29 de abril de 2011

Amor: uma comunicação profunda




O que é o verdadeiro amor? Será que ele (ou ela) me ama realmente? Será que eu sei amar? Existe tal coisa como o amor?

Qual o ser humano que já não fez uma destas perguntas? De fato o amor está na ordem do dia desde que a humanidade se tornou consciente deste sentimento.

Existem muitas formas de amar, mas são elas o verdadeiro amor? Para responder com clareza à esta pergunta, é preciso conhecer qual o nível de motivação que predomina em determinada pessoa.

Será que alguém excessivamente preocupado pela sua segurança, por ganhar dinheiro para garantir a sua subsistência, ter um abrigo contra as intempéries e roupa para se proteger do frio, pode amar? Talvez seja demasiado, preocupado pelas suas próprias necessidades vitais? Sem contar pessoas que mesmo tendo estas necessidades satisfeitas, continuam obcecadas pela sua segurança. O medo de lhes faltar algo lhes faz acumular bens de modo insaciável. Se se estabelecem relacionamento com outrem, será para nutrir a sua possessividade e não para amar.

Há pessoas que, do ponto de vista material se contentam com pouco, desde que possam satisfazer o seu prazer sexual. Sexo é uma forma de energia muito poderosa, pois ela existe antes de tudo para satisfazer a necessidade de procriação, isto é, de sobrevivência da espécie. Para muitos, atração sexual é algo irresistível. Conhecemos desde o famoso inquérito Kinsey, muitos detalhes da vida sexual, sabe-se inclusive a freqüência e estatística de relações sexuais em relação à idade, o sexo, a categoria profissional, etc...

Mas será isto o que chamamos de amor? Sabe-se que neste tipo de relacionamento, a satisfação é provisória e de fato não existe, porém quanto mais se tem, mais se quer ter. Grande parte da humanidade fica estagnada neste nível de motivação. E quando os filhos são criados, se inexistir o verdadeiro amor, surge a separação e o divórcio, pois constatam que o relacionamento acabou. Vão procurar outros parceiros sexuais, num círculo vicioso que não acaba... Ou então vão procurar satisfazer a sua vontade de poder, de ser importante, de ser admirado pelos outros, de ter a sua foto nos jornais. O círculo vicioso continua: mais importância se tem, mais importância e admiração se quer. A sede de poder não tem limite.

De fato, segurança, sensualidade e poder, nunca são satisfeitos de modo absoluto. Apego ao conforto, ao sexo e à auto-imagem, só levam a decepções e sofrimento. O prazer que despertam é apenas momentâneo. Deixa um vazio angustiante que exige mais prazer para preenchê-lo.

Felizmente existem pessoas que conseguiram ultrapassar estas manifestações do egoísmo e do egocentrismo. Estas pessoas vivem em estado de amor. Para elas tudo o que acontece em torno delas tem um caráter sagrado e maravilhoso. A cada instante são sensibilizadas por pequenos detalhes da vida cotidiana: o passarinho que canta; uma troca de sorrisos com um transeunte; um gesto de carinho para um menino da rua, a solidariedade num mutirão. 

Para estas pessoas a alegria de viver é ilimitada. Este estado de amor desperta e acompanha uma capacidade criativa impar; nada de condicionamentos e de atos automáticos; tudo se renova. A sua criatividade e seu amor se tornam verdadeira compaixão, pois se coloca a serviço de aliviar o sofrimento e dar alegria a todos os seres. Estes são os verdadeiros cidadãos.

E quando dois seres assim se encontram e decidem unir sua existência, suas sexualidades se expandem e se transformam em ternura e amor à vida sob todas às suas formas. É uma comunicação profunda sentida pelos dois como tendo caráter divino.


Pierre Weil

18 comentários:

MARILENE disse...

O pior inimigo do AMOR é a sede de poder. Por ela, deixam as pessoas de viver, de saborear uma convivência prazerosa, de parar no tempo para ver (não olhar).
Muito se fala no sentimento, pouco se doa para abraçá-lo de forma verdadeira. E todos sabemos que apenas o AMOR pode proporcionar a paz, a tranquilidade, a harmonia ... e tudo mais que propicia os momentos felizes que tanto procuramos.

Os textos de seu blog estão excelentes. Hoje pude lê-los com mais vagar e não poderia deixar de expressar a você minha satisfação por tê-los compartilhado.

Poeta del Cielo disse...

