não pode ser barreira para enxergar outros, novos e mais horizontes. Belo texto, Lena. Abraço. Paz e bem.

нєllєи Cαяoliиє disse...

Putz...
Me vi toda nessas palavras,fiquei alguns minutinhos tendo uns flashs aqui rs
Lenaaaa,Doce e querida amigaa...Como estás???
Voltei para matar saudade desse cantinho iluminadoooo!
Precisei me ausentar do blog por um tempo,mas cá estou de volta colocando a saudade no lugar(vai demorar um tanto)
Espero que esteja tudo certinho por aí!
Um beeeijo enorme e um ótimo domingo.

Célia disse...

Todos os dias trabalho a minha flexibilidade, que em muitos momentos torna-se "inflexível" e a mais atingida... sou eu mesma! Burrice, não é? Fico refletindo...
Abraço, Célia.

Meire Oliveira disse...

Minha doce Estrela, quem é cabeça dura leva muitos tombos pelo caminho. Temos sim que ter nossa cabeça e nem sempre ir pelo o que os outros pensam, mas quando alguém fala uma coisa diferente daquilo que pensamos ou que estamos enxergando sobre algo devemos pensar sobre, ponderar, afinal existem vários ângulos de uma mesma situação e podemos estar redondamente enganados. Orgulho só leva as pessoas do nada a lugar nenhum. Como diz aquela old music do Raul "Eu prefiro ser essa metamorfóse ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo." E assim vivemos, em constante metamorfóses pelo caminho, mas a essência da nossa alma será sempre a mesma!!!

Agora vou lá no meu xodózinho Além das nuvens...:)

Gisa disse...

Teimosia é um dos meus piores defeitos, mas reconhecê-la entendo que já seja um caminho para repensar.
Um grande bj

Cidinha disse...

Olá amiga,temos sempre que procurar respostas as nossas dificuldades e dúvidas e assim achar um caminho pra resolver nosssos problemas existênciaes o qual temos que viver e não é fácil!Como diz o texto tirar o peso da rigidez dos nossos atos e permitir-se saborear cada minuto de nossa existência. Bela reflexção querida, que veio para mim em boa hora. Bjos e ótima tarde pra vc!

Imac by Artes disse...

Minha querida!
Aprendi com o tempo que não devemos ser inflexíveis, pois verdades de hoje poderão não ser as verdades de amanhã, e assim vivo a vida com mais leveza.
Abraços1 Um semana feliz e abençoada pra ti.

Maria José Rezende disse...

Que texto mais lindo, Lena. Tenho alguns de Cacilda Zeraik no blog. Vou roubar esse e levar para o Arca, viu???? Pessoas inflexíveis fazem mal a elas mesmas e acabam por afastar outras pessoas. Na verdade, acabam sós. A vida é para ser levada com leveza. Beijos, saudades e mais saudades.

Sandra Portugal disse...

Lena mensagem perfeita! Ideal para dar ao maridão para ler!
Muitas vezes conversamos a respeito de radicalismo e inflexibilidade por essência, do ser humano. Como é difícil conseguir flexibilizar pessoas inflexíveis.... Um exercício de resiliência! obrigada por compartilhar!
bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//

NOEMI disse...

Que texto mais lindo que escolheste para nos presentear com reflexçoes..."Tirar o peso da rigidez dos nossos atos é permitir-se saborear cada minuto de sua existência.”O BAMBU CURVA-SE NO VENDAVAL PARA NÃO QUEBRAR...
Talvez seja essa uma das características mais conhecidas do bambu.Segundo os sábios orientais, rigidez é sinal de morte (um cadáver é rígido). Uma pessoa rígida não vive, está morta, é como o tronco de uma árvore seca. Flexibilidade é sinal de vida...
Uma linda semana bjs

mfc disse...

Não tenho problema nenhum em mudar, mesmo de opinião, e não tenho problema algum em pedir desculpa quando erro.

Cacilda Zeraik disse...

oi Lena, fiquei surpresa e feliz ao ver meu texto aqui no seu blog!
Obrigada pelo seu carinho!
É gratificante saber que a nossa expressão ecoa além dos limites do papel!

Sobre a Inflexibilidade...acredito que é um grande exercício aprender a soltar, entregar, fluir com a vida e assim, viver mais leve!

Lindo seu blog!!
Beijos e espero vc mais vezes no meu:
www.cacildazeraik.com.br

Cacilda Zeraik.