Amiga como es belo respirar o sentir das letras que nos deixas en elas un sentimento de amor puro livre cargado de sentimentos belos... parabems sempre amiga....

saludos
Otima semana
abracos

Regina disse...

Bom dia Lena! Vi que está seguindo meu blog, e então vim aqui conhecer o seu. Por enquanto só andei um pouquinho, mas estou gostando muito do q estou lendo e vendo. Voltarei com mais tempo depois.
Um abraço

Claúdia Luz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lenalima disse...

Muitos confundem sexo, paixão como sendo amor....mas o amor verdadeiro nasce aos poucos ....sua postagem revela isso, amei.
abraços!

Fabiola disse...

Linda a idéia de unir nossa existencia a de alguém !!! Bom fim de semana...um abraço, Fabiola.

Sonhos De Deus disse...

Amiga querida muito lindoo...Que todos os dias quando você acordar...
receba dos Céus a bênção de ter
sempre por perto as pessoas que te amam...
Um final de semana com toda sorte de benção bjs!!!

ArcadoAutoConhecimento disse...

Olá Lena. Acredito no amor. Estou vivenciando um e é profundo, é sincero, é maduro, é adulto, é para a vida toda. Adorei este post. Aliás, Pierre Weil tem muito a nos ensinar. Votei em seu blog num outro blog para ganhar o prêmio do blog da semana (acho que ficou repetitivo, mas me fiz entender). Estou com saudade. Espero que tenha feito grande parte da mudança e que possamos nos encontrar na 2ª feira no trabalho. Beijos e até lá.

Meire disse...

Acho fundamental no amor a maturidade e a compreensão, entre outros sentimentos doas quais ele consiste. O amor é lindo sempre que é amor!! Um grande beijo pra vc Lena :)

Ray* disse...

Sentimento tão confuso de lidar...

Sobre o Tempo disse...

Belo texto. Ele diferencia paixão de amor. As pessoas se empolgam com o prazer momentaneo do sexo e se esquecem de amar. Ótimo fim de semana, Lena. Bjs

Vera Lúcia Duarte disse...

Lena,
Ótimo post.
Na verdade, egoismo e sentimento de posse são incompatíveis com o verdadeiro amor, que traduz-se em pura doação.
Beijo.

*MARCIA E CARLOS* E LINDAS MENSAGENS disse...

"Viver é sentir que nem tudo está perdido.
É olhar dentro de si e descobrir algo que se chama
Coragem...!
Coragem para fazer de um simples detalhe
uma imensa razão de Viver!"

Beijos...! de marcia e carlos
tem selinho la no meu cantinho para vc de seguidor afinal vc faz parte dessa conquista de 180 seguidores e selinho do dia das maes tbem ok.....!!

DÉIA disse...

Seu blog é muito bom por isso vim até o seu espaço e gostei muito do que li por aqui. Tenho um blog Tb gosto d++ de poemas. E estou te seguindo se VC puder da uma passada La no meu blog. VAI SER UM PRAZER SE PUDER ME SEGUIR...Bejs . Déia.........
Esse é o link do meu blog
http://wwwdeiablog.blogspot.com/

DÉIA disse...

Seu blog é muito bom por isso vim até o seu espaço e gostei muito do que li por aqui. Tenho um blog Tb gosto d++ de poemas. E estou te seguindo se VC puder da uma passada La no meu blog. VAI SER UM PRAZER SE PUDER ME SEGUIR...Bejs . Déia.........
Esse é o link do meu blog
http://wwwdeiablog.blogspot.com/

Leandro Ruiz disse...

Lena, como é bom regressar ao teu blog... um encanto de post!

Um grande abraço

C. disse...

Maravilhoso esse texto!

Essa falta de amor em pensar que se ama querendo apenas o sexo como resposta automática e ali, pronta, é que faz com que as pessoas se sintam menos amadas.

Beijo amiga! Saudade de tu já!

Sandra Portugal disse...

"Estas pessoas vivem em estado de amor. Para elas tudo o que acontece em torno delas tem um caráter sagrado e maravilhoso. A cada instante são sensibilizadas por pequenos detalhes da vida cotidiana: o passarinho que canta; uma troca de sorrisos com um transeunte; um gesto de carinho para um menino da rua, a solidariedade num mutirão. "

Essa pessoa atingiu um estado de elevação que todos deveríamos buscar!
amei!
bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//